2. ago, 2015

ESTUDO SOBRE REINO (3ª Parte) - Aula 91

 

Texto Bíblico: MT. 7:13-14

 

"Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram".

 

Há Duas Portas: 

1. A Porta Estreita;

2. A Porta Larga.

 

Há Dois Caminhos: 

1. O Caminho da Salvação (Jesus);

2. O Caminho da Perdição.

 

Há Dois Reinos:

1. O Reino Eterno;

2. O Reino Transitório.

 

As Portas, os Caminhos e os Reinos estão inteiramente a sua disposição. A escolha é sua, pois, segundo a Bíblia: “... Cada um dará conta de si mesmo a Deus...” (Rm. 14:12)

 

Sei das dificuldades que o homem sente em escolher tantos “caminhos” anunciados pela mídia, religiões e filosofias. Sei perfeitamente o que significa os tantos “caminhos” apontados por religiosos extraídos da BÍBLIA, no entanto, mais do que nunca, se faz necessário estuda-la para não cairmos em vento de doutrinas (Ef. 4:14).

 

 

VOCÊ É O RESPONSÁVEL POR SUA VIDA:

 

Paulo nos fala de uma ARMATURA e Jesus se coloca como o CAMINHO e a PORTA (Jo. 14:6; 10:7,9). Só entraremos neste acesso/caminho, com destino ao REINO, com a ARMADURA de Deus (Ef. 6:10-18).

 

Gostaria que você lesse comigo alguns textos em Deuteronômio 11:26 a 28 e 30:15-19:

 

“Eis que hoje eu ponho diante de vós a BÊNÇÃO & MALDIÇÃO:”

 

“BÊNÇÃO, quando ouvirdes os mandamentos do Senhor, vosso Deus, que hoje vos mando”.

 

“MALDIÇÃO, senão ouvirdes os mandamentos do senhor, vosso Deus...”

 

“Vês aqui, hoje te tenho proposto a VIDA e o BEM, a MORTE e o MAL. Os céus e a terra tomam, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a VIDA e a MORTE, a BÊNÇÃO e a MALDIÇÃO; escolhe, pois a VIDA, para que vivas, tu e tua semente”.

 

Quando falo de sua vida, não estou me referindo a sua vida individual, falo de suas vidas em seu “lombo”. Estou me referindo também aos filhos, netos, etc. que darão continuidade de seu ser ou do seu ter. Ser a imagem de Deus ou ter bens e caçado por ladrões, ferrugens e traças. Bens que a se vão como se vai esta vida biológica.

 

O texto acima citado, nos coloca defronte de uma encruzilhada: ou você elege em sua vida o 1º Adão ou o 2º Adão (1ª. Co. 15:45). Ou você recebe as MALDIÇÕES do 1º ADÃO (Rm. 3:23) ou as BÊNÇÃOS do 2º ADÃO (Ef. 1:3-4).

 

 

SE SOFREM HOJE, JESUS SOFREU DESNECESSARIAMENTE ONTEM?

 

Vamos considerar um pouco os sofrimentos físicos de Jesus e indagar se foi um teatro ou se realmente ele passou por isto para que estivéssemos livres hoje.

 

O homem peca em sua alma e a conseqüência deságua em seu corpo. É neste mesmo corpo que o homem desfruta, temporariamente, os prazeres do pecado. Conseqüentemente, o corpo deve ser o recipiente da punição. Quem pode sondar os sofrimentos físicos do Senhor Jesus na cruz? Não são os sofrimentos de Jesus no corpo claramente preditos nos escritos messiânicos? “Transpassaram-me mãos e os pés” (Sl. 22:16). O profeta Zacarias chamou a atenção para “aquele a quem transpassaram” (12:10). Suas mãos, seus pés, sua fronte, seu lado e seu coração foram traspassados pelos homens, traspassados pela humanidade pecaminosa e para a humanidade pecaminosa. Muitas foram as suas feridas e sua febre foi bem alta, pois, com o peso do seu corpo inteiro pendurado sem apoio na cruz, seu sangue não podia circular livremente. Sua sede foi extremamente aguda e por isso ele clamou: “a língua se me pega ao paladar” __ “na minha sede me deram a beber vinagre” (Sl. 22:15; 69:21). A boca deve sofrer, porque gosta de pecar. Os pés devem ser traspassados, porque gostam de pecar. A fronte deve ser coroada com uma coroa de espinhos, porque ela também gosta de pecar. Tudo o que o corpo humano precisa sofrer foi executado sobre seu corpo. Assim ele sofreu fisicamente até a morte. Escapar destes sofrimentos estava dentro do seu poder, todavia, ele ofereceu voluntariamente seu corpo para suportar incomensuráveis provas e dores, não recuando nem por um momento até saber que “tudo estava consumado” (Jo. 19:28). Só então ele entregou o seu espírito.

 

 

A ALMA É O ÓRGÃO DA CONSCIÊNCIA PRÓPRIA!

 

Não apenas o corpo de Jesus, mas sua alma também sofre. A alma é o órgão da consciência. Antes de ser crucificado, Jesus recebeu vinho misturado com mirra como sedativo para aliviar a dor, mas ele recusou porque não queria perder seus sentidos. As almas humanas (notem: todas as almas são diferentes, somente o espírito possui a unidade), desfrutaram plenamente os prazeres do pecado; conseqüentemente, Jesus em sua alma devia sofrer a dor dos pecados. Ele preferia beber o cálice dado a ele por Deus do que o cálice que entorpecia os sentidos.

 

(Nota: Muito se fala do nascimento de Jesus. Dizem que ele nasceu de uma virgem, e é bom notarmos que Deus nunca esteve preocupado com os problemas físicos, portanto, Jesus nasceu do acasalamento fisicamente falando. A virgindde bíblica se refere ao casamento, isto é: união dos corpos almáticos. Jesus nasceu com sua memória livre da história adâmica, isto é: Jesus estava com sua mente virgem, sem contaminação da genética histórica do 1º Adão, por isto ele é chamado de 2º Adão, com uma nova história).

 

Quão vergonhosa é a punição da cruz! Ela era usada para executar os escravos fugitivos. Um escravo não tinha nem propriedade, nem direitos. Seu corpo pertencia ao seu senhor; e, portanto, poderia ser castigado com a mais vergonhosa cruz. O Senhor Jesus tomou o lugar de um escravo e foi crucificado.  Isaías o chamou de “o servo”. Paulo disse que ele tomou a forma de um escravo.  Sim, como escravo, ele veio para nos livrar, que estamos sujeitos a uma vida inteira de escravidão ao pecado às contradições (satanidade). Somos escravos da paixão do temperamento e dos hábitos e do mundo. Somos vendidos ao pecado. Contudo, ele morreu por causa da nossa escravidão e levou toda a nossa vergonha.

 

Clique aqui para acessar aula anterior.

 

Israel Sarlo 

www.facebook.com/caminhoeavida