10. nov, 2014

Casamento (Aula 03)

ENTENDENDO CERTOS COMPORTAMENTOS DAS MULHERES.

 

Antes da menstruação ocorre um fenômeno estranho conhecido pela sigla TPM, que significa Tensão Pré-Menstrual. Muitas mulheres sofrem sérias alterações de comportamento nesse período.

 

As estatísticas mostram que mais de 30 % das mulheres tem TPM. Esse distúrbio tem despertado interesse especial dos ginecologistas, por afetar, de alguma forma, a vida de muitas mulheres em todo o mundo.

 

É comum, nesse período, uma mudança no ciclo do sono e redução do apetite sexual.  O que mais intriga os médicos, não são os sintomas físicos, mas sim os sintomas emocionais, que dizem respeito ao comportamento. Num período de 2 a 10 dias antes da menstruação, a mulher se torna mais irritada, impulsiva, ansiosa, agressiva e apresenta mudanças repentinas de humor, podendo oscilar entre a depressão e a euforia. Algumas mulheres tendem à apatia, outras ficam mais agitadas, mas todas têm seu comportamento alterado. Exemplos: Hortência (ex-jogadora de basquete – a cestinha do Brasil) – nessa fase descarregava parte do seu nervosismo na quadra – jogava melhor nessa fase. Ficava mais sensível, chorava por qualquer motivo e perdia o controle emocional por nada.

 

Os periódicos jurídicos britânicos registraram, em 1981, dois casos criminais famosos, onde a defesa atribuiu a TPM a causa do crime e as rés foram absolvidas da prisão, porém são mantidas sob permanente acompanhamento médico. A justiça britânica reconhece o período em que a mulher vive a TPM como sendo de "insanidade temporária".

 

Uma pesquisa feita na Inglaterra, revelou aspectos interessantes sobre a TPM. Foi descoberta que a TPM é a principal responsável pelo aumento do número de internações de crianças em hospitais, vítimas de espancamento, por parte das mães. O índice criminalidade entre mulheres aumentam nessa fase de 12% para 25%, o número de tentativas de suicídio salta de 13% para 25 %.

 

Muitas mulheres vítimas dessa super tensão sentem necessidade de isolar-se. Essa tendência ao isolamento social ou a agressividade podem acabar desembocando em graves dificuldades de relacionamento entre casais. Pequenos problemas do cotidiano às vezes são transformados em imensos cavalos de batalha. A mulher acaba explodindo e descontando no marido ou nos filhos.

 

Tão grave quanto à própria TPM é conviver com a incompreensão dos maridos. As razões para essa incompreensão são fáceis de alinhavar. É difícil para um homem entender a mulher, pois ao contrário dela, ele não é cíclico, e sim linear, ou seja, a sexualidade feminina se dá por etapas que se repetem, desde a primeira menstruação (menarca) até a última (menopausa). Já no homem a sexualidade surge na puberdade e se desenvolve de forma contínua até a velhice. Porém há homens que já aprenderam a conviver com o problema: o jeito é ficar calmo, agir com diplomacia e ser compreensivo até as coisas voltarem ao normal.

 

CONCLUSÃO aos maridos e esposas:
Maridos e esposas devem aplicar as verdades aprendidas pela Palavra de Deus de maneira muito específica e pessoal. Não devem se preocupar com a parte de seu cônjuge. Gostamos de aplicar as Escrituras às "outras pessoas". E devemos aprender a aplicar a Palavra de Deus em nossa própria vida. Portanto, não devemos dizer: "SE VOCÊ FIZER ISTO, EU FAÇO AQUILO". Devemos sim, dizer desta maneira: "FAREMOS ISSO NÃO IMPORTA O QUE ACONTEÇA".

 

O casamento para sobreviver precisa do perdão mútuo constantemente, ou seja, humildade por parte de maridos e esposas para se perdoarem e reconhecerem seus próprios erros.

 

Leia também a matéria anterior: CLIQUE AQUI

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida