8. jul, 2019

VONTADE DE DEUS É SINÔNIMO DE DESTINO?

VONTADE DE DEUS NÃO É A DE SATISFAZER OS DESEJOS DO NOSSO CORAÇÃO. PORÉM, ESTE (MENTE, VONTADE, EMOÇÃO E CONSCIÊNCIA) OBEDECE ÀS CRENÇAS EXISTENTES EM NOSSO LIVRE ARBÍTRIO.

Neste caso nosso LIVRE ARBÍTRIO é nosso soberano, pois o matar, roubar e destruir (João 10:10) são funções de nossas oposições em nossa liberdade em construir ou destruir, já do lado oposto está a “VIDA ABUNDANTE” (João 10:10).

Está escrito que: “Não se vendem dois passarinhos por uma moedinha de cobre? E nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai.”; “E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados”; “Não temais pois: mais valeis vós do que muitos passarinhos”...    (Mt.10:29-41; Ef.1:11; 2ª Co.12:9; 2ª Co. 8:11,12)

Gostaria muito que estes textos fossem lidos e estudados com atenção e cuidado para que vocês encontrem relações entre eles, pois percebo que a ideia do fatalismo, permissividade de Deus, destino e vontade continuam sendo marcas doutrinárias religiosas amedrontando corações e, como disse: “Deus satisfaz o desejo de nossos corações”, e Joao nos chama a atenção em vários textos que nos coloca responsáveis por nossos desejos: “E nisto conhecemos que somos da verdade, e diante dele asseguraremos nossos corações; Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que os nossos corações, e conhece todas as coisas. Amados, se o nosso coração não nos condena, temos confiança para com Deus; E qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos; porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista” (1ªJo.3:19-22).

Nossas dúvidas, medos, angústias, fracassos, doenças, solidão, depressão e etc., trabalham em nossas vidas bloqueando nossa vida que deve ser de sucesso e abundância, no entanto colocamos “destinos” condenatórios em nosso coração que nos condena devido as nossas crenças religiosas e os “achismos” filosóficos sem fundamentos nas ESCOLAS BÍBLICAS.

PREDESTINADOS sim somente para “A CARREIRA PROPOSTA”. DESTINADOS aos atalhos inventamos e construídos pelo homem “destituído da Glória de Deus” (Rm.3:23).

AINDA TEMOS TEMPO EM MUDAR A ROTA DA NOSSA VIDA - SE SAIRMOS DO CAMINHO DAS DÚVIDAS, O SUCESSO ESTARÁ NO CAMINHO DA CERTEZA.

NÃO ACREDITE NO DISCURSO DO “SEU DIREITO DE IR E VIR”, ISSO É UMA ARMADILHA POLÍTICA. PORTANTO, CONHEÇA SEU CORAÇÃO SONDANDO SUAS VONTADES, EMOÇÕES, A MENTE E SUA CONSCIÊNCIA. SE AS TRÊS PARTES TÊM CONSCIÊNCIA OU CIÊNCIA DO QUE FAZEM, O LIVRE ARBÍTRIO TRARÁ PAZ E O SIM DE DEUS AO SEU CORAÇÃO JUSTIFICADO, SANTIFICADO E REGENERADO NA SALVAÇÃO COMPRADA POR ELE NA CRUZ.

Temos estudado muito sobre a ALMA ou PSIQUE. Em todas as nossas aulas falamos muito do HOMEM NATURAL (temporal/físico) com suas cinco principais ferramentas:

  1ª- AUDIÇÃO;

  2ª- OLFATO;

  3ª- PALADAR;

  4ª- TATO e

  5ª- VISÃO.

Já no HOMEM PSIQUE (almático) temos outras ferramentas (mente, vontade e emoção) assim como no HOMEM ESPIRITUAL (intuição, consciência e comunhão).

Mediante a qualquer “PROBLEMA” seja em seu lar ou na saúde, finanças, trabalho, etc, é necessário que um texto seja destrinchado por você: “E sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus...”.

Esta palavra Amar se mistura e é confundida muito com os diversos amores no mundo sempre evolvendo a “EMOÇÃO”. Quando o amor é puro como “OURO DE OFFIR” o medo, a desconfiança, a angústia, dúvidas e etc., dão lugar a uma segurança e certeza nascida lá na semente do “FRUTO DO ESPÍRITO”, trazendo paz às “JUNTAS E MEDULAS” (corpo).

Jesus explica em (Mt.19:16-23) uma grande verdade a um jovem extremamente religioso cumpridor das normas exigidas por sua religião e após a exposição de seus feitos religiosos ele pergunta ao Mestre o restava fazer para ser salvo e o MESTRE, conhecedor dos corações dos homens, conhecedor da MENTE, VONTADE, EMOÇÃO e CONSCIÊNCIA idólatra do referido rapaz, conhecendo a insegurança, pois não havia certeza em seu crer e o mal estava exatamente no “TER” dele e não em seu “SER” responde: “Apanhe seus bens e divida entre os necessitados”. Deus era contra ou é contra ter bens? Claro que não! Mas neste caso específico (abordagem do jovem ao Mestre) a questão era o grande mal deste moço que estava no exercício de pagar os ritos religiosos e por isso ele cria que assim compraria a SALVAÇÃO, a qual “não vem de nós para não nos gloriarmos” como este jovem rico.

Outro caso me chama muito a atenção: Deus é ONISCIENTE, ONIPOTENTE e ONIPRESENTE. No caso de ABRAÃO era necessário que o PATRIARCA encontrasse esse AMOR DO OURO PURO e não o amor emocional que tinha por Isaque e não por Ismael com a escrava de Sara. A confiança, respeito, justiça e a racionalidade teria que ser e é a única PROTEÇÃO AO AMOR VERDADEIRO. Deus precisava de provas de Abraão ou de alguém mais? Certamente NÃO! Abraão precisava provar para ele mesmo o significado do AMOR DE OURO. Na maior angústia do Patriarca, sem dúvida, veio em sua mente o filho primogênito Ismael, a expulsão deste filho e da mãe de sua casa, suas mentiras, seus erros com seu sobrinho Ló, as vidas perdidas em Sodoma e Gomorra e, certamente, em cada pedra, em cada vara de árvore que seria holocausto para matar seu filho, o ouro do amor foi se purificando no fogo da dor. No auge da oferta macabra um anjo (administrador) tráz um cordeiro, símbolo do “CORDEIRO DE DEUS” - Jesus, e oferece em sacrifício, pois Abraão já tinha provado para ele mesmo o que interessa à Deus: “A um coração contrito não desprezarás o Deus” (Sl.51).

Está aí a explicação do Evangelho de que “vontade” de Deus não é destino. Portanto, o Evangelho revela que A Vontade de Deus é GRAÇA, ou seja, DEUS É AMOR.

 

Por Israel Sarlo.