20. dez, 2014

O SONO E A MORTE - AULA 4/4

Em vinte e quatro horas, deixará passar vinte e quatro mil vezes, mas recuperará todo o vinte e quatro mil. Agora uma nova maneira começará a funcionar. Muitas vezes você voltará para casa e assim, aos poucos, uma nova dimensão irá se abrindo. Cada vez mais conseguirá estar atento, e cada vez menos irá pra frente e para trás. À distância entre as idas e vindas será cada vez menor. Cada vez menos você esquecerá, e cada vez mais se lembrará __ você está entrando na vertical! Um dia, subitamente, a horizontal desaparece. Há uma intensidade de consciência e o horizontal desaparece.

 

É por isso que os shankaras, os vedantas, e os hindus chamam este mundo de ilusório. Porque quando a consciência torna-se perfeita este mundo, este mundo que você criou a partir da sua mente, (por isto Paulo diz em 8 de Romanos que você terá de refazer o mundo, e também é dito que por ela, a mente, a necessidade da transformação, repito: do mundo através da mudança desta mesma mente), simplesmente desaparece. Outro mundo se revela a você.

 

A ilusão existe por causa do seu sono, da sua inconsciência. É como um sonho. Á noite você se movimenta no sonho, e enquanto está sonhando, tudo é verossímil. Alguma vez você já pensou, enquanto sonha: “Isso não é possível?” No sonho o impossível acontece, mas não se pode duvidar. Você tem tanta fé quando sonha; nos sonhos ninguém é cético, nem mesmo Bertrand Russell. Não! Nos sonhos, todos são como crianças, aconteça o que acontecer. Você vê num sonho a sua mulher chegando __ de repente ela se torna um cavalo. Nem por um momento você diz: “Como isso é possível?” Sonhar é confiar, é ter fé. Não se pode duvidar num sonho. Se você duvida num sonho, infringe as regras. Quando você duvida, o sonho começa a desaparecer. Se pelo menos uma vez você se lembrar que é um sonho, isso subitamente se tornará um choque, o sonho será despedaçado e você despertará completamente.

 

Este mundo que você vê a sua volta não é um mundo real. Não que ele não exista. Existe __ mas você o vê através de uma tela de sono, entre ambos há uma inconsciência. Você olha para ele, interpreta-o a sua maneira, você exatamente como um bêbado. Todos os Budas riem quando acordam. Riem como um leão rugindo. Riem, não de você, mas de todas a piada cósmica. Viviam num sonho, num sono, completamente intoxicados pelo desejo, e através desse desejo olhavam para a existência. E a existência não era real, eles projetavam nela o sono que era deles mesmos.

 

Você toma toda a existência como uma tela, depois projeta nela a sua própria mente e vê coisas que não existem, deixando de ver as que existem. E a mente tem explicações para tudo. Se você levanta uma dúvida, a mente explica. Cria teorias, filosofias, sistemas, só para se sentir confortável, assegurando-se de que não há nada errado. Todas as filosofias existem para tornar a vida conveniente, para que tudo pareça bem, para que não haja nada errado __ mas tudo está errado quando você está adormecido.

 

Lembre, esta é a diferença entre o cristianismo e filosofia:

 

1. A filosofia é um tranqüilizante.

 

2. O cristianismo é um choque.

 

A filosofia ajuda-o a dormir bem, o cristianismo o retira do sono. O cristianismo não é uma filosofia __ é uma técnica para arrebata-lo da sua inconsciência. E todas as filosofias são técnicas para ajuda-lo a dormir bem; oferecem sonhos, utopias.

 

O cristianismo prova-o de todos os sonhos, de todas as utopias. O cristianismo o traz para a verdade e a verdade só é possível quando você não está sonhando. Uma mente sonhadora não pode ver a verdade. Uma mente sonhadora converte a própria verdade em sonho.

 


Você já observou? Você liga o despertador; precisa acordar às quatro horas da manhã, precisa pegar o trem. De manhã o despertador toca e a sua mente cria um sonho: você está num templo e os sinos do templo estão soando __ e tudo está explicado. O alarme não pode mais acorda-lo, não é mais problema; você já o explicou __ imediatamente! A mente é sutil.

 


E agora os psicanalistas estão muito preocupados sobre como isso acontece, sobre como a mente pode criar de imediato, tão imediatamente. É difícil! __ a mente deve projetar de antemão. Como, de repente, você se encontra numa igreja ou num templo onde os sinos estão tocando? O alarme toca __ imediatamente você tem uma explicação dentro do sonho. Esta tentando evitar o alarme, não quer se levantar, não quer sair da cama numa noite tão fria. A mente diz: “Isso não é o alarme, é um templo que você está visitando”. Tudo se explica e você volta a dormir.

 

É isso o que as filosofias estão fazendo, e é por isso que existem tantas filosofias __ porque cada um precisa de uma explicação diferente. Uma explicação que ajude uma outra pessoa a adormecer não servirá para você.

 

“Em seus momentos despertos os homens são tão negligentes e descuidados com aquilo que os circunda como o são quando adormecidos”. (Heráclito)

 

Dormindo, você não percebe aquilo que está acontecendo a sua volta, mas durante as horas em que está acordando você tem consciência das coisas que o rodeiam? Muita pesquisa tem sido feita. Noventa e oito por cento das mensagens que chegam a sua mente não têm permissão para entrar __ noventa e oito por cento! E os dois por cento restantes a mente interpreta. Eu digo uma coisa e você ouve outra qualquer. Eu digo uma coisa e você a interpreta de uma maneira tal que não perturbe o seu sono. Imediatamente somente lhe dá uma interpretação. Você encontra na mente um lugar para ela e a mente a absorve; torna-se parte da mente. É por isso que estamos sempre perdendo os Budas, os Cristos, os Heráclitos e os outros. Eles falam com você; dizem-lhe que encontraram alguma coisa, experimentaram alguma coisa, mas quando lhe dizem isso, você imediatamente interpreta. Você tem os seus próprios truques.

 

Aristóteles ficou muito perturbado com Heráclito. Chegou à conclusão de que esse homem tinha falhas de caráter __ e pronto! Você já rotulou porque ele não concordava com você, ele o perturbava. Heráclito deve ter sido um grande peso para a mente de Aristóteles __ porque Aristóteles move-se na horizontal, é o mestre disso, e aquele homem estava tentando empurra-lo para o abismo. Aristóteles move-se no terreno plano da lógica e aquele homem estava tentando empurra-lo para o mistério. Alguma explicação é necessária. Aristóteles diz: “Esse homem deve ter alguma falha biológica, fisiológica, ‘caracterológica’ __ tem alguma falha. Senão por que insistiria no paradoxo? Por que insistiria no mistério? Por que insistiria em que existe uma harmonia entre os opostos? Opostos são opostos. Não há nenhuma harmonia. Vida é vida e morte é morte. Esclareça as coisas, não as misture __ esse homem deve ser um desordeiro”.

 

Lao Tsé sentiu o mesmo. Disse: “Todos parecem se sábios, menos eu. Todos parecem espertos, menos eu __ sou um tolo”. Lao Tsé é um dos melhores, é uma das pessoas mais sábias nascidas hoje, mas ele sente que, entre nos é um tolo. Tsé diz: “Todos parecem ter pensamentos tão claros e eu sou um desordeiro”. O que Aristóteles diz sobre Heráclito, Lao Tsé diz sobre si mesmo. Lao diz: “Quando alguém ouve os meus ensinamentos em sua mente, torna-se Iluminado. Se alguém os ouve através da mente, encontra as suas próprias explicações ___ as quais não têm nada a ver comigo. E quando alguém ouve sem ouvir nada __ existem pessoas que ouvem sem ouvir __ quando as pessoas ouvem como se estivessem ouvindo sem ouvir, então riem das minhas tolices”. Esse terceiro tipo de mente é a da grande maioria. E Lao diz: “Se a maioria não ri de você, fique atento, porque você deve estar dizendo alguma coisa errada. Se a maioria ri, só então você está dizendo algo verdadeiro. Quando a maioria o considera um tolo, só então há a possibilidade de você se tornar sábio; caso contrário, não existe essa possibilidade”.

 

Heráclito parece um desordeiro para Aristóteles. Pode parecer também para você porque Aristóteles conquistou todas as universidades, todos os colégios do mundo. Agora, em todos os lugares, eles ensinam lógica, não mistérios. Em todos os lugares você aprende a ser racional e não místico. Todos são treinados para serem claros. Se você quiser ser claro terá de se mover na horizontal, onde A é A; B é B, e A nunca é B. Mas no abismo misterioso da vertical, as fronteiras diluem-se,  fundem-se: homem é mulher e mulher é homem; certo é errado e errado é certo; luz é escuro e escuro é luz; vida é morte e morte é vida __ toda as fronteiras diluem-se, fundem-se. Por isso, Deus é um mistério e não um silogismo. Aqueles que provocam Deus fazem simplesmente o impossível; não é possível dar provas de Deus. As provas só existem na horizontal.

 

É isso o que significa confiar; cair num abismo, experimentar o abismo, desaparecer simplesmente dentro dele... e conhecer. Você só conhece quando a mente não está, nunca antes.

 

“Tolos! Embora ouçam, são como surdos; a eles aplicam-se o adágio: mesmo presentes
estão sempre ausentes”.

 

Qualquer que seja o lugar em que você esteja presente, esse é exatamente o lugar onde você está ausente. Você pode estar em qualquer outro lugar, mas não nesse onde está. Seja onde for que você esteja você não está aí. Diz nas velhas escrituras tibetanas que Deus vem a você muitas vezes, mas nunca o encontra onde você está. Bate a sua porta, mas o anfitrião não está __ está sempre num outro lugar qualquer.

 

Você está em sua casa, em seu lugar, ou em outro lugar? Como Deus pode encontra-lo? Você não precisa ir até Ele, basta ficar em casa que Ele o encontrará. Ele está a sua procura, assim como você está a procura Dele. Esteja em casa, assim, quando Ele chegar, Ele poderá encontra-lo Deus vê, bate milhares de vezes, espera na porta, mas você nunca está.

 

“Tolos! Embora ouçam, são surdos; a eles aplica-se o adágio: mesmo presentes
estão sempre ausentes”. (Heráclito)

 

Este é o sono: estar ausente, ao estar presente no momento presente, estar em qualquer outro lugar.

 

Leia também a edição anterior: CLIQUE AQUI.

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida