10. jan, 2015

RETRATO PSICOLÓGICO DE JESUS REPERCUTIDO EM SEU FÍSICO.

“... porque pelo fruto se conhece a árvore”. (Disse Jesus - Mateus 12:33b)

 

“Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiros, nem uvas de ervas daninhas”. (Disse Jesus - Lucas 6:44)

 

Existe uma série de interpretações sobre o homem Jesus, elas são bem interessantes. Mas segundo Paulo, a melhor interpretação é a do próprio espírito: “ninguém conhece melhor o homem senão o seu próprio espírito” (1ª Coríntios 2:11). No entanto o que se conhece, fala, trata escreve e ensina sobre Jesus não é do espírito e sim humanos tentando interpretar o humano, isto fazem os psicólogos, religiosos e filósofos, sem nenhum êxito para a humanidade até hoje.

 

Falam muito do:

 1. Nascimento;

 2. Vida biológica;

 3. Sofrimento e

 4. Morte física e social de Jesus, coisas humanas, no entanto, nada ou muito, mas muito pouco ensinam sobre:

  - A razão de seu nascimento,

  - Sua vida (zoê);

  - Seu sofrimento psicológico e

  - Sua real morte muitos anos antes do Calvário.

 

Portanto, não esqueçamos que o Espírito de Deus testifica com nosso espírito (Rm 8:16) e que Jesus veio buscar e salvar os que se perderam (Mt 18:11) almaticamente. Para ser mais claro: Deus espera que o trabalho da cruz recupere a alma do homem para que o nosso espírito possa voltar ao Grande Espírito, de onde um dia veio. Daí a grande luta das duas leis que se guerreiam: alma X espírito. (Rm 7:23-24)

 

Temos ter em mente a humanidade de Jesus para não corrermos o risco de sermos apóstatas:

 

“Nisto conhecereis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus, o Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa que Jesus, o Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouviste que há de vir, e eis que está já no mundo”. (1ª Jo. 4:2-3);

 

“Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus, o Cristo veio em carne. Esta tal é o enganador e o anticristo”. (2ª João 1:7);

 

“E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o ministério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado”. (2ª Ts 2:6-7)

 

Diante de tais verdades teológicas, que são indiscutíveis, ainda quero dizer que não temos para onde fugir mediante tal realidade: Jesus veio em carne e se não concordarmos seremos contra o Cristo, seremos um membro do corpo do “MINISTÉRIO da INJUSTIÇA” que opera exatamente no meio dos chamados religiosos. Portanto, se Jesus veio em carne, pois, nasceu de mulher, comeu, bebeu, sofreu e morreu, isto é prova de sua humanidade. Como homem que foi, não podemos tratá-lo como um deus. O poder que possuía ele só o obteve de volta após a ressurreição: “... É-me dado todo o poder no céu e na terra” (Mt 28:18). Repetindo __ pós-ressurreição, antes não, pois tudo que Jesus fez, antes da ressurreição, ele disse que faríamos obras maiores do as que ele fez (João 14:12). Jesus chama seus feitos de obras e os ensinos de doutrinas do Pai (João 7:16-17). Poder do Evangelho (Rm 1:16-17) não é poder externo para obras, é o poder para salvação da alma do homem, questão de foro intimo e nunca recuperação física ou de bens comuns, humanos.

 

Vejamos alguns textos que provam a total humanidade de Jesus quando andou na terra:

 

“Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que uma virgem (jovem, na idade de casar-se, original) conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel. Manteiga e mel comerá, até que ele saiba rejeitar o mal e escolher o bem. Na verdade, antes que este menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, a terra de que te enfadas será desamparada dos seus dois reis”. (Is 7:14-16  -  Versão Revisada e Corrigida)

 

“Pois sabeis que o Senhor mesmo vos dará um sinal: Eis que a jovem concebeu e dará á luz um filho e pôr-lhe-á o nome de Emanuel. Ele se alimentará de coalhada e de mel até que saiba rejeitar o mal e escolher o bem. Com efeito, antes que o menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, a terra, por cujos dois reis tu te apavoras, ficará reduzida a um ermo”. (Is 7:14-16  -  Versão Jerusalém).

 

“Pois o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a jovem que está grávida dará á luz um filho e porá nele o nome Emanuel. Quando ele chegar á idade de saber escolher o bem e rejeitar o mal, o povo estará comendo coalhada e mel. Mas mesmo antes desse tempo, ó rei Acaz, as terras daqueles dois reis que lhe causarem tanto medo ficarão completamente abandonadas”. (Is 7:14-16  -  Versão B.L.H.)

 

“Por isso, Deus vai dar um sinal __ quer vocês queiram, quer não. Uma virgem (jovem original) terá um filho! E ela chamará o nenê de Emanuel. (que significa ‘Deus conosco’). Quando esse menino parar de mamar e começar a comer, pouco antes desse menino saber o que é certo e o que é errado, os dois reis que tanto assustam vocês, o rei Acaz __ os reis de Israel e da Síria __ estarão vencidos”. (Is 7:14-16  -  Versão Bíblia Viva).

 

É claro que existem muitos mais textos que nos provam a humanidade de Jesus, aliás, se Jesus não fosse humano ele teria um corpo fluidificado e neste caso todo os 33 anos e meio dele seriam uma grande encenação, uma grande farsa. Graças a Deus não somos espíritas, nós acreditamos na humanidade de Jesus __ cremos no seu nascimento, veio de uma jovem pelo processo normal; no seu crescimento, sua vida social, sofrimento, morte e ressurreição. Não está escrito que ele crescia em graça, estatura e sabedoria? (Lc 2:52), notem: crescia __ ou seja, ele não veio desenvolvido.

 

Vejamos outros textos:

 

“... não tinha parecer nem formosura; e, olhando para ele, nenhuma beleza víamos para que desejássemos. Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados”. (Is.53:2 a5)

 

“O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes”. (Is. 61:1-2; Lc. 4:18)

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida