20. jul, 2020

ESTUDO DO LIVRO DE JÓ - Parte 03

O LIVRO DE JÓ, como já disse, foi classificado entre OS LIVROS POÉTICOS. E, em todos estes LIVROS a dor, desespero, clamores, medos, vinganças e tantos outros males se tornaram a tônica de seus escritos. Existe, inclusive, uma tendência na força bruta humana, discriminação das mulheres, escolhas, ou acepção de pessoas para o CLERO MAIS IMPORTANTE, famílias com mais e outras com menos privilégios – quero dizer, Deus não era hunanimidade em suas crenças politeístas. É o momento de trabalharmos com Jó e suas crenças religiosas, convívio com sua família e amigos.


OS  TRÊS AMIGOS DE JÓ: Antes gostaria de começar pelo último capítulo do Livro, o 42. O que Deus pensava e como agiu em relação a estes amigos e também trazer de imediato a religiosidade de Jó, pois religião só nos informa de Deus, mas não nos faz vivencia-lo.

(Jó 42:7,8) “Sucedeu pois que, acabando o Senhor de dizer a Jó aquelas palavras, o Senhor disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti e contra os teus dois amigos, porque não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó. Tomai, pois, sete novilhos e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei um holocausto por vós; e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa estultícia; porque vós não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó”.

Antes destes dois textos a confusão de Jó a Deus testemunhando sua ignorância religiosa mudou sua vida, vejamos: (Jó 42: 3-5 “Quem é este que sem conhecimento obscurece o conselho? Por isso falei do que não entendia; coisas que para mim eram demasiado maravilhosas, e que eu não conhecia. Ouve, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me responderás. Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te veem os meus olhos”.

Quando confessamos despidos de religiosidade, pois religião é sinônimo de idolatria, mãe da feitiçaria, sem duvida, Deus lhe ouve e se mostra. Jó entendeu isto e seu cativeiro (cativeiro criado por ele, como veremos no capítulo 3) foi mudado e “as demais coisas lhe foram acrescentadas".

(Lc.12:31 “Buscai antes o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas”.

Antes do capitulo três é importante entender o sentimento de “ PENA" e não de “AMOR ÁGAPE” que levaram os amigos juízes, já que ajuizaram toda a vida do Jó,  assim como as religiões que não entendiam: “Não julgues para não serem julgados" (Lc 6:37) ou “Com a mesma medida que medires serás medido" (Mt 7:2). Estes amigos se deram ao trabalho de saírem de seus lugares, percebam, cada um tem sua origem, mas comungavam as mesmas ideologias, vamos ao texto? (Jó 2:11) “Ouvindo, pois, três amigos de Jó todo esse mal que lhe havia sucedido, vieram, cada um do seu lugar: Elifaz o temanita, Bildade o suíta e Zofar o naamatita; pois tinham combinado para virem condoer-se dele e consolá-lo”.

JÓ CLASSIFICADO COMO UM LIVRO POÉTICO: Neste caso posso usar a “LICENÇA POÉTICA”? Se a AS ESCRITURAS não são de intepretações particulares, neste caso, que o EVANGELHO faça usa de sua HERMENÊUTICA.

Sim, o LIVRO DE JÓ está classificado como um dos LIVROS POÉTICOS, mas, por pertencer ao CÂNON, as ESCRITURAS a LICENÇA POÉTICA está descartada. Não podemos alterar a geografia e a historia bíblica, apenas relatar mudanças políticas ou geopolíticas, portanto este Livro só pode ser interpretado ao rigor da luz do EVANGELHO, segundo A ESCOLA PROFÉTICA, A ESCOLA DO MESTRE E A APOSTÓLICA.

No capítulo 1º do Livro vamos, de  imediato, a três situações de Jó:

1ª – SUA VIRTUDE;

2ª – SUA “TENTAÇÃO” e 

3ª – SUAS PERDAS.

VIRTUDES: justiça humana “Trapos de imundícia”  (Isaias 64:6);

TENTAÇÃO: “Deus não tenta e nem é  tentado” Tiago 1:13-15 “Ninguém, sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência; Ninguém, sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta”.

PERDAS: Mateus 6:33 “Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.

O LIVRO DE JÓ começa com uma bela “narrativa" . Vejamos Jó. 1:1

“um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó. Era homem íntegro e reto, que temia a Deus e se desviava do mal". Rico, pai de sete filhos e três filhas e no v.3 o registro de seus bens, o maior homem de todo o Oriente. Se você for cuidadoso com a leitura e exímio estudioso das ESCRITURAS, vai nota que a família de Jó, ele e os filhos não consideravam as mulheres, filhas e irmãs. Os irmãos, em seus banquetes, em casa de cada um destes seres “enviavam e convidavam as suas Três irmãs...” (v.4). Algum problema? Se observarmos o (v.5) Jó santificava e oferecia holocaustos, de madrugada, somente para os sete filhos. Por que? “Deus não faz acepção de pessoas...” “Escravos, livres, homens e mulheres tidos iguais perante Deus". Porém, Jó tinha grandes problemas na alma: MEDO e ACEPÇÃO. Claro, os bens eram suas preocupações, ele escreve no (3:25) “Porque aquilo que temo me sobrevém, e o que receio me acontece.”

Jó rico, medroso e preconceituoso – machista (1:5) “E sucedia que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó e os santificava; e, levantando-se de madrugada, oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; pois dizia Jó: Talvez meus filhos tenham pecado, e blasfemado contra Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente”. Perceberam? Não possuía um crer firme, ausência de fé, dai buscava no achismo religioso agradar a Deus segundo o que “ouviu falar" de como agradar Deus. Não conhecia bem seus filhos, pois temia que os mesmos, pecando, blasfemando contra Deus em seus corações, Jó, continuamente, oferecia holocaustos a Deus, como Jacó, fazia troca com Deus, um tipo de DIZIMO que acabou dizimando tudo o que ele possuía.

Como podemos estudar a PSIQUE (alma) de Jó para entendermos sua história cheia de medo e preconceito? 

Jó 7:11 “Por isso não reprimirei a minha boca; falarei na angústia do meu espírito, queixar-me-ei na amargura da minha alma”;

Jó 10:1,2 “Tendo tédio à minha vida; darei livre curso à minha queixa, falarei na amargura da minha alma: Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo.”

Temos muitos outros textos em Jó que mostra seu desconhecimento sabre Deus, como está escrito no capitulo 42:5 “Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te veem os meus olhos”. Mas voltamos para o inicio do Livro. Imagine como Jó procurava Deus, para negociar? Sim! Havia o contraditório ou oposição entre Jó e Deus. Segundo a língua grega o sinônimo de “contrario ou o que se opõe” é SATANÁS. Me lembra da passagem em que Saul buscou uma pitonisa para consulta e no texto lemos “Vejo deuses subindo da terra, entre eles um de branco, entendendo Saul que era Samuel dialogou" (1º Sm. Cp.28). Seria bom lermos um texto 1º  Samuel 19:9  “Então o espírito maligno da parte do Senhor veio sobre Saul, estando ele sentado em sua casa, e tendo na mão a sua lança; e Davi estava tocando a harpa”. Note bem, “espirito maligno” da parte do Senhor"? Não podemos entender este texto ao pé da letra, pois contraditório com a VERDADE DO EVANGELHO, pois não existe comunhão entre luz e treva.  Seria bom uma consulta sobre o fim do rei Saul e a causa de sua morte ímpia (1º  Cr.10:13).

No (v6) os filhos de Deus? Buscando Deus para consultar e entre estes SATANÁS? Como? Deus dialogando com uma ENTIDADE INIMIGA para testar Jó? Mas Deus não é ONISCIENTE? Sabe de tudo antes mesmo que o peçamos. Era Jó com sua alma, MENTE, VONTADE e EMOÇÃO destruída por seus medos, preconceitos e sua falta de conhecimento pessoal com Deus. Também a passagem em que Jesus disse á Pedro se opondo a cruz: “Pra trás de mim SATANÁS”. Pedro estava com uma ENTIDADE INIMIGA? Pode do mesmo veio sair agua doce e amarga? (Tg.3:11).

Vamos examinar melhor? No capitulo 3 de Jó temos perguntas feitas por ele, no minimo, estranhas para um homem chamado de “PACIENTE" (Jó 3:23-25) “Sim, por que se concede luz ao homem cujo caminho está escondido, e a quem Deus cercou de todos os lados?  Pois em lugar de meu pão vem o meu suspiro, e os meus gemidos se derramam como água. Pois em lugar de meu pão vem o meu suspiro, e os meus gemidos se derramam como água. Não tenho repouso, nem sossego, nem descanso; mas vem a perturbação”.

No v.23 a perturbada alma de Jó pergunta sem a noção de sua falta real desconhecimento de Deus. Se acha injustiçado em suas justiças próprias. Para ele as coisas de Deus eram ocultas e pergunta: “...a quem Deus o encobriu?”.

No v.24 os suspiros ou indicações mesmo antes do pão e junto aos suspiros os gemidos em lágrimas, mas é no (v.25) a declaração, o testemunho do exílio ou algemas de sua alma cheia de medo misturado com temor, que alias, não tem liga, pois “temor é principio de sabedoria" (Provérbios 9:10). Temer neste texto é medo, insegurança ou desconhecimento de Deus: “Por que o que eu temia me veio, e o que recuava me aconteceu?” Note que não é uma afirmação, é,  uma pergunta, e no (v.26) outra declaração de sua alma em trevas, agora uma afirmação de suas perguntas anteriores: “Nunca estive descansado, nem sosseguei, nem repouse, mas veio sobre mim a perturbação”. Perceberam a palavra “NUNCA"? Então foi neste estado de alma que Jó se apresenta a Deus no capítulo um? Sim! Deu para entender quem se apresentava a Deus? O Jó e sua própria oposição (SATANÁS).

 

Por Israel Sarlo

 

Insta: @blogocaminho

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida

Contato: ocaminhoeavida@hotmail.com