26. jul, 2014

TEXTOS LOCAIS - (Aula 16)

A teoria dos "textos locais" (babilônicos, egípcios e palestinos), foi questionada em alguns de seus aspectos. A pluralidade de textos do Antigo Testamento (AT) parece dever-se, em parte, à duplicidade ou pluralidade de edições dos próprios livros bíblicos ("edições duplas"), e, em parte às tendências "expansionistas" de algumas correntes de transmissão textual.

 

O estudo dos manuscritos bíblicos de Qumrã afiançou o valor do texto hebraico massorético, mas supôs também uma revalorização das versões, em particular dos LXX (e da Vetus latina), que em muitas ocasiões reflete fielmente um texto hebraico diferente e mais antigo que o massorético. Tudo isto contribuiu para o renascimento dos estudos de crítica textual do AT, um tanto aletargados nas décadas anteriores ao aparecimento de novos materiais. Redimensionou-se ao mesmo tempo o problema das relações entre crítica textual e a crítica literária e entre o que se entende por texto crítico e o que é um texto autorizado ou canônico.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida