20. jan, 2018

A VIDA É UM CONTO LIGEIRO

“Como a erva, cresce na manhã e à noite desaparece”. No entanto, como estamos ou como nos deixamos envolver com a mecânica deste tempo que passa tão rápido,  deixando para trás o que ontem foi futuro e hoje presente.


O TEMPO deforma o corpo, traz cansaço, rugas, modifica feições, deixa nas estradas amigos esquecidos e na morte a viagem para longe de todos.


É assim a vida humana - nossos amores têm pouca duração assim como tudo o que fazemos. Trabalhamos todos os dias, sábados e domingos já temos em mente a obrigação de encarar as complicações de segunda à sexta e por aí vai... Nos dedicamos aos outros e muitas vezes esquecemos de nós mesmos, sem nos darmos a entender que também seremos esquecidos por aqueles que continuamos a amar.


TUDO ISTO E MAIS AINDA É A VIDA DO HOMEM NATURAL - COMEÇANDO NO BERÇO E FINDANDO NO CAIXÃO.


O homem natural/temporal não gosta de perder, não aceita afrontas, se acha melhor e no entanto amarrado por PENSAMENTOS & SENTIMENTOS que corta as penas de suas assas, algema seus pés e mãos impossibilitando seu direito em “CORRER A CARREIRA PROPOSTA”.


Gosto muito deste texto: “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio” (Sl.90:12).


O 1º homem (o natural ou animal como se refere o apostolo Paulo) é ignorante:

1°- NÃO SABE CONTAR:

2°- NÃO QUER APRENDER;

3°- NÃO DIFERENCIA OS DIAS;

4°- NÃO TRABALHA O CORAÇÃO;

5°- NÃO SE TORNA SÁBIO.

O que ignora a outra face da vida “vive por viver”. A derrota é seu sabor diário e as vitórias conquistadas são passageiras que não se conta no tempo que se vive aqui.
Nosso tempo de planeta terra é tão curto como uma viagem de carro em um curto trajeto.

Não contamos sabiamente nossos dias por não sabermos a matemática ou a mecânica do 2º homem (o homem espiritual ou consciente). Desconfiamos de algo superior a matemática e mecânica do 1° homem mas não nos livramos disto, daí as lágrimas, decepções, tristezas acompanhadas dos insucessos.

Tudo isto provoca taquicardia, AVCS, câncer, gastrite, solidão, depressão e etc. Não aprendemos a diferenciar dias esquecidos de que para o nosso Deus a matemática do tempo é outra: um dia pode ser mil anos ou mil anos ter duração de um dia.

Diferenciar dias significa coração sábio:

1° MENTE;

2° VONTADE;

3º EMOÇÃO e

4° CONSCIÊNCIA.

Esta última faz a grande diferença - “E sabemos que...”. Ela liga nossas duas vidas (a natutal/temporal e a espiritual/eterna). Torna a velhice do homem a fortaleza das asas da águia, assim como seus olhos e a agilidade do voar mais longe e sabiamente.

Voar, enxergar, ter força, mudança de penas só se adquire quando se aprende a “contar os dias”, nunca apenas acumulá-los. Não somos acumuladores de coisas que se gastam e envelhecem. Não somos pessoas que vivem de momentinhos de glórias ou vitórias fajutas, passageiras. Somos seres únicos, cada um tem seu diferencial, dai: “cada um dará conta de seus atos”. Não somos como peças de carro, geladeira e etc., que podem ser trocadas quando gastas. Somos únicos, com missão única nesta vida (temporal) para a outra vida (eterna).

Portanto, vivamos intensamente o CARÁTER & A DIVINDADE DE NOSSO PAI da 1ª vida e aprendamos a honrar nossos pais desta 2ª vida, pois os pais daqui honrados prolongarão os dias na terra, e o PAI ETERNO além de coração sábio, a eternidade em fronteiras inimagináveis.

Leia e reflita também 1 Coríntios 15 – Paulo destaca o processo da vida temporal para vida eterna.

 

Por Israel Sarlo