21. out, 2014

NOSSOS FILHOS – FUTURO DO NOSSO PAÍS.

A indústria da desvalorização da ética, dos bons costumes e senso moral da vida está, através, principalmente, da MÍDIA, abalando os alicerces principais da maior instituição existente na terra – A FAMÍLIA.

 

É claro que apoiamos a tecnologia, apoiamos todos os crescimentos que melhore o conforto e humanize mais as pessoas. É claro que adotamos a globalização desde que esta traga benefícios à coletividade, mas somos contra qualquer ação da tecnologia quando esta apóia o individual, quando o homem, ávido de poder, legisla em causa própria, nunca em favor de todos.

 

Existem alguns órgãos responsáveis pela censura, no entanto estamos expostos aos lucros descabidos de homens que se dizem politicamente responsáveis por ser nosso porta-voz nas castas altas de nossa política.

 

É claro que a base principal da educação de nossas crianças, adolescentes e jovens parte primeiramente nos lares, onde as crianças têm sua origem/base, depois nas escolas, fonte do saber e educação mais apurada. Ainda quero frisar a religião que tem um papel enorme na formação de nossas crianças, adolescentes e jovens. Sem dúvida, precisamos então trabalhar cuidadosamente com as bases principais de nossos filhos:

 

• Pais;
• Escola e
• Religião.

 

Se houver um programa social voltado para estes principais pilares, certamente a mudança será feita em pouco tempo. Se o governo prioriza a educação para os pais e através de empregos e isto, sem dúvida alguma, através da qualificação, e, não a humilhação da cesta básica com cartões que são atestados de incapacidade, frustrando aquele que o recebe, é claro que os pais olharão e serão vistos por seus filhos como uma família honrada.

 

É necessário elevar os pais, culturalmente falando, para que estes não caiam no desespero. Quando elevamos a cultura, ou melhor, o conhecimento das pessoas, elas saberão usar uma televisão, um filme, uma música ou qualquer outro recurso será utilizado de maneira construtiva e sábia. O campo visionário cultural profetizará o mal que a mídia, louca por ibope, traz para nossos filhos. Pais mudados, ibope também mudado.

 

Hoje as necessidades dos pais, a falta de cultura dos mesmos os fazem atirar por todos os lados, daí buscar a religião para que seus problemas sejam sanados, mas todo religioso responsável responderá sempre aos necessitados "a solução de todos os seus problemas está dentro de você mesmo".

 

Precisamos também qualificar melhor nossos professores. Se houver um relacionamneto e parceria melhor entre pais e professores, muitos problemas nos lares e escolas seriam resolvidos e até evitados, consequentemente os resultados serão mais proveitosos tanto para família como para a escola. O professor notará as necessidades dos pais manifestadas nos filhos. Não é possível obter sucesso com nossas crianças se não houver sucesso com os pais. Um depende do outro.

 

Punir não resolve, pois até mesmo as instituições existentes para internar nossos menores necessitam também de educação. Os caçadores de menores infratores, os policiais, da mesma forma, necessitam ser humanizados e isso começa com educação, depois sim, socialização.

 

Não acredito em educação unida a violência. Não aceito uma pessoa educada, tendo prazer na mídia violenta, pois não pode sair do mesmo veio água doce e salgada. Precisamos de visão política e não de ajuda com cimento, tijolos, cesta básica, "emprego" que nossos candidatos à política dão em troca da cidadania do eleitor. Nossos eleitores precisam ser lapidados pelo conhecimento em todos os sentidos, pois quando são comprados em seu voto, estão vendendo seus filhos para as drogas, para o crime e assim futurando-os para a morte, cadeia ou uma cadeira de rodas.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida