Estudo bíblico

23. out, 2014

Mateus 16:18

A NOIVA – A IGREJA DO SENHOR

 

"Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhes a glória porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou,". (Ap 19:7).

 

Esta lição nos dá um histórico muito importante sobre a festa das bodas de casamento entre os judeus e ressalta o simbolismo do casamento entre Yahweh e Israel (Is 62:6; 54:5; Os 2:19, 20 e Ez 16), casamento este tragicamente adulterado pela infidelidade causada por interferência de Jacó.

 

É importante notarmos que toda citação feita a Jacó e a Israel, como: "Amo a Israel e aborreço a Jacó" tem a ver com esta nação dividida:


1º Jacó quando se refere a Israel político e
2º Israel quando se refere a Israel religioso.

 

O adultério tratado em Êxodo 34:15; Is 49:18; 69:10, Deus usa até um profeta para imprimir no povo o horror da infidelidade - Oseias no terceiro capítulo é um retrato de dor. Os textos apresentados referem-se a ganância deste povo em conquistar feudos e crescer, desta maneira, o patrimônio judeu e, assim, a cada conquista, deuses estranhos eram trazidos com os vencidos e a troca foi eminente. O povo judeu, por causa da ganância do Estado (Jacó) apagava a religiosidade (Israel) e isto configurou adultério.

 

A noiva, Israel, traiu Yahwer pela paixão desenfreada que sempre houve, há e haverá em Jacó.

 

O comentarista fala que Israel recebeu vários nomes de esposa de Deus e que Israel foi infiel ao Senhor se prostituindo com outros deuses e que Deus sempre esperou a reabilitação de Israel para dar o seu perdão e restauração (Is 54:1-10).

 

 

A NAÇÃO DE ISRAEL É A FIGURA DA INFIDELIDADE E A IGREJA NÃO PODE IMITA-LA.

Importante ser destacado que na nova ordem (Hb 7:12) muda-se o sacerdócio, a lei, mas o senso de fidelidade é o mesmo, até porque está escrito que o nosso Deus foi o de ontem, o de hoje e será eternamente (Hb 13.8).

 

Hoje não é somente Israel a nação que poderá ter membros agregados ao Corpo de Cristo – A Igreja. Todas as nações têm esta possibilidade até mesmo para cumprir a promessa feita a Abraão em Gênesis 17.

 

Também é verdade que corremos os mesmos riscos que a nação de Israel correu, deixando-se levar pela infidelidade. Imagine que os fazedores de opinião não têm sido a Igreja, ao contrário, a "igreja" (grupos e movimentos religiosos) se deixa levar pelos filmes, novelas e todo o modismo que a mídia falada, televisiva ou jornalística nos impõem.

 

Trocamos de religião com a mesma facilidade em que os judeus trocavam de deuses. Trocamos de opinião com a mesma facilidade que trocamos nossas roupas. Somos tão vulneráveis que qualquer aborrecimento é motivo para brigarmos e nos afastarmos de nossa congregação como "é costume de muitos". Sem dúvida que dessa forma somos também infiéis. Por isto não gosto da frase: "Deus é fiel", pois ela nos desculpa de nossa infidelidade. É claro e certo que Deus é fiel. A questão é: Nós somos fiéis a Ele?

 

A IGREJA, COMO NOIVA DO SENHOR EXERCE A FIDELIDADE.

A Igreja é composta de membros e cada membro tem que ser trabalhado na fidelidade para que exerça a sua função com fidelidade. A mão não pode fazer o trabalho do pé, a barriga não executa o trabalho dos quadris e assim por diante.

 

Quando um dos membros não cumpre com sua missão, o corpo fica deficiente e na sua deficiência todos os demais membros ficam em prejuízo. Igreja deficiente se torna infiel por não executar o trabalho de evangelizar, ou seja, tirar das trevas para a luz os perdidos que são a causa da morte de Jesus na cruz - objetivo do amor de Deus (João 3:16).

 

A Apostasia Para Desviar a Noiva:


Você tem dúvida que existem irmãos dentro de igrejas locais que possuem espírito de engano, falando mentiras, pregando morte espiritual? Você acredita que existem crentes que pregam ensino de demônios; doutrinas estranhas? (Hb 13:9).

 

É importantíssimo lermos as seguintes passagens: (Atos 20: 28-32; 2a Timóteo 4:1-5; Tito 1:14; Gálatas 1:6-9; 2a Coríntios 11:3-6; Atos 15: 1 24; 1a Timóteo 1:3-7; 1a Pedro 2: 1-3, 20-22; Apocalipse 2:2, 6, 20-25 e 3:19).

 

A igreja do fim assistirá Satanás, o anticristo espiritual, ensinar doutrinas estranhas dentro das congregações locais. Homens dentro das igrejas usados por demônios se oporão sutilmente à sã doutrina e à verdadeira adoração de Deus que é em verdade e em espírito. Homens se colocarão à frente do rebanho, querendo ser adorados como Deus. O anticristo chegará "a ponto de assentar-se no santuário de Deus (a igreja) ostentando-se como se fosse o próprio Deus" (2a Ts 2:4, 9-10 + Mt 24:24). "Não sabeis vós (igreja) que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós... Pois o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado" (1a Co 3:16, 17, 21-23 + Ef 2:21, 22; 1a Pd 2:5; Ap 3:12; 11:1).

 

Uma igreja local deixa de correr o risco da apostasia à medida que cresce no conhecimento da verdade, na busca do pleno conhecimento de nosso Senhor e único Salvador Jesus Cristo, quando se deixa "levar para o que é perfeito" (Hb 6:1).

 

Somente existe uma maneira de não sermos levados por espíritos enganadores e doutrinas de demônios, que os ministérios estabelecidos por Jesus, com a confirmação do Espírito Santo e o reconhecimento verdadeiro e vigilante dos irmãos iluminados pela simplicidade da luz do Evangelho do Senhor Jesus Cristo, sejamos todos aperfeiçoados, "até que todos cheguemos a unidade da fé (uma mesma esperança e vocação) e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade (maturidade) a medida da estatura da plenitude de Cristo. Não precisamos ser maiores que nosso Mestre, ultrapassando com 'nossa sabedoria' a doutrina de Cristo, para não tornarmos cegos, guias de cegos" (Lc 6:39, 40; 1a Co 4:6). "Para que não sejamos mais meninos (crentes imaturos, criancinhas em Cristo), inconstantes, levados por todo vento de doutrinas, pelo engano dos homens que com astúcia induzem ao erro, antes seguindo a verdade (que é Cristo e não doutrina de homens) e em amor cresçamos (no sentido de tornarmos crentes adultos) em tudo naquele (pois sem ele nada podemos) que é a cabeça, Cristo, do qual todo corpo bem ajustado (pela cooperação de todos) e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte (ministérios, serviços e manifestações do Espírito Santo), faz o seu próprio crescimento para edificação de si mesmo (do próprio corpo de Cristo – a igreja local) em amor" (Ef 4:1-16).

 

Veja também sobre A TIPOLOGIA DA IGREJA DE JESUS CRISTO:

 - LIÇÃO 1

 - LIÇÃO 2

 - LIÇÃO 3

 - LIÇÃO 4

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida

 

 

22. out, 2014

"Acautelai-vos, porém, dos homens, porque eles vos entregarão aos sinédrios e vos açoitarão nas suas sinagogas; e sereis até conduzidos à presença dos governadores e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho, a eles e aos gentios."
(Mateus 10: 17, 18)

 

Antes de quaisquer comentários precisamos entender o que são as palavras SINÉDRIO e SINAGOGA, depois entender quem seriam estes senhores GOVERNADORES.

 

SINÉDRIO - Tribunal dos antigos judeus, em Jerusalém, composto de sacerdotes, anciãos e escribas, o qual julgava os assuntos criminais e administrativos. (sinedrim.) Grande sinédrio, tribunal, conselho supremo com sede em Jerusalém. Segundo alguns estudiosos, havia dois sinédrios. Os 23 membros do sinédrio político e civil provinham na maioria dos saduceus. Os 70 membros do sinédrio religioso, que era presidido pelo sumo sacerdote, provinham basicamente dos fariseus. Jesus foi julgado pelo sinédrio religioso. Pedro, João, Paulo e Estêvão foram levados também ao sinédrio, acusados de erro religioso. Depois da queda de Jerusalém em 70, o conselho entrou em decadência e desapareceu.

 

SINAGOGA - Templo onde os judeus se reúnem para o exercício de seu culto.
Assembléia de fiéis na religião judaica.

 

O MESTRE adverte neste texto, em Mateus, para que tivéssemos cautela dos homens caçadores de "pecadores", afinal seriam recompensados tanto pelo SINÉDRIO como pelas SINAGOGAS. Eram homens que se misturavam com o povo para descobrir quem seria capaz de se levantar contra o JUDAÍSMO – MOISÉS. Sem dúvida tinham seu ganho, assim como Judas fez com o MESTRE, entregando-o por "trinta moedas de prata".

 

Embora Israel estivesse sob a jurisdição romana, César era o rei supremo na terra. Segundo Daniel, em sua visão da estátua sobre os IMPÉRIOS, ROMA estava com a bola da vez. Embora isto fosse verdade, os romanos politicamente permitiam que os TRIBUNAIS DOS ANTIGOS JUDEUS, em JERUSALÉM, julgassem os assuntos criminais e administrativos, dando a entender que respeitava sua justiça, e, por isto Pilatos não vendo culpa no MESTRE buscou um atalho, apresentando JESUS e BARABAS para que o povo escolhesse a quem matar.

 

Tanto o SINÉDRIO POLÍTICO como o CIVIL tinha o dedo dos SADUCEUS que acreditavam em Deus, mas não acreditavam nos anjos e nem tão pouco na ressurreição e o MESTRE foi exatamente julgado por este SINÉDRIO RELIGIOSO composto em sua maioria pelos SADUCEUS e não pelos FARISEUS, que ao contrário, dos SADUCEUS, acreditavam em Deus, nos anjos e na ressurreição.

 

O SINÉDRIO, Tribunal dos Judeus, fazia seus julgamentos segundo seus SACERDOTES, ANCIÃOS e ESCRIBAS. Estes homens julgavam segundo seus interesses religiosos e políticos e, quem quer que fosse, se não estivesse sob a orientação política e religiosa deles, era levado, julgado e acoitado, em muitos outros casos, levado a morte.

 

O MESTRE sofreu a sansão deste TRIBUNAL, deste SINÉDRIO e depois de julgado, foi levado ao GOVERNADOR PILATOS para ser condenado. Esta história já conhecemos bem. O mesmo aconteceu à Paulo que, sendo cidadão romano, apela para César e por isto foi levado para Roma, mas antes teve vários julgamentos. Esta história também conhecemos e muito bem.

 

Já na SINAGOGA – Templo onde diziam exercerem CULTO A DEUS, sem dúvida nada racional, também se davam as ASSEMBLEIAS DOS FIÉIS A RELIGIÃO JUDAICA. Lá se discutia a TORÁ e ai de quem não estivesse em harmonia com o JUDAÍSMO. Lá também, segundo o MESTRE, eram açoitadas as pessoas e as transformavam em TESTEMUNHAS contra o MESTRE. Era de lá toda a força que mantinha o SINÉDRIO, ou O TRIBUNAL DOS JUDEUS com poderes que até ao IMPÉRIO ROMANO causava respeito.

 

Percebam bem, o texto de Mateus 10:17, fala de TESTEMUNHO para que até os gentios fossem enganados, pois estes, os gentios, se convertidos ao judaísmo, não passavam de PROSÉLITO. Pois bem, nem a estes poupavam de suas ignomínias o TRIBUNAL DOS JUDEUS, pois quando convertidos ao cristianismo passavam a pertencer ao CORPO DA IGREJA (não a templo ou religião), tendo como cabeça O MESTE JESUS.

 

HOJE, não houve muitas mudanças, isto é, nada mudou, apenas a embalagem. Não precisamos nos preocupar mais com o SINÉDRIO ou SINAGOGA – não mais existe o TRIBUNAL dos JUDEUS como instituição, mas a alma religiosa, julgadora, malvada e assassina ainda se mantém de pé com OS TRIBUNAIS RELIGIOSOS EVANGÉLICOS, que expulsam as pessoas de seus templos, negando "SUA DESTRA EM COMUNHÃO". Ainda apedrejam as mães solteiras e tantos outros que erram e estão sujeitos ao erro, criam barreiras naquilo que são preconceituosos e, sem dúvida, tem em seus membros homens e mulheres que caçam "pecadores" levando-os as suas ASSEMBLEIAS para açoitá-los com suas línguas compridas e carregadas de peçonhas. Pois bem, é desta casta que o MESTRE nos alerta dizendo: "Acautelai-vos, porem, dos homens, porque eles vos entregarão aos seus SINÉDRIOS e vos açoitarão nas suas SINAGOGAS".

 

No nosso proximo encontro daremos continuidade, trazendo outra ADMOESTAÇÃO do Mestre que nos ensinará a ter paciência e a não preocupação na fala em sua defesa. Aguardem!

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida

 

 

15. out, 2014

(Mateus 16:18). 

 

JUDAÍSMO: TIPO DE IGREJA? 

IGREJA: Mateus 16: 18.
REINO: Mateus 16: 19.
EVANGELHO: Romanos 1: 16-17.

 

 

"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Como, pois, invocarão aquele em quem não creram?
E como crerão naquele de quem não ouviram?
E como ouvirão, se não há quem pregue?
E como pregarão, se não forem enviados?
Como está escrito: ‘Quão formosos os pés dos que anunciam o Evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas’".

(Romanos 10:14-21)

 

1º Como invocar se não acreditam?
2º Como crerão se não ouvirem?
3º Como ouvirão se não pregam?
4º Como pregar se não são enviados?
5º Os pés dos enviados à anunciarem as Boas Novas são formosos e levam alegria!

 

TEXTOS: (Será de grande ajuda a leitura cuidadosa, repito, cuidadosa do capítulo 7 de Atos dos versículos 1 ao 53 e o capítulo 10 de Romanos. Por favor: uma leitura muito cuidadosa).

 

"O qual nos fez também capazes de ser ministros de um Novo Testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. E se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não poderiam fitar os olhos de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, como não será de maior glória o ministério do Espírito? Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça. Porque também o que foi glorificado nesta parte não foi glorificado, por causa desta excelente glória. Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece. Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar. E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido; e até hoje, quando é lido Moisés , o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará" (2a Coríntios 3:6-16).

 

"Mas, quando vi que não andavam bem, e direitamente conforme a verdade do Evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? Nós somos judeus por natureza, e não pecadores dentre os gentios. Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procurarmos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma" (Galatas 2: 6-14).

 

"Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos ás alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças para criar em si mesmo dos dois um novo homem fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longes, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito" (Efésios 2: 11-18).

 

 

ISRAEL TIPIFICA A HISTÓRIA DO HOMEM ANTES DO ARREPENDIMENTO. A IGREJA CONTA A HISTÓRIA DO HOMEM SEM CONDENAÇÃO PÓS CRUZ.

"Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das grevas para a sua maravilhosa luz" (1a Pedro 2:9).

 

A Igreja tem muito a ensinar a Israel como se tornar filhos de Deus. É importante notarmos que no antigo pacto, Israel tornou-se egoísta até mesmo com os seus meios irmãos nascidos de Quetura, Sara e etc., dizendo e apregoando que Deus era e é exclusividade deles. O judaísmo tornou-se uma religião não missionária, ao contrario da Igreja: "Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra" (At 1:8). Lembram da animosidade existente entre judeus e samaritanos?

 

É importante notarmos a diferença existente entre Gênesis 17: 1-8; Êxodo 19: 5-6 para com 1a Pedro 2:9. Vejamos:

 

- Em Gênesis é instituída a Aliança Patriarcal da Promessa.
- Em Êxodo a Aliança da Lei entre reis e profetas.
- Em Pedro a característica da Nova Aliança (Hb 8:13; 9:11-20; 10:1-10).

 

Se na primeira Aliança o Patriarca fazia sacrifício para a sua família; na Segunda os sacerdotes para o povo; já na Nova Aliança a presença patriarcal e dos sacerdotes não é mais necessária. Agora pulamos dos sacerdotes para o SACERDÓCIO e de uma nação judaica para geração eleita e povo adquirido para a missão de salvar todas as demais nações, assim como na primeira aliança feita a Abraão.

 

No texto 1a Coríntios 10:1-13, logo no v. 5, apesar de todas aquelas cerimônias dos versículos que antecedem diz Paulo que Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto. Para ser mais específico: somente Josué e Calebe entraram na Terra Prometida. Todos os que saíram do Egito morreram no deserto e quanto a Igreja que milita hoje, diz a promessa que são em maior quantidade que as estrelas no céu e grãos de areia na praia. São chamados de idólatras, prostitutos, tentadores de Cristo tendo por isto o infortúnio das serpentes, murmuradores. Portanto figuras não da igreja, mas sim dos apostatas e por fim, no v 13 uma admoestação nos exortando a não cairmos na mesma tentação, mas que sejamos fiel, pois Deus é fiel e não nos deixará tentar acima do que podeis.

 

É claro que os judeus caíram exatamente por não terem um Advogado como tem a Igreja para nos oferecer, pois as misericórdias do Senhor são as razões para não sermos consumidos. Sofreu e sofre Israel exatamente por não ter o Advogado (1a João 2:1). Triunfa a Igreja por aceitar o rejeitado Advogado: "Jesus veio para os seus e os seus não o receberam; mais a todos que o receberem deu-lhes Deus o poder de serem feitos filhos de Deus" (Jo 11:13).

 

 

NA MAIOR ALEGORIA E LIDERANÇA O JUDAÍSMO TAMBÉM É DIFERENCIADO DA IGREJA: BATISMO E SACERDÓCIO.

O Batismo nas águas e nas nuvens é puramente um cerimonial, notem que este batismo que Israel passou no "Mar Vermelho" não o salvou da morte no deserto. Da mesma maneira os batismos nas águas no meio dos evangélicos não os libertam do pecado, o batismo de morte é que leva o cristão a ressurreição (Lc 12:50 e Rm 6).

 

As revistas dominicais usam as confidências históricas para comparar o povo judeu com o povo pagão e isto é legítimo. Nós, os cristãos, estamos levando aos judeus as suas derrotas religiosas e mostrando a doutrina do Evangelho para que por meio deste o judaísmo se converta. É necessário que não esqueçamos que o sacerdote da aliança em Êxodo era da linhagem Levítica e o SACERDÓCIO da Nova Aliança é segundo Melquisedeque.

 

Como Igreja não temos a mesma história com os judeus exatamente para não termos o mesmo fim. Como Igreja temos a CHAVE para abrir as portas do REINO para todos eles. Somos hoje a luz do mundo e o sal da terra, pois ninguém vai ao Pai a não ser por Jesus e tanto é verdade que após a sua morte Cristo foi ao Hades e pregou para as almas que estavam em prisão desde a época de Noé e trouxe cativo o cativeiro que estava no Seio de Abraão (Ef 4:8-9; 1a Pd 3:18-20).

 

CONCLUSÃO:


Israel cometeu vários erros. A Igreja tem que ser maculada.

 

É observada a nação de Israel como exemplo negativo de fé e comportamento e isto é verdadeiro, portanto Israel precisa olhar, conhecer e entender a verdadeira Igreja; assim aprender a acertar. Devemos ler e compreender que a Bíblia está cheia de lições de erros e comportamentos judaizantes e que o Evangelho é a única Carta Magna de Deus, pois é o poder dele para todo aquele que nele crer. É necessário conhecermos esta OPERAÇÃO DO ERRO (1a Ts 2:11) em toda a Bíblia e saibamos separa-los com a Espada do Espírito que é a Palavra de Deus _ o Evangelho.

 

 

Veja também sobre A TIPOLOGIA DA IGREJA DE JESUS CRISTO

- LIÇÃO 1

- LIÇÃO 2

- LIÇÃO 3

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida

 

 

 

14. out, 2014

(Mateus 16:18) 

A Igreja não pode ser comparada a nada, pois o seu fundador é o primogênito, o primeiro a ser glorificado. Ele é a primícia dos que dormem (1ª Co 15:20). Da Igreja, só a cabeça teve a ascensão, os demais membros ainda terão que se metamorfosear, daí a passagem de Lucas 12:50, texto que diz sobre o batismo de morte e do ressuscitar em sua ressurreição (Rm 6:3-6).

 

Não nos comparamos com o judaísmo exatamente por não termos as mesmas regras de fé e nem seus costumes. Nosso batismo, cerimônias etc., são totalmente diferenciados. Não somos uma republiqueta religiosa judaica oriunda dos ensinos dos missionários americanos. A Igreja é um órgão vivo que alivia e cura nossas dores de alma, chegando ao nosso corpo físico com resultados positivos (Hb 4:12).

 

A parábola em Lucas 13:18-21 não nos apresenta qualquer tipologia da Igreja. Não faz alusão a ela, mas sim ao Reino de Deus. Reino este que tem na Igreja a sua única representante na terra. Portanto, todos os tipos nas parábolas, neste sentido, fala do Reino e não podemos interpretar o Reino como se fosse Igreja. Aliás, Igreja não salva ninguém __ O Evangelho é o passaporte para a Igreja que nos levará ao Reino.

 

Desde os idos no Velho Testamento que Deus quis que os patriarcas, Reis e Profetas propagassem o Reino dEle à todos os homens, por exemplo: Gn 17 e Êx 19. Não podemos esquecer que o Evangelho foi preanunciado a Abraão (Gl 3:5), no entanto não conseguiram, pois não alcançaram a promessa __ a Igreja (Hb 11:39). Somente Jesus sabia do Reino e mesmo assim não o pode propagar, pois ao tornar-se a cabeça da Igreja, deixou seu legado, o Evangelho para que os membros de seu corpo mostrassem ao mundo o poder e a justiça existente neste Reino (Rm 1:16-17; Mt 4:23-25; Mc 16:15-16).

 

 

Veja também sobre A TIPOLOGIA DA IGREJA DE JESUS CRISTO:

- LIÇÃO 1

- LIÇÃO 2

 

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida

 

 

12. out, 2014

ALGUNS ENSINOS (Admoestação 1ª)

 

"Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas."

(Mateus 10:16).

 

Vamos usar este texto em Mateus e nele vamos buscar algumas aulas da "ESCOLA DO MESTRE".

 

Nesta Escola não existe aluno(a) que apenas enriquece seu conhecimento retendo para si as informações. Não! Todo(a) aluno(a) formado(a) na "ESCOLA DO MESTRE" já está fadado(a) a ser "ENVIADO(A)" ao campo do ENSINO.

 

É importante notar que o MESTRE, assim como os times de futebol, tem seus MASCOTES, exemplo:
O CORÍNTIAS é o GAVIÃO;
O PALMEIRAS é o PORCO;
O FLAMENGO é o URUBU;
O CRUZEIRO é a RAPOSA;
O ATLÉTICO MINEIRO é o GALO e etc.

 

O CRISTIANISMO tem a OVELHA como seu símbolo maior. Por quê? A OVELHA é o único animal que, além de sua força está concentrada em sua cabeça, derrubando um boi com uma só cabeçada, é também o único animal que, quando morto, não esboça qualquer reação ou gemido. Por isto Isaías fala que o Mestre foi levado a CRUZ como OVELHA, sem reclamar, muda e nenhum questionamento. Por isto João Batista nas margens do Jordão, ao batizar Jesus testemunhou dizendo: "Eis o CORDEIRO de DEUS que tira o PECADO do mundo".

 

Na "ESCOLA DO MESTRE" ser "OVELHA" não quer dizer ser sofredor, ou escolhido para ser morto, o MESTRE já fez isto por nós, tanto é verdade que o texto nos alerta dizendo: "... envio como ovelha..., sede, PRUDENTES. A palavra PRUDENTE nos dá a instrução de JUÍZO. Se lembra do dente CISO? O dente do juízo, o dente que dá o testemunho que já somos adultos? O MESTRE nos ensina que ao sair de sua "ESCOLA" você precisa ser também MESTRE, do contrário você estará expondo o CRISTIANISMO e o MESTRE ao vitupério e o crucificando-o outra vez.

 

Aconselha-nos usar a PRUDENCIA, ou seja, ter jogo de cintura. Agir politicamente como Paulo em sua luta em propagar o EVANGELHO. Agir sempre como o MESTRE quando indagado tantas vezes sobre o REINO e tanto sobre sua FILIAÇÃO VINDA DO PAI. Ele a todos respondia sempre interessado em ganhar as pessoas para o PAI, e assim DESPOVOAR O INFERNO.

 

Esta PRUDÊNCIA, o MESTRE usa também dois exemplos de animais: A POMBA e a SERPENTE. Você sabe o porquê desta comparação?

 

A POMBA não é um animal de carne farta para se comer e, além disto, traz uma série de doenças, não falando do barulho, dos piolhos e mau cheiro de amoníaco existente onde dormem. Pois bem, O MESTRE alheio a tudo isto, só usa a SIMPLICIDADE deste animal e sua beleza, pois tendo tantas coisas contra sua vida, anda e voa tranquilamente entre os homens, os mais prejudicados por elas. A sua simplicidade ganhou aquele que mais prejudica – o homem.

 

A SERPENTE, esta é venenosa, traiçoeira e mortal, no entanto ela é PRUDENTE. Sabe que não é bem vinda entre os homens. Encolhe-se, se arma no bote e se defende quando atacada. Você sabia que SERPENTE é o símbolo da CIÊNCIA? Nos anéis dos médicos está a SERPENTE em sua lateral, e engraçado, de pé em uma haste.

 

O CRISTÃO, portanto, o aluno do MESTRE da "ESCOLA DO MESTRE" tem três características muito importantes no reino animal, já que, segundo Paulo é primeiro este animal a aparecer (1ª Co. 15:46):

 

1ª – A CARACTERÍSTICA da OVELHA – mansa, mas de cabeça poderosa;
2ª – A CARACTERÍSTICA da POMBA – sem aparência de serventia, mas de uma simplicidade única e
3 – A CARACTERÍSTICA da SERPENTE – sendo perseguida se arma em bote e se defende usando a sua ciência.

 

Na próxima aula daremos continuidade a este texto, usando o versículo 17.

 

Aguardem.

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida