17. dez, 2014

SAGA DO POVO DE ISRAEL 02

Continuação (Aula 2 da 2ª Parte)

 

V REI DE JUDÁ: JOSAFÁ (O Senhor Julga) -  Filho de Asa que subiu ao trono de Judá na idade de trinta e cinco anos. O seu reinado foi de vinte e cinco anos (IIº Rs.17:1). Prevaleceu contra Baasa, rei de Israel, e pôs guarnições nas cidades de Judá e Efraim, as quais seu pai tinha conquistado. Ele também demoliu os lugares altos e postes-ídolos dos deuses pagãos, o quanto ele pôde; e levou isto a efeito, pondo ao mesmo tempo em campo um número considerável de sacerdotes, levitas e príncipes, para que atravessassem a terra e ensinassem ao povo a lei. Ele manteve um grande exército, e era respeitado e temido pelos povos circunvizinhos, pagando-lhe tributo aos filisteus e os árabes. Todavia, foi censurado por ter feito aliança com o idólatra Acabe, rei de Israel (Iº Rs.22:44; IIº Cr.18:1; 19:2).

 

Josafá reparou as suas faltas, com os regulamentos e ordenações que estabeleceu nos seus domínios, tanto pelo que respeitava aos negócios civis, como aos religiosos; com a sua vigilância pessoal e exemplo; com a nomeação de juízes honestos e hábeis; e com a regularização da vida disciplinar dos sacerdotes e levitas, mandando que cumprissem os seus deveres com pontualidade (IIº Cr.19). Depois disto deu-lhe Deus, em resposta às suas orações, um completo triunfo sobre os moabitas, e os amonitas, e também sobre os meonianos, povo da Arábia Petréia, Josafá tentou juntamente com Acazias estabelecer uma esquadra, mas, tendo os navios naufragado em Eziom-Geber, abandonou essa idéia (IIº Cr.20:35 a 37). O desastre tinha sido predito pelo profeta Eliezer, como castigo da sua insensata aliança com Acazias, rei de Israel. O fim do seu reinado foi calmo e sossegado, estando à direção dos negócios nas mãos de seu filho Jeorão. Josafá foi, certamente, um homem piedoso e justo, mas faltou-lhe aquela firmeza de caráter, necessária para bem dirigir o negócio de Estado, sendo isso a causa das calamidades do seu reinado. Todavia, pela sua coragem e atividade ele era respeitado e temido. Foi sepultado no real sepulcro (Iº Rs.22:51; IIº Cr.21:1).

 

VI REI DE JUDÁ: JEORÃO (O Senhor é engrandecido) - A sua forma abreviada é Jorão. Filho mais velho e sucessor de Josafá, rei de Judá (IIº Rs.8:16). A rainha Atalia, filha de Acabe, incitou-o a praticar a idolatria e outros pecados, o que foi causa de grandes calamidades. Ele começou no trono a sua carreira assassinando todos os seus irmãos, a quem Josafá tinha afastado dos negócios do Estado, colocando-os nas cidades fortificadas de Judá. E aconteceu, como castigo das suas iniquidades, que os edomitas, que por muito tempo haviam estado sujeitos aos reis de Judá, se revoltaram contra Jorão, e estabeleceram a sua independência (IIº Rs.8:20-21; IIº Cr.21:8,9). Houve, depois disto, a invasão dos filisteus, assaltaram o palácio do rei, matando toda a família real e subordinada, escapando apenas o filho mais novo Acazias, que foi levado para o cativeiro (IIº Cr.22:1). Passados dois anos morreu o rei de uma terrível enfermidade, “sem deixar de si saudades”, sendo-lhe negada a sepultura no lugar dos sepulcros dos reis (IIº Cr.21:19,20).

 

Leia também o episódio anterior: CLIQUE AQUI.

 

(Continuação na próxima edição)

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida