25. jul, 2020

ESTUDO DO LIVRO DE JÓ - Parte 04

Que tal compararmos Jó capítulo 1 com Marcos 1:13?

“E esteve ali no deserto quarenta dias, tentado por Satanás. Estava com as feras, e os anjos o serviam”

Mateus 4:1 - “Então Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo Diabo” 

Lucas 4:2 - “sendo por quarenta dias tentado pelo Diabo. E naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome.” 

Note que Marcos fala SATANÁS, mas Mateus e Lucas cita DIABO – o significado é OPOSIÇÃO, sendo um em hebraico e outro em grego.

Vamos, rapidamente fazer um comparativo dos dois primeiros capítulos de Jó. Nos capítulos 1 e 2, precisamente (1:6 ss e 2:1:ss), achamos, a primeira vista, textos repetidos? No (1:6) “Vindo um dia...apresentar-se perante o Senhor, veio também SATANÁS  entre eles". No (2:1) “E, vindo outro dia...apresentar-se perante o Senhor, veio também SATANÁS...”. Estes dois textos, se parece em sua narrativa, no entanto não é texto repetido, quer dizer que houve uma segunda vez de consulta ou diálogo com o Senhor? Não houve resolução no primeiro encontro? Deus, novamente, foi tentado e permitiu a tentação e toda saga de Jó? Uma disputa entre Deus e SATANÁS sendo Jó a bola do jogo? 

Pela segunda vez Deus pergunta a SATANÁS de onde ele vem? Deus não sabia de todas as coisas? SATANÁS responde que rodeava e passeava na terra. Deus, instigando pede informação a SATANÁS: “... Observasse o meu servo Jó?” faz esta pergunta pela segunda vez: (Jó 1:7; 2:3). Deus testemunha sobre JÓ e assim mesmo o prova matando sua familia e lhe tirando seus bens e saúde? 

Vamos, cuidadosamente a Jó 2:3: “Disse o Senhor a Satanás: Notaste porventura o meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Ele ainda retém a sua integridade, embora me incitasses contra ele, para o consumir sem causa”. Se dermos uma atenção maior no final deste texto vamos achar algo significativo: “...Ele ainda retém a sua integridade, embora me incitados contra ele, para o consumir sem causa". O que? Deus está afirmando que não havia causa nenhuma para o teste com Jó? A “integridade” havia “incitado” Jó e por isto seria aprovado ou reprovado sem nenhuma causa? O que Salomão nos fala sobre isto?

Provérbios 26:2: “Como o pássaro no seu vaguear, como a andorinha no seu voar, assim a maldição sem causa não encontra pouso”. “...Maldição sem causa não acha pouso". Não existe maldição sem “ CAUSA". Então o problema exista, não entre Deus e Jó, mas nas duas leis que se guerreavam dentro de Jó: POSIÇÃO & OPOSIÇÃO.

Vejamos este texto em  Romanos 7: 23 “mas vejo outra lei nos meus membros, que guerreia contra a lei do meu entendimento e me leva cativo à lei do pecado, que está em meus membros” (leiam todo capítulo 7 da Carta aos Romanos). Paulo fala da “lei nos meus membros", segundo ele, guerreavam contra outra lei, claro, nossos corpo físico é composto de membros e estes são guiados pela MENTE, e, desta maneira a guerra contra a lei do “entendimento" que o levava a ser cativo da lei do pecado, existentes em seus “membros” quitado pelo crer de seu entender.

Houve sim um diálogo nestes capítulos iniciais de Jó, mas não entre Deus, SATANÁS e Jó., mas um diálogo entre a posição e oposição existentes na confusa mente de Jó, pois pecado, ou a “LEI DO PECADO" (pecado significa dar bote errado, não atingir o alvo desejado), neste caso, a derrocada de Jó, sua saga nefasta exatamente por tudo que temia que lhe veio acontecer, esta era a “CAUSA” das “AFLIÇÕES” de Jó.

Note, ainda no capítulo dois (v.4) que o problema não era de espírito mas sim social, financeiro. Não se tratava do “SER" Jó, mas do “TER" do Jó: “...Pele por pelo, e tudo quanto  o homem tem dará pela sua vida". Agora estaria em jogo o blasfemar de Jó  e como ele blasfemou contra ele mesmo e não buscou , agora de verdade, Deus. Como? Se ele, Jó o conhecia “por ouvir falar"? Aconselho a lerem com atenção estes capítulos iniciais.

É ainda no capitulo dois que passamos a conhecer os “AMIGOS DE JÓ”, reprovados no capitulo 42 deste Livro. Em Jó 2:11 “Ouvindo, pois, três amigos de Jó todo esse mal que lhe havia sucedido, vieram, cada um do seu lugar: Elifaz o temanita, Bildade o suíta e Zofar o naamatita; pois tinham combinado para virem condoer-se dele e consolá-lo”. Leram bem este texto? Pois bem: eram “amigos" de Jó, no entanto, graças a fama dos infortúnios do “amigo”, afinal Jó era famoso e o mais rico da época, embora “cada um do seu lugar", isto é, não tinham vivência comum socialmente falando, não havia telefone, carro, avião, portanto as informações  eram de boca-em-boca, propagadas pelos comerciantes nômades. 

Resolveram, os tais “amigos”, procurarem para “condoer-se e consolarem Jó”. Como? Nos versículos seguintes vamos entender melhor Jó 2:12,13  “E, levantando de longe os olhos e não o reconhecendo, choraram em alta voz; e, rasgando cada um o seu manto, lançaram pó para o ar sobre as suas cabeças. E ficaram sentados com ele na terra sete dias e sete noites; e nenhum deles lhe dizia palavra alguma, pois viam que a dor era muito grande”. Sete dias, Jó oferecia sete holocaustos para seus sete filhos por medo. Jó já estava quase sem visão, não reconheceu seus “amigos" que choraram em alta voz; rasgando suas vestes, sapateado , pois o pó do chão se levantou sobre suas cabeças. Também nada tinham para consolar Jó, eram tão vazios de Deus como o amigo leproso que limpava suas lepras com cacos de telhas. Bem, são destes “amigos" de Jó que comentaremos no próximo capítulo cinco.

 

Por Israel Sarlo

 

Insta: @blogocaminho

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida

Contato: ocaminhoeavida@hotmail.com