7. ago, 2014

PARTE 66 - ORDEM CLERICAL

A admissão à ordem clerical era feita mediante a ordenação, rito que indubitável remonta aos primeiros dias da Igreja, ao menos como sinal da concessão de dons carismáticos ou separação para um dever especial (At. 6:6; 13:3; também 1ª Tm 4:14; 5:20; 2ª Tm 1:6). Em meados do século III, o processo ordinário de escolha de bispos era a escolha feita pelos outros clérigos da cidade, especialmente os presbíteros; a aprovação por parte dos bispos vizinhos e a ratificação, ou eleição, pela congregação.

 

Seguia-se a ordenação mediante a imposição das mãos de pelo menos um outro bispo ordenante. O controle da escolha dos presbíteros, diáconos e clérigos das ordens inferiores estava nas mão do bispo da localidade, pelo qual eram eles ordenados.

 

Os presbíteros serviam de conselheiros de bispo. Com o consentimento deste, administravam os sacramentos e pregavam. Com o crescimento numérico das congregações citadinas, um presbítero veio a ser encarregado de cada uma delas. Cresceu, portanto, sua importância, em comparação com o papel relativamente secundário que exercia imediatamente após o surgimento do episcopado monárquico.

 

O número de presbíteros não tinha limite prefixado. Os diáconos eram subordinados diretamente ao bispo, servindo-lhe de assistentes no cuidado dos pobres e em outras questões de ordem financeira, bem como no culto e na disciplina. Não raro a relação do diácono com o bispo era praticamente mais direta do que a do presbítero. Em conformidade com Atos 6:5, o número de diáconos em Roma era sete. Quando o Bispo Fabiano (236-250) adotou a divisão civil da cidade, como critério para estabelecer os seus catorze distritos de caridade, nomeou sete subdiáconos, além dos sete diáconos já existentes, a fim de que o número tradicional não viesse a ser ultrapassado. Existiam subdiáconos também em Cartago ao tempo de Cipriano e, pouco tempo depois, essa situação em geral. Em muitas partes da Igreja não havia regras fixas a respeito do número de diáconos.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida