19. jul, 2014

HEBREUS - AULA 2

A - A Superioridade de Jesus sobre Moisés e Igreja, a casa de Deus (Hb 3:1-6).

 

1. Jesus foi estabelecido por Deus como Apóstolo e Sumo-Sacerdote (Hb 3:1).
2. Como Apóstolo, é o Autor da minha fé;
3. Como Sumo-Sacerdote é o Consumador da minha fé (Hb 3:1; 12:2).
4. Autor da minha fé significa Autor da minha salvação eterna (Hb 5:9).
5. Consumador da minha fé significa, igualmente Consumador da minha salvação eterna obtida na cruz (sangue Jo 19:30) "Está Consumado".

 

Moisés, como servo, foi fiel sobre a "casa de Deus" – Israel natural conduzindo o povo do Egito para a terra de Canaã, o "descanso" prometido (3:1, 5).

 

Jesus, como Filho, também é fiel sobre a "A Casa de Deus" _ Israel espiritual, esta casa que somos nós, a sua igreja (Hb 3: 3-6), conduzindo muitos filhos à glória (Hb 2: 10 – 13).

 

Aprendemos que a verdadeira igreja, a casa de Deus, é constituída apenas por aqueles que realmente se converteram a Jesus (trigo), os que "guardamos até ao fim a ousadia e a exultação da esperança" (Hb 3:6, 14; Hb10: 23, 35). A perseverança é o atestado ou fruto da conversão (10: 36; Mt 10: 22; Rm 5: 1-4).

 

Em Mateus 24:11-13, entendemos que por causa de espíritos enganadores, das doutrinas (ensinos) de demônios e pela multiplicação da iniqüidade, muitos serão enganados (apostatarão da fé), o amor pelo senhor esfriará de quase toda a igreja, porém "aquele que persevera até o fim será salvo". Aqueles que não seguem os mandamentos, a doutrina do Senhor, demonstram falta de amor a ele (Jo 14: 21,23).

 

Em Apocalipse 3:10-12 aprendemos que aqueles que perseverarem na doutrina de Jesus (palavra) agora, nesta igreja do fim, serão feitos colunas no "santuário de Deus" (a igreja), ou seja, serão feitos colunas espirituais para sustentação dos ministérios para edificação da igreja local, e dali jamais sairão. Sobre "colunas" da igreja local leiam Gálatas 2:9.

 

B – Advertência Contra a Incredulidade. Um Superior Descanso (Hb 3:7-19).

Pelo fato de Israel não ter entrado no descanso (Canaã), o autor usa este exemplo como advertência às conseqüências devidas à incredulidade.

 

Moisés foi fiel em obedecer a Deus quando tirou o povo do Egito para conduzi-lo pelo deserto até Canaã (Hb 3:2), porém eles não puderam entrar no descanso; não por causa de Moisés, mas "por causa da incredulidade" deles (Hb 3:19). Jesus é fiel. Se alguém se recusar a ser salvo, não será por causa de Jesus, mas por causa da incredulidade daquele que rejeita tão grande salvação.

 

Sabemos que dentro das igrejas existem três classes de indivíduos (1a Co 3:1, 2; 14:16, 23; Hb 5: 13, 14).

1. Crentes Maturos e Imaturos;
2. Indoutos (Simpatizantes Assíduos do Evangelho) e
3. Incrédulos.

 

Ou, na linguagem de Jesus (Mt 13: 30, 38).

 

1. Trigo = Crente (Maturos e Imaturos).
2. Joio = Indoutos + Incrédulos.

 

Parece que este também era o quadro dos leitores de Hebreus. Sabiamente o autor da carta trata toda igreja com amor e temor, pois sabe que não caberia a ele separar o trigo do joio, aliás, nem se arriscariam, pois o Senhor nos ensinou que deveríamos deixa-los junto até o fim, ainda que alguns bem que gostariam de separa-los: "queres que vamos e arranquemos o joio?" (Mt 13: 29 – 30).

 

Cremos que o objetivo do escritor era fortalecer o trigo (Hb 12:11 – 13) e levar o joio a se converter em trigo pela ação da palavra e do Espírito Santo. Assim, preste a atenção que as exortações contidas no texto Hb 3: 12-13: "Perverso coração de incredulidade" e "enfurecido pelo engano do pecado". Estes dois versículos trazem a mesma mensagem: que não haja, entre vós coração endurecido que resista ouvir a voz do Espírito Santo, o Agente da conversão (Jo 16:8): "Hoje se ouvirdes a sua voz não endureçais os vossos corações". Observe como "entrar no descanso" está intimamente ligado a salvação: "Como ouvirão se não há quem pregue?" (Rm 10: 4 12-21). Compare "se ouvirdes" com "como ouvirão".

 

Compare as palavras "não endureçais os vossos corações" com as contidas no texto Hb 3:12 e 13: "Perverso coração de incredulidade" e "endurecido pelo engano do pecado". Estes dois textos trazem a mesma mensagem: que não haja, entre vós coração endurecido que resista ouvir a voz do Espírito Santo. Um coração endurecido não pode crer para a justiça (Rm 10: 9, 10).

 

Medite ainda sobre Lucas 8: 4-18 e sublinhe as palavras ouvindo, ouviram, ouvido. A mesma palavra foi recebida de quatro maneiras distintas. A primeira e a última são extremas: terra dura e terra boa.

 

Judas diz que o crente deve guardar-se no amor de Deus, compadecer de alguns que estão na dúvida, procurando arrebata-los do fogo (inferno) e ser compassivo em temor com os outros difíceis de converter (Jd 5, 20-23). Isto também ressoa nas palavras de Paulo em (1a Co 9: 19- 23).

 

Para que "o trigo" não se entristecesse diante de tamanha admoestação, por ser trigo, "porque nos tempos tornado participante de Cristo" (igreja, trigo), o autor volta a exorta-los, lembrando-os, porém, que o fruto da conversão é "guardamos até ao fim a confiança (certeza da salvação) que tivemos" (Hb 3:14). Ainda: (Hb 4:14; 6: 11,12; 10: 23, 35). Estes textos apontam a necessidade de perseverança na vida cristã; apontam para o desenvolvimento da salvação, ou salvação progressiva, para galardão (Hb 10: 35; Hb 11: 26 cf. Hb 12:1-4 com Fp 3:11 –16; 2:12-16). Leia ainda Romanos 5: 3,4: 12:2).

 

Em Hebreus 3:15-19 o escritor fecha o parêntese de Hb 3:7-15 com as palavras "Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações como foi na provação", para esclarecer, daí para frente, a quem Deus jurou na sua ira que não entrariam no descanso. Evidentemente o exemplo é tirado da história de Israel no deserto e serve para reforçar ainda mais as advertências feitas no texto Hb 3:12, 13 que pode muito bem servir, hoje, de alerta aos corações endurecidos, que ainda não converteram.

 

Veja este exemplo de lição pelo emprego das palavras:
1. Rebelaram (v. 16);
2. Pecaram (v. 17);
3. Desobedeceram (v. 18);
4. Por isso entraram (v. 19)
Ou seja, rejeitaram a salvação! (Hb 2:3; Hb 10: 29).


Assim, pois, como os israelitas de corações endurecidos pela incredulidade não entraram em Canaã (figura do descanso real), assim também, hoje, se permanecerem rebeldes a Jesus, não entrarão no superior descanso de Deus; aliás, nem eles nem outra pessoa qualquer. Leiam: (Jo 3:36; 1a Co 10:11 e Rm 11: 22 – 23).

 

C – O Exemplo de Israel no Deserto (Nm 13 e 14).


Antes de prosseguirmos, precisamos meditar sobre estes textos do Velho Testamento que serviram de base para as advertências feitas até aqui.

 

Agora que você leu e meditou sobre estes dois capítulos do livro de Números, você poderia conceituar o que seria incredulidade? Tente explicar com suas palavras o que seria incredulidade. Você arriscaria dizer que incredulidade é Ter a certeza de que Deus pode fazer todas as coisas, mas agora não está disposto a fazer? Ou incredulidade seria achar que o melhor para mim é superior a isto: Deus tinha prometido um descanso para Israel; porém, Israel, mesmo impossibilitado, achou melhor voltar para o Egito. De fato, voltaram em seus corações (At 7: 38, 39).

 

Deus prometeu a seu povo vencer todos os "gigantes" quando entrassem em Canaã. Israel sentiu-se como um "gafanhoto" e preferiu retroceder a ter que enfrenta-los.

 

Pense sobre A falta de crescimento espiritual do cristão, pode conduzi-lo à incredulidade, à uma vida cristã medíocre.

 

Continuação na próxima semana.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida