4. jun, 2014

PARTE 43 – TERTULIANO (continuação)

A BÍBLIA E SUAS ESCOLAS RELIGIOSAS E FILOSÓFICAS.

 

A tarefa mais importante feita por Tertuliano foi a definição da cristologia do LOGOS, embora preferisse usar o termo FILHO, em vez de LOGOS. No que tange ao conteúdo, pouco acrescentou ao que já haviam feitos os teólogos da Ásia Menor e, especialmente, os apologistas, Sua mente jurídica, porém, emprestou a sua explanação uma clareza sem precedentes. O trabalho principal a respeito desse tema foi escrito na sua fase montanista: Contra Práxeas. Define a Divindade em termos que antecipam a conclusão a que chegaria o Concílio Niceno mais de um século depois. "Todos são de um, por unidade de substância, embora ainda esteja oculto o ministério da dispensação que distribui a unidade numa Trindade, colocando em sua ordem os três, PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO; três, contudo, ... não em substância, mas em forma, não em poder, mas em aparência, pois eles são de uma só substância e de uma só essência e de um poder só, já que é de um só Deus que esses graus e formas e aspectos são reconhecidos com o nome de PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO".

 

Tertuliano descreve essas distinções da Divindade como "pessoas", termo que tem não a conotação, que nos é familiar, de personalidades, mas de modos objetivos de ser. No pensamento de Tertuliano essa unidade de substância é material, pois a influência estoica a que estava sujeito era bastante para fazê-lo afirmar que "Deus é corpo.. . pois o espírito tem uma substância corpórea de sua própria espécie".

 

Com precisão semelhante, Tertuliano distinguia entre os elementos humanos e divinos em Cristo. "Vemos seu duplo estado, não misturado, mas conjugado em uma única pessoa, Jesus, Deus e homem". Derivados do PAI por emanação, o FILHO e o ESPÍRITO são subordinados a ele. A doutrina da subordinação, já presente nos apologistas, viria a ser característica da cristologia do LOGOS até o tempo de Agostinho. Mais do que frutos de perquirição filosófica, essas definições eram resultado de uma interpretação judiciária, legal.

 

Tertuliano foi também o primeiro a dar conotação técnica a expressões tais como: tinitas, substancia, sacramentum, satisfacere e meritum. Deixou, sem dúvidas, marca indelével na teologia latina.

 

Gostaria que você lessem mais uma vez este texto. Ele vai mostra as mudanças que estes reformadores fizeram, não só nas doutrinas, mas também nas traduções, claro que foram mudanças para facilitar as interpretações, que na época não haviam muito, a não ser as RELIGIÕES com suas FILOSOFIAS estranhas. Tiveram que tirar água de pedras para chegarem a conclusões razoáveis para combater as tais filosofias religiosas. Porém, existem muitos para melhorar e este é o papel da IGREJA - buscar a VERDADE para que esta LIBERTE o povo.

 

Israel Sarlo