15. out, 2014

A TIPOLOGIA DA IGREJA DE JESUS CRISTO - 4ª LIÇÃO

(Mateus 16:18). 

 

JUDAÍSMO: TIPO DE IGREJA? 

IGREJA: Mateus 16: 18.
REINO: Mateus 16: 19.
EVANGELHO: Romanos 1: 16-17.

 

 

"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Como, pois, invocarão aquele em quem não creram?
E como crerão naquele de quem não ouviram?
E como ouvirão, se não há quem pregue?
E como pregarão, se não forem enviados?
Como está escrito: ‘Quão formosos os pés dos que anunciam o Evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas’".

(Romanos 10:14-21)

 

1º Como invocar se não acreditam?
2º Como crerão se não ouvirem?
3º Como ouvirão se não pregam?
4º Como pregar se não são enviados?
5º Os pés dos enviados à anunciarem as Boas Novas são formosos e levam alegria!

 

TEXTOS: (Será de grande ajuda a leitura cuidadosa, repito, cuidadosa do capítulo 7 de Atos dos versículos 1 ao 53 e o capítulo 10 de Romanos. Por favor: uma leitura muito cuidadosa).

 

"O qual nos fez também capazes de ser ministros de um Novo Testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. E se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não poderiam fitar os olhos de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, como não será de maior glória o ministério do Espírito? Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça. Porque também o que foi glorificado nesta parte não foi glorificado, por causa desta excelente glória. Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece. Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar. E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido; e até hoje, quando é lido Moisés , o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará" (2a Coríntios 3:6-16).

 

"Mas, quando vi que não andavam bem, e direitamente conforme a verdade do Evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? Nós somos judeus por natureza, e não pecadores dentre os gentios. Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procurarmos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma" (Galatas 2: 6-14).

 

"Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos ás alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças para criar em si mesmo dos dois um novo homem fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longes, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito" (Efésios 2: 11-18).

 

 

ISRAEL TIPIFICA A HISTÓRIA DO HOMEM ANTES DO ARREPENDIMENTO. A IGREJA CONTA A HISTÓRIA DO HOMEM SEM CONDENAÇÃO PÓS CRUZ.

"Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das grevas para a sua maravilhosa luz" (1a Pedro 2:9).

 

A Igreja tem muito a ensinar a Israel como se tornar filhos de Deus. É importante notarmos que no antigo pacto, Israel tornou-se egoísta até mesmo com os seus meios irmãos nascidos de Quetura, Sara e etc., dizendo e apregoando que Deus era e é exclusividade deles. O judaísmo tornou-se uma religião não missionária, ao contrario da Igreja: "Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra" (At 1:8). Lembram da animosidade existente entre judeus e samaritanos?

 

É importante notarmos a diferença existente entre Gênesis 17: 1-8; Êxodo 19: 5-6 para com 1a Pedro 2:9. Vejamos:

 

- Em Gênesis é instituída a Aliança Patriarcal da Promessa.
- Em Êxodo a Aliança da Lei entre reis e profetas.
- Em Pedro a característica da Nova Aliança (Hb 8:13; 9:11-20; 10:1-10).

 

Se na primeira Aliança o Patriarca fazia sacrifício para a sua família; na Segunda os sacerdotes para o povo; já na Nova Aliança a presença patriarcal e dos sacerdotes não é mais necessária. Agora pulamos dos sacerdotes para o SACERDÓCIO e de uma nação judaica para geração eleita e povo adquirido para a missão de salvar todas as demais nações, assim como na primeira aliança feita a Abraão.

 

No texto 1a Coríntios 10:1-13, logo no v. 5, apesar de todas aquelas cerimônias dos versículos que antecedem diz Paulo que Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto. Para ser mais específico: somente Josué e Calebe entraram na Terra Prometida. Todos os que saíram do Egito morreram no deserto e quanto a Igreja que milita hoje, diz a promessa que são em maior quantidade que as estrelas no céu e grãos de areia na praia. São chamados de idólatras, prostitutos, tentadores de Cristo tendo por isto o infortúnio das serpentes, murmuradores. Portanto figuras não da igreja, mas sim dos apostatas e por fim, no v 13 uma admoestação nos exortando a não cairmos na mesma tentação, mas que sejamos fiel, pois Deus é fiel e não nos deixará tentar acima do que podeis.

 

É claro que os judeus caíram exatamente por não terem um Advogado como tem a Igreja para nos oferecer, pois as misericórdias do Senhor são as razões para não sermos consumidos. Sofreu e sofre Israel exatamente por não ter o Advogado (1a João 2:1). Triunfa a Igreja por aceitar o rejeitado Advogado: "Jesus veio para os seus e os seus não o receberam; mais a todos que o receberem deu-lhes Deus o poder de serem feitos filhos de Deus" (Jo 11:13).

 

 

NA MAIOR ALEGORIA E LIDERANÇA O JUDAÍSMO TAMBÉM É DIFERENCIADO DA IGREJA: BATISMO E SACERDÓCIO.

O Batismo nas águas e nas nuvens é puramente um cerimonial, notem que este batismo que Israel passou no "Mar Vermelho" não o salvou da morte no deserto. Da mesma maneira os batismos nas águas no meio dos evangélicos não os libertam do pecado, o batismo de morte é que leva o cristão a ressurreição (Lc 12:50 e Rm 6).

 

As revistas dominicais usam as confidências históricas para comparar o povo judeu com o povo pagão e isto é legítimo. Nós, os cristãos, estamos levando aos judeus as suas derrotas religiosas e mostrando a doutrina do Evangelho para que por meio deste o judaísmo se converta. É necessário que não esqueçamos que o sacerdote da aliança em Êxodo era da linhagem Levítica e o SACERDÓCIO da Nova Aliança é segundo Melquisedeque.

 

Como Igreja não temos a mesma história com os judeus exatamente para não termos o mesmo fim. Como Igreja temos a CHAVE para abrir as portas do REINO para todos eles. Somos hoje a luz do mundo e o sal da terra, pois ninguém vai ao Pai a não ser por Jesus e tanto é verdade que após a sua morte Cristo foi ao Hades e pregou para as almas que estavam em prisão desde a época de Noé e trouxe cativo o cativeiro que estava no Seio de Abraão (Ef 4:8-9; 1a Pd 3:18-20).

 

CONCLUSÃO:


Israel cometeu vários erros. A Igreja tem que ser maculada.

 

É observada a nação de Israel como exemplo negativo de fé e comportamento e isto é verdadeiro, portanto Israel precisa olhar, conhecer e entender a verdadeira Igreja; assim aprender a acertar. Devemos ler e compreender que a Bíblia está cheia de lições de erros e comportamentos judaizantes e que o Evangelho é a única Carta Magna de Deus, pois é o poder dele para todo aquele que nele crer. É necessário conhecermos esta OPERAÇÃO DO ERRO (1a Ts 2:11) em toda a Bíblia e saibamos separa-los com a Espada do Espírito que é a Palavra de Deus _ o Evangelho.

 

 

Veja também sobre A TIPOLOGIA DA IGREJA DE JESUS CRISTO

- LIÇÃO 1

- LIÇÃO 2

- LIÇÃO 3

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida