28. jun, 2014

"A ESCOLA DO MESTRE" - Aula 30

(2ª parte "Água Viva")

 

Como lemos, logo no início da primeira parte, Jesus teve que sair da Judéia partindo para a Galileia por problemas criados pelos fariseus que diziam que Jesus batizava mais do que João Batista e foi nesta retirada que teve seu encontro com a mulher samaritana.

 

Uma das razões que me fez cauteloso com os religiosos está neste texto. Entre judeus e samaritanos haviam alguma coisa em comum:

 

O PENTATEUCO e o SÁBADO;
SAMARIA era um estado dentro de Israel;
ABRAÃO era tido como o pai também dos samaritanos;
O POÇO de Jacó dividia Samaria dos demais estados de Israel.

 

Quando ao monte de adoração dos JUDEUS estava em Jerusalém e o monte de adoração dos SAMARITANOS em Gerizim. Se você ler a primeira parte você achará outras diferenças não tão importantes como estas.

 

É claro que usos e costumes faziam dos samaritanos avesso ao judaísmo, não tanto a questão doutrinária. Mas, o que quero dizer que tanto uma como a outra mantinham seus adeptos presos por cadeias tão fortes que a guerra entre eles os separava de maneira tão cruel que sempre a morte de um trazia satisfação ao outro.

 

A situação era tão grave que João pediu ao MESTRE para colocar fogo em uma aldeia de Samaria (Sicar) por terem negado comida e dormida ao MESTRE e os apóstolos por serem judeus.

 

Enquanto os amigos de Jesus foram buscar o que comer para o Mestre, este cansado descansava ao lado do POÇO de JACÓ e aparece uma samaritana e Jesus lhe pede água e logo a intolerância e discriminação religiosa fala mais alto e a mulher diz: "Como pode um judeu pedir alguma coisa a mim, uma samaritana?". Sempre, sempre e sempre a religião tem uma pergunta fora de padrão divino. Todas as vezes que alguém lhe pergunta algo para impor diferenças tenha a certeza que são perguntas que não vem da "ESCOLA DO MESTRE".

 

O que ela tinha para oferecer a Ele? Jesus sempre nos pede aquilo que temos para oferecer, não nos pede o impossível ou mesmo qualquer sacrifício. Ele conhece nossas possibilidades. Mediante o exercício do "dar" Ele vai alargando nossas possibilidades gerando fé e o crer.

 

Jesus sempre nos dá algo moral e espiritual em troca do material ou do possível que damos. Nunca nos pede nada fora de nosso alcance. Se você me der desta água, para meu físico, eu em troca lhe darei uma "FONTE de ÁGUAS VIVAS" para sua alma.

 

Continua... (3ª Parte)

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida