5. fev, 2015

O BOM E O MAU - Aula 70

[Mateus 12:35]

 

O HOMEM BOM - BOM TESOURO.

O HOMEM MAU - MAU TESOURO.

 

Temos em Romanos 3:23 a afirmação que todos pecaram e destituídos foram da glória de Deus, mas, em contra partida, Èfesios 1:3 reafirma que fomos abençoados. É claro que não existe nenhuma contradição no que Paulo escreve, existe sim O HOMEM com duas características interessantes e que necessita de avaliação.

 

Na carta de Tiago 3:10 encontramos um texto importantíssimo que diz: “de uma mesma boca procede a bênção e maldição...” e em Mateus 23:24 à 28 uma espantosa explicação de Jesus: “Condutores de cegos! Coais com um mosquito e engolis um camelo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que limpais o exterior do corpo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniqüidade. Fariseu cego! Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia. Assim, também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniquidade”.

 

É importante frisar também uma outra face de Jesus. Ao mesmo tempo em que ele fala da interioridade do HOMEM; BOM e MAU, ele também se mostra psicologicamente. Vejamos Mateus 26:38: “... A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui e vigiai comigo”. Jesus com sua alma profundamente triste até a morte e pedindo que alguém o ajude na vigilância. Duas naturezas que estavam se guerreando? Não é este texto mais uma prova de sua humanidade?!

 

 

I – IMITADORES DE CRISTO:

Quando o VERBO se fez carne foi exatamente como disse Paulo, que fossemos IMITADORES de Cristo __ Paulo disse: “... sejam meus imitadores como sou de Cristo Jesus”.

 

Quando falamos em sermos cristãos significa sermos IMITADORES não nos “milagres” físicos, mas sim nas lições e aprendizados que sempre acontecem nas tribulações, pois o exercício na dor (mau) nos proporciona saber o que existe no nosso oculto. A vida sem luta não nos torna conhecedores das bênçãos existentes no oculto, ficamos somente com as derrotas externas promovidas pelo interno.

 

IMITAR Cristo é saber, aliás, Paulo fala sobre isto dizendo: “E sabemos que...” (Rm 8:28). IMITAR Cristo significa o fazer exatamente o que ele fez e o mais importante nele foi não falar dele mesmo e realizar a obra do Pai, isto é: Trazer à todos as BOAS NOVAS de SALVAÇÃO.

 

 

II - CONHECENDO AQUELE QUE É EXEMPLO DE IMITAÇÃO:

Jesus fala em Mateus 26:53: “Ou pensas tu que eu não poderia, agora, orar a meu Pai e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos?” (É bom usarmos também Mc 14:19 e Lc 22:53) e para provar a verdade destas palavras usaríamos a prova das mesmas em Mateus 4:11: “Então, o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos e o serviram”.

 

Estes dois textos são extraordinários e dignos de uma hermenêutica divina. O primeiro texto mostra que ele, como humano, é bom frisar isto, caso contrário como poderíamos emita-lo já que estamos vivendo uma experiência humana? Ele como humano, portanto possuía poder. É claro, as BOAS NOVAS são poder para todo aquele que crer (Rm 1:16), poder para usar legiões de anjos para lhe servirem. O segundo texto prova a eficácia do primeiro texto quando, após o batismo é tentado pelo diabo, logo após, é servido por um anjo.

 

Jesus tinha, portanto um dispositivo dentro dele, mais ou menos como uma carta na manga, ou melhor, dizendo: a lei do espírito estava a sua disposição só bastava conhece-la para usa-la, exatamente como nós. Se formos criadores de nossos males, sem dúvida teremos de ser construtores do bem. Basta tão somente tomarmos posse desta verdade.

 

Todo bom advogado usa sempre uma lei escondida para ganhar a sua causa e o advogado desavisado perde por não conhecer melhor a lei, aliás Jesus fala sobre isto, dizendo que erramos por não conhecermos as ESCRITURAS e o PODER de DEUS __ o EVANGELHO.

 

 

III – FOMOS ABENÇOADOS, MAS CRIAMOS NOSSAS INVENÇÕES: (Éf 1:3 e Ec 7:29).

 

É necessário descobrirmos qual das duas forças rege nossa alma:

A-A força da bênção constituída de Deus ou

B-A força da invenção destituída do homem.

 

Necessitamos atentarmos para Deuteronômio 30:15 e 19.

 

Paulo fala do interior em guerra (Rm 7:14, 15, 19, 21; Tg 4:1).

 

Ele é claro quando diz que guerreamos contra nós mesmos, isto é: lutamos para vencer as leis internas que buscam parcerias com os membros infectando-os com o mal inventado pelo homem; isto é, lutamos para vencer as leis internas que buscam parcerias com as leis externas __ a alma destituída luta com o FRUTO do ESPÍRITO e a alma tem como aliada as OBRAS implantadas na CARNE (Gálatas 5:19 a 23).

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida