8. ago, 2014

ESCATOLOGIA: AULA 4 - AS OITO ALIANÇAS

1ª ALIANÇA: Edêmica - Esta aliança, que condicionou a vida do homem no estado da inocência, é denominada de - ALIANÇA EDÊMICA (Gn.1:28). Por esta aliança Deus concedeu ao homem plena inteligência, intuição e capacidade administrativa, pelas quais regeria toda a criação na qualidade de responsável perante Deus.

 

Esta aliança tem "sete responsabilidades": que homem e a mulher, no Éden, haviam de:
Encher a terra de uma nova ordem – humana.
Subjugar a terra ao proveito humano.
Ter domínio sobre a criação animal.
Comer dos frutos sem restrições, conforme Deus falou.
Zelar pelo Jardim: "... lavrar e guardar".
Abster-se de comer da Árvore da Ciência do bem e do mal.
A penalidade pela desobediência: a morte. Adão e sua mulher estavam divinamente advertidos. Mas infelizmente falharam e, necessariamente, foi preciso Deus estabelecer com eles, já dentro dos limites da dispensação da consciência, uma Segunda aliança: a adâmica.

 

2ª ALIANÇA: Adâmica -  Esta aliança determina a vida do homem decaído, marcando condições que prevalecerão até a época do Reino, quando "... a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus" (Rm. 8:21b).

 

São os seguintes os elementos desta aliança:

A serpente, instrumento da oposição do livre-arbítrio e hoje símbolo da ciência, não para depois o sim, isto é: todo invento tem suas frustrações primeiras, depois a realização.

 

Após o 1º Adão (animal, ou não) a primeira promessa de um Redentor: esmagará a cabeça da serpente, da oposição (Satanás).

 

A condição da mulher, mudada em três sentidos: Conceição da mulher multiplicada (Gn. 3:16a); Maternidade ligada com sofrimento (Gn. 3:16b); Sujeição ao homem (Gn. 3:16c). Esta sujeição foi ocasionada pela ordem do pecado, então torna necessário o governo, que compete ao homem (Ef. 5:22-25; 1ª Tm. 2:11-14).

 

A terra amaldiçoada por causa do homem. Mas o Criador acrescenta para Adão: é melhor para o homem caído lutar com uma terra difícil, do que viver sem trabalhar (alterado).

 

O inevitável cansaço da vida.

 

O leve trabalho do Éden (Gn. 2:15, mudado par serviço laborioso (Gn3: 18-19).

 

A morte física (Gn. 3:19; Rm. 5:12, 21); para a morte espiritual também já havia sentença: a morte estava dentro dele (Gn. 2:17; Lm. 1:20) se viesse a desobedecer.

 

3ª ALIANÇA: Noélica - (Gn. 9:1-17; segundo o doutro C. I Scofield, suas bases são): Confirmação de que o homem seria relacionado à terra, conforme a aliança adâmica (Gn. 8:21).

 

Confirmação da ordem da natureza (Gn. 8:22).

 

Estabelecimento do governo humano (Gn. 9:1-6).

 

Garantia de que a terra não sofreria outro dilúvio universal (Gn. 8:21; 9:11).

 

Declaração de que Cão procederia uma posteridade inferior e servil (Gn.9:24,25).

 

Declaração profética de que haveria uma relação espiritual entre Deus e Sem (Gn. 9:26, 27).

 

Declaração profética de que Jafé procederiam as raças: "dilatadas", em que governos, ciências e artes, etc., deveriam ser, geralmente, deste filho de Noé. (Gn. 9:27) Assim, a história tem confirmado exato cumprimento dessas declarações.

 

4ª - ALIANÇA: Abraâmica - Esta aliança começa em Gênesis 12:1-3 e ss e é confirmada em Gênesis 13:14-17; 15:4, 5,17,18. A aliança abraâmica, segue também, paralelamente a ordem das anteriores, isto é, contém também sete partes distintas, que são:


"... far-te-ei": em dois sentidos:
a- Natural.
b- Espiritual


"... abençoar-te-ei": "em dois sentidos"
Materialmente (Gn. 13:114, 15,17 ess)
Espiritualmente (Gn. 15:6; Jo. 8:56).


"... engrandecerei o teu nome".
Abrão: Anterior.
Abraão: Posterior. Nome que se universaliza.


"... tu serás uma bênção" (Gn12: 2). Convém notar que o termo "aliança" aparece por 300 vezes na Bíblia. Porém no Novo Testamento ocorre somente 33 vezes. Quase metade destas ocorrências se acham em citações que vêm do A.T, e outras 5 claramente se alude a declarações do A.T, mas sempre com o sentido de uma "aliança maior" ou "aliança superior". Mas, é evidente que, em todas essas conexões, alude-se direta ou indiretamente ao nome de Abraão.


"... abençoarei os que te abençoarem".
"... amaldiçoarei os que te amaldiçoarem. Até hoje costuma ir mal a nação ou povo que persegue os judeus".
"... em ti serão benditas todas as famílias da terra". Esta é a grande promessa evangélica, cumprida na descendência de Abraão, personificada em Cristo (Gl. 3:16).

 

5ª ALIANÇA: Lei - A aliança mosaica foi dada a Israel com três divisões, cada uma essencial as outras, e conjuntamente formado a aliança mosaica. São:

 

Os Mandamentos: expressões da vontade de Deus para seu povo (Ex 20:1-26).
Os Juízos; governos da vida social de Israel (Ex.21:1 a 24:11).
As Ordenanças; governando a vida religiosa de Israel (Ex 24: a 31:18). Estes três elementos formaram um só sistema religioso.

 

Semelhantemente, a Lei foi dada de três maneiras, a saber:

Verbalmente (Ex.20:1-17). Isto era Lei pura, sem nenhuma provisão de sacerdócio ou sacrifícios, e foi acompanhado das "ordenanças" (Ex. 21:1 a 23:13), relativas às relações de hebreus com hebreus, a isto foi acrescentado Ex.23:14-19, direções referentes às três festas anuais (Ex.23:30-33), e instruções sobre a conquista de Canaã).

 

Esta palavra Moisés comunicou ao povo (Ex 24:3-8). Imediatamente, na pessoa dos seus anciãos; foram admitidos à presença de Deus (Ex 24:9-11).

 

Moisés foi então chamado por Deus ao monte para receber as Tábuas de Pedra (Ex 24:12-18). A história então se divide. Moisés no monte recebe instruções referentes ao Tabernáculo, sacerdócio e Sacrifícios (Ex 25:1 a 31:1 ss). No entanto o povo (Ex 32:1 ss) chefiado por Arão transgride o primeiro mandamento; Moisés voltando do monte, quebra as Tábuas, escrita pelo dedo de Deus (Ex 31:18; 32:16-19). A segunda Tábua é feita, e a Lei escrita novamente por Moisés na presença de Deus (Ex 34:28, 29).

 

6ª - ALIANÇA: Palestina - Esta aliança, segundo alguns eruditos, está registrada em Deuteronômio 28:1 a 30:1. Clara e detalhadamente Deus revela a felicidade que acompanharia uma vida de obediência através das alianças. Notemos as condições impostas por Deus sobre ela:

 

De ouvir atentamente a voz de Deus (28:1).
De observar e fazer, andando nos caminhos do Senhor (28:9).
De não desviar de nenhuma das suas palavras (29:14).
Uma vida tranquila e abençoada em qualquer parte, na cidade ou no campo (28:3).
Família abundante (28:4).
Bom êxito nos trabalhos manuais (28:8)
Honra entre as nações vizinhas (28:1).
Vitória nas guerras (28:7).

 

Como confirmação desta aliança Deus estabelece uma nova forma de circuncisão: a do coração: (30:6). Quando Deus promete vitória nas guerras Ele não está falando em guerra onde existem mortes e sim na guerra em que a vitória está no tirar a oposição da ignorância do conhecimento de Deus, aliás, este foi o pacto que Adonai fez com Abrão, mudando para Abraão que quer dizer pai de muitas nações através da guerra da circuncisão do coração. Portando, além de Dt. 30:6 é bom lermos Gn. 17.

 

7ª - ALIANÇA: Davi - Após os primeiros 450 anos de fidelidade da parte de Deus e de infidelidade da parte do homem, Israel acrescentou mais um pecado à longa lista de transgressões contra a lei de Deus. Israel se enfadou de sua relação teocrática em favor das demais nações e queria ser igual às outras. A nação pediu a Samuel, um rei. Deus respondeu, mas versaticamente: "... dei-te um rei na minha ira, e o tirei no meu furor" (Os. 13:11). O mal que Saul praticou e o desapontamento que causou a Israel serviram para preparar o caminho para a escolha de Davi, filho de Jessé.

 

Com este jovem Deus fez aliança, dizendo "Fiz um concerto com o meu escolhido; jurei ao meu servo Davi: A tua descendência estabelecerei para sempre..." (Sl. 89:4,28). Desta aliança surgiu o Messias: "... que nasceu da descendência de Davi segundo a carne" (Rm. 1:3b). Portanto, esta aliança com Davi teve um caráter eterno (IIº Sm. 7:16).

 

8ª - ALIANÇA: Eterna - Esta aliança que é também denominada "de A NOVA ALIANÇA". A nova aliança, portanto, é um "legado" da graça divina e ela entrou em vigor com a morte de Cristo (1ª Pd. 1:4). Essa aliança que foi prometida em Jeremias 31:31-34, alcança a Israel e a Igreja. As demais alianças, mesmo que em si eram eternas, mas em seus cumpridores tinham caráter transitório; esta, porém, é eterna: ela inclui o Milênio e a entrada na ETERNIDADE!

 

Agora, de posse deste histórico sobre as oito (8) alianças entraremos nos Acontecimentos Mundiais dos Últimos Dias e o Retorno do Senhor Jesus. (na proxima aula)

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida