24. dez, 2014

PEQUENOS NO TAMANHO. GIGANTES NO INTERIOR.

“Por trás de tudo o que pensamos, vive tudo em que acreditamos, como o supremo véu de nossos espíritos”. (Antônio Machado)

 

Muitas vezes somos seduzidos a acreditar que os acontecimentos externos controlam nossas vidas, e que o ambiente moldou o qeu somos hoje. Nunca se disse uma mentira maior. Não são os acontecimentos externos em nossas vidas que nos moldam, mas sim as convicções sobre o que esses acontecimentos significam.

 

DUAS HISTÓRIAS, DOIS EXEMPLOS:

 

I- Dois homens são baleados no Vietnam e aprisionados na infame prisão de Hoa Lo. Ficam isolados, acorrentados a blocos de cimento, são espancados a todo instante com correntes enferrujadas, e torturados para fornecerem informações. Mas embora sofram os mesmos maus tratos, formam convicções radicalmente diferentes sobre a experiência. Um homem conclui que sua vida está perdida, e comete suicídio para evitar qualquer dor adicional. O outro extrai desses eventos brutais uma crença mais profunda em si mesmo, em seu semelhante e no Criador, muito maior do que jamais teve antes. O capitão Gerald Cof-fee usa sua experiência para lembrar às pessoas do mundo inteiro o poder do espírito humano para superar praticamente qualquer nível de dor, qualquer desafio, ou qualquer problema.

 

II- Duas mulheres completam setenta anos, mas cada uma assume uma visão diferente do fato. Uma “sabe” (“... e sabemos que....” - Rm.8:28.) que sua vida se aproxima do fim. Para elas, sete décadas de existência significam que o corpo deve estar se deteriorando, e é melhor começar a encerrar todas as suas questões inacabadas. A outra conclui que a capacidade de uma pessoa em qualquer idade depende de sua convicção, e fixa um padrão mais elevado para si mesmo. Decide que escalar montanhas pode ser um bom esporte para se começar aos setenta anos. Durante 20 anos e cinco anos seguintes, ela se devota a essa nova aventura, escalando alguns dos picos mais altos do mundo, até que hoje, na casa dos noventa anos, Hulda Crooks tornou-se a mulher mais velha a escalar o Monte Fuje. A outra? A outra morreu aos 70 anos.

 

Como pode constatar, nunca é o ambiente; nunca são os eventos de nossas vidas, mas sim o significado que atribuímos aos acontecimentos – como nós os interpretamos – o que molda quem somos hoje, e o que nos tornaremos amanhã. São as convicções que fazem a diferença entre uma vida inteira de ALEGRE contribuição e uma existência de sofrimento e desolação. São as convicções que separam um músico como Mozarte de um Manson. São as convicções que levam alguns indivíduos a se tornarem heróis, enquanto outros “levam vidas de silencioso desespero”.

 

Alguns são pobres e suas pobrezas os deixam infelizes, no entanto se você encarar a pobreza como um desafio você a vencerá. Se você encarar com ALEGRIA e humor, estes lhes servirão como remédio e como uma “varinha mágica” que curará e modificará suas vidas de tristeza em ALEGRIA. Fomos feitos para sermos vencedores, humanamente falando, e mais que vencedores em CRISTO JESUS. A pobreza não é defeito, mas sim um teste que testará sua capacidade de mudança que proporcionará para você uma condição de herói e para sua família descanso e orgulho.

 

É necessário que você tenha certeza, convicção que a pobreza é o seu grande desafio, seu grande teste na vida, daí uma pergunta: Para o quê nossas convicções são projetadas? Constituem a força orientadora para nos dizer o que levará à dor, ou que levará ao prazer?. Sempre que algo acontecer em sua vida, seu cérebro formula duas perguntas:

 

1º- Usar drogas, roubar, mentir, não estudar etc., vai significar no futuro dor ou prazer?

 

2º- O que devo fazer agora para evitar a dor e obter o prazer no futuro para mim e para minha família?

 

Bem meus amigos, as respostas a essas duas perguntas baseiam-se em nossas convicções hoje, e as convicções são impulsionadas pelas generalizações a respeito do que aprendemos que pode levar à dor e ao prazer. Essas generalizações guiam todas as nossas ações, e com isso o rumo e qualidade de nossas vidas.

 

Como você está encarando sua vida hoje? Com humor e FELICIDADE? Se você encarar a dificuldade como você encara o time oponente ao seu, se você tudo fizer para ganhar o jogo, sem dúvida você será um vencedor. Tenho visto e ouvido as torcidas de todas as modalidades de esportes dizerem: meu time perdeu porque faltou garra.

 

Meus amigos, as guerras, pelejas ou lutas estão ai. Necessitamos de garra para colocarmos nossa família no grande PÓDIO da VIDA. Nossos familiares são responsáveis por nós enquanto criancinhas exatamente para sermos a VITÓRIA deles quando crescermos.

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida