7. ago, 2020

ESTUDO DO LIVRO DE JÓ - Parte 07

BILDADE O SUITA 

Quem era este Segundo Amigo de Jó?     

Bildade, original da Terra de Suá, no Oriente (Arábia), também era descendente direto de Abraão mas, por Quetura, concubina de Abraão. Ora, Abraão tomou outra mulher, que se chamava Quetura. Ela lhe deu à luz a Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Isbaque e Suá. Jocsã gerou a Seba e Dedã. Os filhos de Dedã foram Assurim, Letusim e Leumim. Os filhos de Midiã foram Efá, Efer, Hanoque, Abidá e Eldá; todos estes foram filhos de Quetura. Abraão, porém, deu tudo quanto possuía a Isaque; no entanto aos filhos das concubinas que Abraão tinha, deu ele dádivas; e, ainda em vida, os separou de seu filho Isaque, enviando-os ao Oriente, para a terra oriental. – Gênesis 25:1-6 “Ora, Abraão tomou outra mulher, que se chamava Quetura. Ela lhe deu à luz a Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Isbaque e Suá.  Jocsã gerou a Sabá e Dedã. Os filhos de Dedã foram Assurim, Letusim e Leumim. Os filhos de Midiã foram Efá, Efer, Hanoque, Abidá e Eldá; todos estes foram filhos de Quetura. Abraão, porém, deu tudo quanto possuía a Isaque; no entanto aos filhos das concubinas que Abraão tinha, deu ele dádivas; e, ainda em vida, os separou de seu filho Isaque, enviando-os ao Oriente, para a terra oriental” e 1º Crônicas 1:33-34 “Os filhos de Midiã: Efá, Efer, Hanoque, Abidá e Eldá; todos esses foram filhos de Quetura. Abraão foi pai de Isaque. Os filhos de Isaque: Esaú e Israel”.

Das famílias descendentes de Suá, nas suas gerações, em sua terra, uma delas era a família de Bildade, o suíta. – Jó 2:11. “Ouvindo, pois, três amigos de Jó todo esse mal que lhe havia sucedido, vieram, cada um do seu lugar: Elifaz o temanita, Bildade o suíta e Zofar o naamatita; pois tinham combinado para virem condoer-se dele e consolá-lo”.

Como leram acima, BILDADE, filho de Abraão com Quetura, mulher que entra na vida de Abraão e que substitui Sara. Toda formação política, religiosa e secular de BILDADE não tem nenhuma conotação com a TORÁ, mas sim com o ALCORÃO, com suas muitas interpretações também sob o grifo do CODIGO DE AMURABI, assim como os demais amigos e até mesmo o judaísmo. JUDAÍSMO E O ISLAMISMO tem suas raízes no referido CÓDIGO, assim como as COMUNIDADES chamadas de CRISTÃS ou EVANGELICAS.

(Uma informação: os capítulos deste livro não seguem os capítulos de Jó, pois existem narrativas no LIVRO DE JÓ que são repetidas lamúrias).

Vamos, portanto ao capítulo oito, vamos entender os conselhos de BILDADE. Conselhos estes ligados ao ALCORÃO tendo muita relação com a TORÁ. Tenho certeza que você, ao ler este capítulo, vai entender muito das religiões, vamos trazer as TRÊS ESCOLAS BÍBLICAS para elucidar e a “ESPADA DO ESPIRITO" para dividir teologias infundadas, mas arraigados em todas as religiões e nas CONSTITUIÇÕES de muitos países.

Quando lemos os capítulos de Jó 4 - 7 ainda estamos lendo as defesas de Jó, as aulas, conselhos ou reprimendas do “Amigo" Elifaz. Ainda exausto e sem resposta às acusações do “amigo", no capítulo oitavo entra o segundo personagem, BILDADE, assim como o primeiro, aconselhou e exortou o perdido Jó.

No (v.2), Jó 8:2, Bildade refuta todo lógica angustiante de Jó e coloca em cheque a justiça de Deus. Note que todo conhecimento destes “amigos” como também de Jó eram contraditório, exatamente por todos os víeis contraditórios de suas religiões derivadas do semieixo – de Abraão com suas mulheres que são responsáveis por tantas bandeiras religiosas levantadas por eles, embora concordassem em quatro pontos:

1º- O PAI ABRAÃO;

2º- O PROFETA MAOÉ;

3º- O DEUS ALÁ e

4º- A BÍBLIA O ALCORÃO.

Perceba que as nações Árabes não falam na mãe e esta é  uma das razões das mulheres Árabes não serem valorizadas tanto da descendência abraamica.. De volta a Jó 8:2 “Até quando falarás tais coisas, e até quando serão as palavras da tua boca qual vento impetuoso?”. Bildade faz uma pergunta sobre as “coisas" ditas por Jó. Diz que são ventos impiedosos a fala de Jó. Suas perguntas não são amigas e sim arrogantes, pois no (v.3) ele tenta confundir Jó com perguntas sobre justiça espiritual em suma de um fracasso material. A pergunta é covarde, pois o estado social, financeiro e de saúde de ambos eram diferentes: “... perverter Deus o direito e a justiça?” ‘que justiça’??? de seu profeta MAOÉ, de seu deus ALÁ, de seu ilustre maior Abraão ou dos ensinos segundo o ALCORÃO? No (v.4) a terrível apelação: “Seus filhos pecaram contra  Ele (Deus), Também Ele os lançou nas mãos da sua transgressão”. Perceba o ensino de Bildade quando aconselha a Jó  pedir  de madrugada, a misericórdia de Deus. Chama Jó de impuro, sem retidão e fala, maldosamente da ÁRVORE GENEALÓGICA de Jó no (v.8) para uma consulta as suas gerações passadas e se preparar com as respostas do passado como se fosse inquirição de seus pais. Note o JUDAÍSMO e o ISLAMISMO de mãos dadas em relação a FAMILIA. Como a religião é destrutiva, pois, busca no passado respostas sem antes a própria análise do tesouro bom ou mal existente em cada ser individualmente, ao contrário, transfere culpas para repousarem na sua ZONA DE REPOUSO.

Bildade diz que nós somos do ontem e por isto nada sabemos, acrescenta que nossos dias na terra são dias de sombras (v.9). Diz que o ontem não ensina, não falam e o pior, que não tiramos razões de nossos corações. Se considerarmos o (v.13), vamos entender melhor a miscigenação religiosa que traz crenças dúbias e múltiplas. A verdade de quem esquece de Deus são veredas (caminhos) esperançosos dos hipócritas – perecerão, pois (v.14), a esperança, confiança são teias de aranha. Então o Jó do capítulo primeiro não era reto e nem justo quando buscou Deus? Que Deus foi aquele? Satanás, ou suas oposições estavam sendo agora criticadas por seus “amigos", pois o Deus Verdadeiro, mais tarde diz que todos não falaram a verdade sobre Ele e também Jó não soube filtrar o reconhecer a verdade em meio às mentiras.

Deus não rejeita o reto e nem toma pela mão os malfeitores? (V.20). Isto não se aplica no CRISTIANISMO, mas sim nas descendências de Abraão. Vejam como eles ensinam o que seja LOUVOR, não seria para agradar a Deus, mas para confundir a casa dos ímpios, os aborrecidos.

No capitulo 9 Jó confessa a JUSTIÇA DE DEUS exatamente para que esta o alivie de sua miséria. No entanto, o reconhecimento de Jó é uma condição política, ferramenta religiosa para transferência de culpa, se culpando para fazer uma troca com Deus, no entanto concorda com todos ensinos fatalista de Bildade. Creu no “amigo" e ora a Deus dentro das exortações pagãs do religioso em posição oposta, faltou simpatia para gerar empatia. Ambos estavam perdidos no mato e sem cachorros. 

Jó 9:2 responde - “Na verdade sei que assim é; mas como pode o homem ser justo para com Deus?” Que consentimento e pergunta é esta feita por Jó?  Concordo com Bildade, mas me explique: como ser justo para Deus? Se toda justiça humana é “trapo de imundície”.  (?)

Na próxima aula vou vasculhar este capítulo e mostrar as contradições de Jó e Bildade tão vivas ainda hoje nas COMUNIDADES chamadas de CRISTÃS. 

Por Israel Sarlo

 

Insta: @blogocaminho

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida

Contato: ocaminhoeavida@hotmail.com