25. mai, 2014

"A ESCOLA DO MESTRE" - Aula 22

SEPULCROS CAIADOS

 

Não parece, mas como somos comprometidos com a VIDA. Sofremos com nossos doentes. Acompanhamos suas SAGAS de dores e lutamos para não perde-los, mas se houver a MORTE corremos imediatamente para as despesas finais e enterra-los. Os que podem dão o melhor CAIXÃO e nele flores. O melhor cemitério com a melhor tumba, as mais intensas lágrimas e, se possível, depositá-los no CEMITÉRIO da PAZ e inconscientemente dizemos: "fique aí em paz meu isto ou meu aquilo...". Afinal nosso compromisso é com a VIDA, da morte nos descartamos logo, aliás O MESTRE disse: "Deixem que os mortos enterrem seus mortos", mas isto é para outra aula.

 

Como os cemitérios são bonitos, verdadeiros JARDINS de PAZ, mas como é isolado, triste e solitário. Os que estão ali, enterrados, cessaram seus COMPROMISSOS com a VIDA. Bem, quero que você pense um pouco nesta nossa introdução, mas vamos ao texto?

 

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos SEPULCROS CAIADOS, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de OSSOS de MORTOS e de toda IMUNDÍCIA" (Mateus 23:27).

 

Vamos primeiramente analisar o texto:


ESCRIBAS - Os copistas e mestres das Escrituras. No Antigo Testamento, que se referem a um secretario do rei, em algumas versões - ESCRIVÃO.
FARISEUS - Uma das principais seitas dos judeus, muito mais numerosa do que as dos saduceus.
HIPÓCRITAS - Pessoas que fingem qualidades ou sentimentos bons, mas não os possuem.
SEPULCROS CAIADOS - Sepulturas pintadas, brancas, floridas e bem cuidadas. "...Por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia".

 


Neste texto existe uma série de "AIs", para ser mais preciso, seis "AIs" que na verdade são CENSURAS fortes aos ESCRIBAS e FARISEUS.

 

O que na verdade o MESTRE quer dizer com "OS SEPULCROS CAIDOS"? Você já deve ter percebido que a CENSURA está sendo feita aos "RELIGIOSOS", os que conhecem e professam uma "CRENÇA". Pessoas que possuem valores vindo do que ele chama de "FÉ" e o MESTRE não os livram do grifo do EVANGELHO.

 

É claro que não existe aí nenhum desrespeito aos nossos MORTOS, ao contrário, não são deles que o MESTRE está se referindo. Ele assemelha os ESCRIBAS e FARISEUS aos mortos - note: assemelha apenas no sentido da decomposição natural do CORPO HUMANO, quando de sua passagem de carne para o pó - Estágio de Decomposição.

 

O Mestre nos chama a atenção para o conteúdo do BELO SEPULCRO CAIADO - belo por fora mas imundo por dentro. Eu quando falo de pessoas "enfezadas", explico que são pessoas cheias de fezes. Quando o Mestre nos chama a atenção nesta passagem, Ele pede para que façamos um alto-exame de nosso interior. Buscar a verdade de nossos:
TESOUROS MORAIS;
TESOUROS DE NOSSAS CRENÇAS;
TESOUROS DE NOSSOS VALORES;
TESOURO DE NOSSO AMOR;
TESOURO DE NOSSOS PLANOS;
TESOURO DE NOSSOS OBJETIVOS e etc.

 

O MESTRE nos ensina: "Onde estiver seu TESOURO ali estará seu coração".

 

O MESTRE está nos ensinando que não adianta nos vestirmos de OVELHA se somos LOBOS devoradores por dentro. Que não é salutar para nossas vidas escondermos atrás das RELIGIÕES, nos fazermos de "SANTOS" enquanto no fundo ainda forem HIPÓCRITAS, afinal estamos enganando a quem? A nós mesmos.

 

O MESTRE ensina a nos despirmos de toda maldade, ciúmes, invejas, discórdias, infidelidade e etc., pois todos estes males procedem de dentro dos homens (SEPULCROS CAIDADOS).

 

O MESTRE ensina a não sermos COLECIONADORES de OSSOS, de nada que realmente seja de VALOR que possamos usar contra quem quer que seja. Ele pede para investigarmos nosso LASTRO e se existem riquezas, é para entendermos que tudo existente em quem tem vida, precisa de movimento - a vida gira e está sempre em estágios de MUDANÇAS. Tudo que se guarda tem no seu final as traças, os ladrões, as ferrugens que a tudo sem movimento destrói. Se somos a LUZ do MUNDO, não mais os FILHOS da LUZ, temos que ter tudo as claras e em movimento constante. Quem preserva velharias não tem espaço para o que é novo. Não somos como os SEPULCROS CAIADOS - depósitos da MORTE.

 

VAMOS aos "AIs" do MESTRE?

1º - "AI" dos que devoram as casas da viúvas, sob pretexto de prolongadas orações (v.14);
2º - "AI" dos que percorrem o mar e a terra para evangelizar; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que a si mesmo (v. 14).
3º - "AI" dos condutores de cegos! Pois que dizem: Qualquer que jurar pelo templo, isto nada é; mas o que jurar pelo ouro do templo, esse é devedor (v.16 este "ai" é pesado).
4º - "AI" dos que dão o DÍZIMO da hortelã, do endro e do cominho e desprezam o mais importante da LEI, o JUÍZO, a MISERICÓRDIA e a FÉ; deveis, porém, fazer essas cosias e não OMITIR AQUELAS (v. 23).
5º - "AI" dos que pois limpam o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniquidade (v. 24).
6º - "AI" dos limpos por fora mas são semelhantes aos "SEPULCROS CAIADOS" formosos por no exterior mas imundos por dentro (v. 27).

 

 

Israel Sarlo