18. abr, 2014

PARTE 19 – A HERMENÊUTICA DE JESUS (continuação)

A BÍBLIA E SUAS ESCOLAS RELIGIOSAS E FILOSÓFICAS

 

 

Já anotamos a importância do Livro de João para o desenvolvimento da cristologia. No que tange à interpretação da idéia de salvação, essa importância não foi menor. Nesse sentido, devem-se associar as Epístolas joaninas. Essa literatura surgiu numa região - Éfeso - onde Paulo trabalhou por muito tempo. Os pontos de vista que apresentam são de índole paulina, embora desenvolvidos no sentido de um misticismo muito mais intenso, cujo ponto focal é a idéia da vida e da união com Cristo. Estas noções são paulinas, mas o tratamento que o autor lhes dá é muito diverso do de Paulo.

 

 

O vocábulo central dos escritos joaninos é "vida". Quem conhece o Cristo da fé tem vida. "A vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviastes" (Jo. 17:3; também 3:16; 6:47; 10:27, 28 e etc.). Para o escritor, o mundo pode ser dividido em duas classes muito simples de pessoas: "Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que ão tem o Filho de Deus não tem a vida" (1ª Jo. 5:12; cf. Jo. 3:36). Vida não significa, para esse escritor, simples existência. É, antes, imortalidade abençoada e purificada. "Agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele" (1ª Jo. 3:2). Essa vida baseia-se na união com Cristo, e esta união é uma participação sacramental real. Não se pode deixar de perceber nisto a influência de idéias semelhantes às das religiões de mistério. Paulo atribuiu grande valor à Ceia do Senhor, que era para ele "comunhão" do Corpo e Sangue de Cristo, "memorial" do Cristo, mediante o qual "anunciais a morte do Senhor, até que ele venha" (1ª Co. 10:16; 11:24-26). A literatura joanina vai mais além: "Se não comerdes a carne do Filho do home e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos" (Jo. 6:53). A Ceia do Senhor torna-se, aqui, um sacramento místico necessário à união com Cristo, que produz uma imortalidade bem aventurada.

 


Note que este cerimonial se faz presente e útil como um exercício na IGREJA VISÍVEL, como disse, um "memorial". Celebração de um passado.

 

 

Quando falamos em IGREJA INVISÍVEL, não tratamos mais de cerimonial ou um "memorial" (passado), estamos falando do presente: "Estarei com vocês todos os dias até a consumação dos séculos" e quanto a "comunhão", o que Paulo nos informa é da necessidade de entendermos que CORPO de CRISTO é a IGREJA composta de "membros" e Ele A CABEÇA. Portanto quem não comer este corpo e beber o sangue deste corpo não terá parte no meu reino. Carne significa o brotar do FRUTO DO ESPÍRITO que só acontece quando são substituídos pelas OBRAS da CARNE, isto encontramos em Gálatas 5.

 

 

A IGREJA VISÍVEL (as religiões) vivem das cerimônias e de memórias, precisando de quem ensine os primeiros passos da conversão, já a IGREJA INVISÍVEL vive da verdade do ressuscitado, e não do morto Jesus. Não está preocupado com cerimoniais e nem vivendo de saudades memoriais. Aliás, saudades de quê se não vivemos naquele tempo? Não precisamos mais quem nos ensine, pois já pertencemos a "ESCOLA DO MESTRE". Já fomos discipulados e pela idade, isto é, de termos passado pela igreja VISÍVEL, estamos agora recrutando pessoas dos cerimoniais e memoriais para uma vida ativa e com resultados imediatos - "já, pelo tempo, deverias ser mestre...".

 

Nossos estudos existem para capacitar os CATECÚMENOS, ou seja, os iniciantes, não importa o tempo de religiosidade. Não importa se você tem todos os anos se repetindo, não passando nas provas, ao contrário, pede para que Deus o livre das mesmas, e por isto, todos os mesmos problemas, em roupagem diferentes, se repetem e você continua orando e pedindo sempre e nada de testemunhar sua atividade como cristão. Precisa sempre de ajuda, nunca tem tempo e nem lastro para ajudar a tantos que estão ao seu lado triste, sob-pressão, angustiado e etc., o que você faz é dizer "vai a igreja..." no entanto, você dá para estas pessoas soluções que não vieram para você.

 


Pense bem no que acaba de ler e tome um decisão certa.

 


Na próxima aula continuaremos falando da Literatura de João.

 

 

por Israel Sarlo