23. out, 2019

DENOMINACIONAIS

Já fazem anos que, não só em toda Europa, como em muitos outros antigos domínios religiosos tem seus templos vazios ou TOMBADOS como “PATRIMÔNIO HISTÓRICO”. Servem apenas para visitação de turistas e arrecadação de dinheiro para sua manutenção. Apenas monumentos. 

No Brasil, as DENOMINAÇÕES HISTÓRICAS se partiram, e partidas se subdividiram em muitas outras denominações religiosas, trazendo sempre uma roupagem diferente com interesse único de algemar incautos, enriquecer outros e turbar ou adoecer as mentes de muitos inocentes que, levados por emoção e necessidade variada, acreditam e se tornam escravos dos novos senhores feudais de almas. 

Paulo, sem dúvida alguma, fala do EPISCOPADO e do modelo de exemplo que coroa seu pastoreio. Claro que temos várias CARTAS PASTORAIS, mas em nenhuma delas se fala em obediência cega à líderes religiosos; mas sim, obediência ao único princípio de poderio e justiça: O EVANGELHO –  “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” (Romanos 1:16,17). 

Qualquer DENOMINAÇÃO religiosa que pregue qualquer destas CINCO VERDADES fora do EVANGELHO, que seja ANÁTEMA, ou seja, é IMPURO, NÃO é VERDADEIRO:

   1°.  PODER;

   2°.  SALVAÇÃO;

   3°.  CRENÇA;

   4°.  JUSTIÇA e

   5°.  FÉ.

Note no que Paulo fala: “AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda, que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria” (1ª Coríntios 13:1-3). 

Poderia citar muitos outros textos, mas quero aproveitar o tempo e dizer que as religiões prometem tudo sob uma emoção forte, advinda de muitas carências e ignorância do povo. Falam “LÍNGUAS”, “PROFETIZAM”, “ UNGEM”, “FAZEM VIGILHAS”, “SOBEM MONTES” e criam mentiras e fardos que não atingem o “HOMEM ESPIRITUAL”, pois a base do EVANGELHO é exatamente para a recuperação do “HOMEM NATURAL”, ele sim é o primeiro a ser trabalhado: “Mas não é o primeiro o espiritual, senão o animal; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o SENHOR, é do céu” (1ª Coríntios 15:46,47). 

“Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé. Concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei” (Romanos 3:27,28). 

Sabem, JACTÂNCIA é ATITUDE de alguém que se manifesta com arrogância e tem alta opinião de si mesmo; vaidade, orgulho, arrogância. PRETENÇÃO de bravura ou altos méritos e conquistas; atitude de quem conta bravatas; fanfarrice. 

Tem uma pergunta audaciosa feita pelo Apóstolo Paulo aos seus patrícios judeus que, segundo eles, uma nação única de Deus. Paulo os chama de JACTANCIOSOS, arrogantes, de alta opinião favorável à eles mesmos, vaidosos e orgulhosos. 

“Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.” (Romanos 3:27)

“… Não ultrapasseis o que está escrito; a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro. Pois quem é que te faz sobressair? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido?” (1 Coríntios 4:6-7)

“Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade.” (Cl 2:23) 

Notem bem: Não está parecendo, os judeus, com os religiosos de hoje em dia? Tudo isto não nos lembra as COMUNIDADES EVANGÉLICAS? Pretenciosidade de aparente bravura como se fosse altos méritos e as conquistas de grandes templos e muitas concreções agindo com bravatas e fanfarrice? 

O que o MESTRE falou sobre estes mesmos patrícios religiosos? “ENTÃO falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos, Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. Observai e praticai tudo o que vos disserem; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não praticam; Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los; E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largas filactérias, e alargam as franjas dos seus vestidos...Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós”. (Mateus 23:1-5,15) 

O MESTRE nunca se escondeu ou sequer se apoiou atrás das religiões, religiosos e nem mesmo dos políticos e da política. Neste capítulo de Mateus, Ele fala abertamente: “... Na cadeira de Moisés estão assentamos os escribas e fariseus”... Isto é, a nata do JUDAÍSMO e eu me pergunto: Quem são os religiosos evangélicos? São filiais caricatas do judaísmo que o MESTRE neste referido capítulo exorta de maneira dura. 

Lamentamos muito a inveja, o ódio e outros adjetivos, impróprio ao amor tão abertamente, vistos nas guerras televisivas e programas religiosos e entre denominações. 

Nós, Cristãos, precisamos dizer ao mundo que é necessário parar com todos estes absurdos. Temos a responsabilidade de exercer a missão do IDE, a começar por nossas atitudes e prática do Evangelho genuíno de Cristo. 

Que você tenha uma boa leitura para compreensão da “VERDADE QUE LIBERTA”.

Bom estudo. 

Israel Sarlo