18. out, 2014

CARACTERISTICA GRAMATICAL - (Aula 28)

Os primeiros escribas judeus podem ter deixado no texto indicações de caráter gramatical que não devem ser confundidas com o próprio texto bíblico, pelo que o filólogo deve conhecer as técnicas utilizadas pelos escribas nas cópias de manuscritos. Na expressão do Sl 61:8b, "Graças e a lealdade (+ mn) o protegerão", as consoantes 'mn' não aparecem em alguns testemunhos do texto nem se encontram na passagem similar de Pr. 20:28, pelo que resulta tentadora a proposta de supri-las (cf. BHS). Trata-se seguramente de uma indicação introduzida pelo escriba: 'mn' é uma abreviatura de 'malé nûn' ('plene nun'), pela qual se averte que o 'nûn' do verbo no tempo futuro, que segue imediatamente, não se lide, mas que há de escrever-se em sílaba fechada não acentuada. Estas duas consoantes não devem ser consideradas, portanto, como a partícula hebraica 'min' ("de", "desde") nem como o pronome aramaico interrogativo 'man' ("quem").

 

Em suas origens o hebraico dispunha de terminações específicas para indicar o caso dos nomes. Todavia, o mesmo aconteceu na evolução das línguas românticas a partir do latim. Os casos terminaram desparecendo e as relações de dependência começaram a ser expressas através da ordem das palavras mediante a utilização de partículas. Para expressar a relação de genitivo o hebraico dispõe da forma chamada "construta'. A perda dos casos na língua hebraica determinou uma mudança de língua sintética para língua analítica. Esta passagem todavia não está completa pois o hebraico ainda conserva o estado construto.

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida