12. mai, 2014

CURIOSIDADES BÍBLICAS 11

 

"EVANGELHOS GREGOS"baseavam-se numa tradição aramaica palestinense traduzida, em algum momento, do aramaico ao grego. Algumas correntes tratam de remontar à origem desta tradição aramaica o mesmo Jesus, com o propósito de afiançar deste modo a credibilidade histórica dos LIVROS BIOGRÁFICOS: MATEUS, MARCOS, LUCAS e JOÃO.

 

 

A figura de Jesus de Nazaré ficou definitivamente enquadrada no contexto do judaísmo da Galiléia, seja como um homem carismático, um santo e um exorcista, que operava curas e realizações milagrosas, seja como um profeta escatológico, que considerava a si mesmo o último mensageiro de Deus antes da chegada o do Reino, ou seja sob qualquer outra forma em que se possa conceber a figura histórica de Jesus. Dada mais atenção no ministério de Jesus que no fato fundamental do seu julgamento e morte. É certo que os contemporâneos de Jesus o viam na figura religiosa de maior importância, sem referência ainda ao querigma (primeiro anúncio) da morte-ressurreição. O NT consentia-se, sem dúvidas, mais nesta mensagem do que nas referências biográficas, bastante escassas, sobre a figura histórica de Jesus.

 

 

O acento na conexão judaica do cristianismo nascente não deve fazer olvidar a não menos evidente conexão greco-romana. Basta pensar que a geografia em que nasceu o cristianismo, a Palestina dos Ptolomeus, Selêucidas, Asmoneus e Herodianos, e a geografia em que o cristianismo se difundiu era o mundo greco-romano, sob o império do sincretismo cultural e religioso, onde tanto o judaísmo como o cristianismos nascente tiveram que lutar para marcar seus sinais de identidade e ganhar o reconhecimento da história ou sua entrada nela. O cristianismo, nos primeiros momentos, era um judeu-cristianismo, e no contato com o paganismo converteu-se num precipitado de elementos orientais e ocidentais, semíticos e greco-romano, monoteísta e pagãos. O decisivo é assinalar que mesmo o judaísmo palestinense era um judaísmo totalmente helenizado (Hengel), de modo que não se pode opor henismo e judaísmo, como se fez por muito tempo. O judaico, assumido pelos primeiros cristãos, estava helenizado fazia tempo, e o helênico, que os primeiros cristãos puderam assumir, chegava-lhes através dos canais judeus.