24. jul, 2014

HEBREUS - AULA 3

SALVAÇÃO SEGUNDO O ESCRITOR DA CARTA AOS HEBREUS

 

1. Hoje o Descanso de Deus Não é Mais Canaã (Hb 4: 1 – 13)
Quando a carta aos Hebreus foi escrita, a história da entrada do povo em Canaã já havia cumprido. Os leitores entenderam que o escritor tomou a história deles como exemplo para a exortação e ensino.

 

Em Hebreus 4: 1, 2 o escritor informa que o descanso de Deus é algo transcendental, que vai além de uma Canaã terrestre, pois a promessa de entrar no descanso de Deus ainda permanece em vigor para o povo judeu. Embora seus pais no deserto tenham falhado e não entraram em Canaã, a promessa permaneceu para seus filhos (Nm 14: 30-32; Js 14:9).

 

Observe que em Josué 14:9 Canaã a terra (sombra do descanso de Deus) foi dada em herança perpétua, permanece até ao dia que se chama hoje! "Hoje, se ouvires a sua voz, não endureçais os vossos corações como foi na provocação". "Como foi" significa como aconteceu no passado, no deserto, quando seus pais provocaram a ira de Deus. Portanto o descanso de Deus é algo superior ao descanso prometido na Canaã terrestre (é interessante darmos uma olhadinha em Gálatas 3:6-29 e entendermos um pouco mais sobre herdeiros da promessa ok?). Por causa da incredulidade os pais não puderam entrar no descanso (Canaã Hb 3: 18). Os judeus tinham a promessa para entrarem no descanso (Nm 14: 30, 31), entretanto, por causa de incredulidade devida à dureza de corações, estavam resistindo à salvação. Por isto, o autor se encontra em temor porque parecia haver entre eles o joio ("alguns de vós tenha falhado"- Hb 4:1). Preste a atenção no cuidado do autor em não apontar o joio: "Temamos, suceda, parecer, alguns tenham falhado".

 

Vamos ao quadro de contraste entre o trigo e o joio, observando Hebreus 4: 2,3

 

TRIGO x JOIO
"Tenhamos (nós falhado". "alguns de vós (e não nós tenha falhado".
"Também a nós foram anunciados" "como se deu com eles".
"mas a palavra que ouviram" (eles). "não lhes aproveitou".
"Nós, porém, que cremos entramos no "Conforme Deus tem dito que não entrarão no descanso".

 

Em Hebreus 4:3a entendemos que este descanso é alcançado no presente ("cremos", "entramos"). Ainda no mesmo texto, parte b, notamos que por causa da rebeldia o homem não entrou no descanso de Deus embora estivesse à disposição dele desde a conclusão da fundação do mundo.

 

Por causa da desobediência, Adão foi lançado fora do descanso (Gn 3:23, 24). É interessante notar que Canaã fica na região do Éden. Canaã passa, então, a ser uma figura, sombra do real descanso de Deus.

 

Ainda em Hebreus 10: 1 compreendemos que o judaísmo era apenas a sombra dos bens futuros (isto é, do cristianismo) e não a imagem exata das coisas.

 

Deus colocou querubins para guardar o caminho da árvore da vida para que os homens, que pela desobediência foi lançado fora do jardim, não estendesse a mão e comesse da árvore da vida e vivesse eternamente. O propósito final e eterno de Deus é que o homem volte ao jardim, seu Descanso, preparado desde o término da fundação do mundo, para reiniciar a comunhão com Deus, perdida pela desobediência (Ap 21: 1 –5, 9, 10, 22, 23; Fp 3: 20, 21 e Hb 11: 13 – 16).

 

No tabernáculo, no véu, haviam querubins bordados, significando que o caminho para o Santo dos Santos, figura do jardim, estava guardado e não podia ser penetrado por ninguém, senão morreria, a não ser pelo Sumo-Sacerdote, que uma vez por ano entrava com o sangue de animais para fazer expiação dos seus próprios pecados e os do povo. A comunhão com Deus foi interrompida por causa do pecado. O homem perdeu sua comunhão com Deus; ficou fora do jardim, fora do Santo dos Santos, fora do "descanso de Deus".

 

Os querubins e a espada que se revolvia guardavam o à árvore da vida eterna, significando que se alguém tentasse entrar, morreria. Os querubins e a espada eram uma alerta: não entre, senão morrem! O acesso à vida eterna ficou impedido pelo pecado (Rm 3:23) até a plenitude dos tempos, quando Deus enviou seu Filho (Gl 4:4, 5). Por isso Jesus afirma: "Quem crê, tem a vida eterna..." (Jo 6:47).

 

Ora, se em Hebreus 4:6 o escritor afirma "que resta entrarem alguns nele", isto significa que a entrada no "descanso de Deus" continua aberta até hoje, mas seu acesso somente é possível quando a palavra do Evangelho anunciada for recebida acompanhada pela fé. Pois, de novo, repete: "se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações" (Hb 4:7). Esta afirmação é de Deus, que falou através de Davi muito tempo depois que Josué havia introduzido o povo em Canaã, dando a entender um tempo presente, HOJE.

 

Daí, nós, porém, que cremos, entramos no descanso (Hb 4:3a). Quando Jesus morreu na cruz, o véu do santuário rasgou de cima a baixo, dando a entender que agora o caminho para a árvore da vida, para o descanso de Deus, foi aberto:

"tendo, pois irmãos intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, a sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus (igreja... – (Hb 3:6) aproximemos, ... guardemos... não deixemos de congregar-nos" (Hb 10: 19-25).

 

O próprio Josué não deu descanso ao povo após entrarem em Canaã, pois se assim fosse, Davi não falaria posteriormente a respeito de outro dia: (HOJE) "Portanto, resta um repouso para o povo de Deus" (Hb 4:9).

 

A palavra "resta" significa que a porta ainda está aberta hoje. Veremos que Jesus é a porta para a entrada no verdadeiro descanso de Deus, conforme ele mesmo declarou em João 10: 9). Se buscarmos com mais diligência, vamos encontrar em João 10: 16 a declaração do Senhor sobre a universalidade de sua obra, que não é restrito apenas às ovelhas de Israel, mas estendida "a homens de toda tribo, e língua, e povo e nação"(Ap 5: 9, 10).

 

2 .Ouvir o Evangelho, Fé, crer e Entrar no Descanso.


Daí a realidade para o tempo presente, o tempo que se chama hoje: "Porque aquele que ouviu sem endurecer o coração e pela fé creu, entrou no descanso de Deus porque ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas" (Hb 4: 10). Entrar no descanso de Deus significa ser salvo posicionalmente (vida eterna) e escatologia (ressurreição - Jo 5:24; 6:40; 1a Co 15:51 – 53). Uma vez no descanso, enquanto aguardamos no corpo o retorno de Jesus, precisamos conquistar nossa vida cristã (salvação do mundo) como Israel após entrar em Canaã (descanso) teve de conquistar a terra palmo a palmo (Hb 12:1 –3; 10: 23 32; Fp 3: 11 – 16).

 

Sabemos que o objetivo de desenvolver nossa salvação é alcançarmos a santificação progressiva ou separação do mundo (Hb 12: 10). Descobrimos que Jesus, para se tornar autor de nossa eterna salvação, foi aperfeiçoado pelo sofrimento, para que nós, através do sacrifício dele, fossemos declarados aperfeiçoados para sempre _ santificação posicional (Hb 5:8, 9; 4: 3a; 10: 14; Cl 2:14; 1a Co 1:30 e Fp 3: 15).

 

Em Hebreus 4:11-13, o autor faz um apelo aos indoutos e incrédulos, dando a entender que há necessidade de uma disposição mental favorável para receber a palavra acompanhada pela fé. As palavras chaves que ligam os versículos 11 e 12 são: "Esforcemo-nos" e "Porque". Portanto, há necessidade de esforçar-se para entrar "naquele descanso"; ou seja, para entrar no descanso do texto de Hebreu 4: 3a e 10, já alcançado pelos que creram, "a fim de que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência" (B. Ed. Vida) deixado pelos pais que pela incredulidade não entraram em Canaã. Se ainda permanecerem rebeldes a Jesus, não alcançarão a salvação (Jo 3:36). Observe a expressão: "ira de Deus" que ocorre também em Hebreus 3:11: 4:3b e ainda Romanos 2:5-9.

 

Vamos comparar Hebreus 4: 1 com a resposta de Jesus a um judeu em Lucas 13: 23-30. No versículo 24 lê-se: "Esforçai-vos por entrar pela porta estreita..." Jesus é a porta do descanso, da salvação: "Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo" (Jo 10:9). "Eu sou o caminho..."(Jo 6:14).

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida