25. jul, 2015

ESTUDO SOBRE REINO (2ª Parte) - Aula 90

Nosso alvo é o de continuar expondo a SALVAÇÃO que Jesus tanto falou entre os homens (Mt. 4:23). Dizer à todos que o REINO foi implantado entre nós (Lc. 12:32; 17:21 ), em nós e que este existe para exercitarmos a SALVAÇÃO. Sem o REINO, não teremos condição de manter a SALVAÇÃO. Seria como água em peneira, saco sem fundo, nossos bens a disposição da ferrugem, traça e ladrão. Seria como não pensar no futuro, gastando a juventude com os passa-tempos do mundo ilusório.

 

Em continuação da aula anterior recomendamos alguns TEXTOS IMPORTANTES: Éf 4:8 a 16; Atos 10:28; Tt. 1:4; 1ª Co. 1:10; Gl. 2:2; Cl. 2:1-4; 1ª Jo. 1:3-10 e Fp. 2:1-11.

 

REINO CONSTITUÍDO E REINO DESTITUÍDO:

Nenhuma poupança ou paraíso fiscal no mundo nos traz segurança. Neste reino (destituído) tudo que nele fica, destituído está.

 

O REINO (constituído por Jesus) fará tudo que você têm a crescer (Mt. 6:33). Note que o texto diz que lhe dará como acréscimo e isto quer dizer: crescerá o que você já tem. É como diz o salmista: e tudo que fizerdes prosperará (Sl. 1:3).

 

Jesus morreu como substituto, sofreu toda a penalidade do pecado, e ofereceu Sua vida como resgate por muitos. Consequentemente, quem quer que creia nEle não será mais julgado (Jo.5:24).

 

A morte permeou o espírito, a alma e o corpo de todos os homens. Não existe nenhuma parte de um ser humano, na qual ela não tenha passado. É imperativo, portanto, que o homem receba a vida de Deus. O caminha da SALVAÇÃO não pode ser por meio da reforma humana, porque a “morte” é irreparável. Nenhum animal ou anjo pode sofrer a penalidade do pecado no lugar do homem. É a natureza trina do homem que peca, portanto, é o homem quem deve morrer. Somente a humanidade pode fazer expiação pela humanidade. Só com o holocausto vivo santo (racional) é que poderemos agradar a Deus (Rm. 12:1). Pelo fato do pecado estar em sua humanidade, a própria morte do homem não pode fazer expiação pelo seu pecado. O Senhor Jesus veio e tomou a natureza humana sobre ele para que pudesse ser julgado no lugar da humanidade. Incontaminado pelo pecado, sua santa natureza humana poderia fazer expiação por meio da morte pela humanidade pecaminosa.

 

 

ADÃO – CABEÇA DO REINO DESTITUÍDO: 

Quando o verbo se fez carne, ele incluiu toda carne nele. Como a ação de um homem, Adão, de um homem a ação de toda a humanidade, assim a obra de um homem, Cristo, representa a obra de todos.

 

Devemos ver quão inclusivo Jesus é, antes que possamos entender o que é a redenção. Como pode ser que o pecado de um só homem, Adão, é considerado o pecado de todos os homens do presente e do passado? Porque Adão é a cabeça da humanidade, através de quem todos os outros homens vieram ao mundo.

 

Notem que, se Adão é a cabeça da humanidade, e se estamos no reino onde ele é a cabeça, é só olharmos o histórico dele e descobriremos que estamos num barco furado e sob o seu histórico. Se houve assassinato, traição, morte, tristeza, adultério, guerra etc. sem dúvida, estamos debaixo desta genética histórica.

 

Jesus veio implantar o novo REINO para que saíssemos das leis genéticas do outro reino (o destituído). Quando estamos vivendo os frutos do reino, onde Adão é a cabeça, sem dúvida que os conhecemos, pois, pelos frutos conheceremos a árvore. Semelhantemente a obediência de um homem, Jesus, torna-se a justiça de muitos, tanto do presente como do passado, visto que Jesus constitui a cabeça de uma nova humanidade, na qual se entra por meio do novo nascimento no novo REINO.

 

 

SACERDÓCIO DE JESUS MAIOR QUE O DE LEVI:

Vejamos Hebreus 7. Este capítulo pode ilustrar este ponto. Para provar que o sacerdócio de Melquisedeque é maior do que o sacerdócio de Levi, o escritor relembra a seus leitores que Abraão uma vez ofereceu um dízimo a Melquisedeque e recebeu dele uma bênção e dessa forma concluiu que a oferta do dízimo de Abraão e a bênção, era de Levi. Como? “Portanto ele (Levi) estava ainda nos lombos de seu pão (Abraão) quando Melquisdeque saiu ao encontro dele” (v.10). Sabemos que Abraão gerou a Isaque, Isaque gerou a Jacó e Jacó gerou a Levi. Levi era bisneto de Abraão. Quando Abraão ofereceu o dízimo e recebeu a bênção, Levi ainda não havia nascido, nem seu pai nem seu avô. Todavia a Bíblia considera o dízimo e bênção de Abraão como sendo de Levi. Visto que Abraão é maior do que Melquidedeque, Levi também é de menos importância do que Melquisedeque. Este incidente pode nos ajudar a compreender porque o pecado de Adão é interpretado como sendo o pecado de todos os homens e porque o julgamento sobre Jesus é considerado o julgamento de todos. É simplesmente porque na ocasião em que Adão pecou, todos os homens já estavam presentes em seus lombos.

 

Notem: Se você pertence ao reino onde Adão é a cabeça, não esqueçam que todos os males nos lombos de Adão passam a serem nossos males. Se você já nasceu de novo e pertence ao novo REINO, as bênçãos nos lombos de Jesus passam a ser nossas bênçãos. A Escolha é sua, pois, da mesma forma, quando Jesus foi julgado, todos os que serão regenerados estavam presentes nele. Seu julgamento é, portanto, tomado como sendo o julgamento deles, e a fonte de vida. A morte é separação de Deus. O Visto que a humanidade teve, o Filho de Deus __ a saber, o homem Emanuel (Jesus – Salvador  /  Cristo – Ungido) _ sofreu em seu espírito, alma e corpo na cruz pelos pecados do mundo.

 

 Clique aqui para acessar aula anterior.

 

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavid