26. nov, 2016

HEBREUS - AULA 11

A SAGA DOS HEBREUS 

Existem coincidências na Bíblia que, graças à Deus, não passam despercebidas por mim. Por Exemplo: Está escrito em Hebreus 8:9 o seguinte texto: “Este novo acordo não será como o antigo que Eu dei aos pais deles naqueles dias em que os tomei pela mão a fim de levá-los para fora da terra do Egito; eles não cumpriram a sua parte naquele acordo, e por isso Eu tive de revogá-lo”.

 

As leis dos hebreus, embora dada à Moisés como protótipo de tabernáculo existente antes da fundação do mundo, onde o Cordeiro foi morto, repetindo:  antes da fundação do mundo, não foram levadas à sério pelos sacerdotes que as adulteraram em favor de seus interesses. Legislaram em causa própria (MT 23:1-7).

 

Jesus, após seus quarentas dias, pós- ressurreição, foi elevado aos céus e testemunhado por mais de quinhentos discípulos e por dois anjos que prometeram que Ele (Jesus) voltaria, assim como o viram subir (Atos 1:9-12). Jesus volta ao Real Tabernáculo e lá dá início ao trabalho do Ministério da Graça.

 

Precisamos agora voltar aos primeiros versículos do capítulo 8 de Hebreus e entender um pouco da história dos Hebreus, dizendo que a Lei dada à Moisés foi boa, como disse antes: um protótipo do Tabernáculo Real.

 

O Éden de Adão e Eva teve uma paralisação e terá sua continuação nos mil anos após o arrebatamento da igreja e os sete anos ou a setenta semanas de Daniel. Da mesma forma o Tabernáculo Real, teve sua paralisação quando o Verbo se fez carne e habitou entre nós e agora, após sua morte e ressurreição, volta sua função com suas promessas e ministério.

 

É interessante observar que no capítulo 14 de Gênesis encontramos a história da Ordem de Melquisedeque X Código de Hamurabi. Também encontramos o nome de Anrafel, que é conhecido como Hamurabi, aquele que criou um exemplar código: o Código de Hamurabi, alias o escrito mais antigo que se tem conhecimento.

 

O Código de Hamurabi estipula que se o filho feriu seu pai, suas mãos serão cortadas (cf. Ex 21:15) (Anet 195). A Mekhilta limitará aplicação dessa lei somente ao caso em que os golpes tiverem causado ferimentos. Este Código tem tudo haver com a história das Cidades de Refúgio e com o Vingador de Sangue (Nm 35:6SS; Dt 19 e Js 20). Seria bom, com atenção e calma verificar estes textos.

 

Exôdo 21:16 está também paralelo ao Código de Hamurabi, v 14, que diz que se um homem roubou o filho pequeno de outro homem, será punido de morte. Existem outras coincidências interessantes, mas que não quero trazer por falta de tempo, mas quero dizer que este Código de Hamurabi foi responsável, como outros Códigos depois, por adulteração feita pelos escribas e sacerdotes. Portanto necessitamos entender o que é Bíblia e o que seja o Código do Evangelho para não sermos enganados.

 

Se entendermos bem o que estava por trás das famílias LEVÍTICAS, sem dúvidas nenhuma, entenderemos bem todo o contexto e as diferenças.

 

Quando lemos Genesis 49 e lemos a denuncia feita por Jacó à Levi:  Ele não herdou nenhuma terra, ou estado de Israel, isto é, terra. Mas se estudarmos Nm 35 vamos descobri que eles ganharam cidades, cidades que receberam o nome de Cidades de Refúgio para que se protegessem suspeitos de crimes contra, como já disse, dos Vingadores de Sangue. Os sacerdotes levitas ganhavam dinheiro com crimes. As cidades traziam dinheiro através dos crimes vários. Os filhos de Leví não deviam receber território. Todavia, lemos aqui que eles puderam se estabelecer de modo estável em quarenta e oito cidades, com certos direitos econômicos (Nm 18:20-24).

 

As cidades de refúgio: O problema do asilo dos homicidas involuntários já foi tratado em Ex 21:13. Esse ponto voltará a ser longamente abordado no Dt 19:1-13 e, sobretudo em Js 21. A instituição das cidades de refúgio visa a corrigir a prática da vingança privada. O homicida pode assim escapar à vendetta dos pais daquele que ele matou por inadvertência.

 

A jurisprudência hebraica fez longas exposições sobre essa instituição original. A Torá distingue muito claramente o assassinato com premeditação do homicídio acidental. Este último é menos severamente reprimido. O objetivo do legislador é eliminar toda manifestação das violências, expressa aqui pelo homem que golpeia um ao outro.

 

Já falamos bastante sobre sacerdotes, e voltaremos a falar um pouco sobre o Sacerdócio de Cristo, não segundo a Lei Levítica, Código de Hamurabi, mas segundo a ORDEM de MELQUISEDEQUE.

 

Jesus disse a uma mulher, logo após a sua ressurreição, que não o tocasse, pois não havia ainda ido ao pai. Em João 14:1 ele pede que não afligissem seus corações, não ficassem aflitos, pois ele iria ao Pai preparar lugar, pois lá haviam muitos lugares. Ele fala que iria lá preparar, trabalhar e enquanto isto, nós, cristãos, embora na terra, já teríamos garantias da eternidade: “passamos desta para outra vida”, e que, sem dúvidas, já estamos prontos para receber as promessas deste Tabernáculo.

 

Ainda diz que nos virá buscar, pois onde ele estiver lá estaremos nós e que saberíamos aonde ele iria e como nós chegaríamos lá. É ainda importante notar que ele fala em trabalhar para preparar-nos e depois buscar. Isto quer dizer que ele, através do Espírito Santo nos exercitará na Palavra. Este exercício de SANTIFICAÇÃO e JUSTIFICAÇÃO terá a ajuda deste Espírito em nosso espírito. No v.5 de João 14, Tomé reclama sobre a tal geografia e disse que não chegaria lá por não conhecer o CAMINHO no v.6 ele então diz ser o CAMILHO, a VERDADE e a VIDA, e que ninguém chegará ao Pai a não ser por Ele (Jesus), e disse mais, se vocês me conhecerem, saberão quem é o meu Pai.

Obs. Será bom que dar uma olhadinha na numeração das tribos, as que tiveram território, veremos Leví de fora: Nm 1; 2 e 4 sobre os Levitas, Goatitas, Gersonitas e Meraritas.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida