Estudo bíblico

29. dez, 2015

“... NÃO AS IMPEÇAM...”

 

“Alguns traziam crianças a Jesus para que ele tocasse nelas, mas os discípulos os repreendiam. Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: ‘Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas’”. (Marcos 10:13-14)

 

Esta lição de hoje tem muito a nos ensinar, mas antes levo vocês a outro texto também de profunda importância e de grande controvérsia. Mateus 24: 10-14, este texto fala do que chama do SERMÃO PROFÉTICO. O princípio das dores. O MESTRE nos chama a atenção dizendo: “Neste tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, será salvo. E este EVANGELHO do REINO será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim”.

 

No texto de Marcos, o MESTRE refere-se ao impedimento e o mais curioso que esta fala foi dirigida não aos ignorantes do Reino, mas aos discípulos. Eram eles, os discípulos, que estavam impedindo a aproximação das crianças ao MESTRE. Já no texto de Mateus o MESTRE, profeticamente, nos chama a atenção de outros vetores que não impediriam ou nos esfriariam racionalmente, enquanto outros valores emocionais nos encantariam. O que o MESTRE nos ensina é tão sério que ele leva a humanidade à instância da demência, pois sem amor o mundo é comparado como uma embalagem sem nenhum conteúdo.

 

O MESTRE fala de iniqüidade, fala da multiplicação da mesma corroendo a base de tudo, O AMOR. Não estes amores e suas múltiplas formas humanas, seja o amor que sexual, o amor filantrópico, mas fala do AMOR ÁGAPE, o único AMOR que transcende a imaginação humana nos fazendo acessíveis, generosos, desarmados, doadores ou suporte para o entendimento, nos colocando no lugar do outro (EMPATIA).

 

O que o MESTRE nos ensina é estarrecedor. Ele ressalta as muitas formas de crer, de ocupar nossas mentes, afinal ela é um papel em branco com a possibilidade de ser escrita por muitos. Com a possibilidade de se armazenar nela qualquer cultura e todas as verdades destituídas deste mundo que jaz em pecado (erros), afinal a fé não vem pelo ouvir?

 

Existe no mundo o que chamamos das MENTES QUE FORMAM O MUNDO. Imagine o que está nas mentes dos tibetanos, dos indianos, dos mulçumanos, dos que praticam o judaísmo, das tribos indígenas do grande continente africano... Imagine você a cortina de retalhos em que o Brasil foi formado segundo as MENTES que aqui vieram desde a descoberta, colonização, separação da Europa até hoje? Imagine as influências religiosas, sociais, morais e financeiras que nossa pátria passou e ainda passa? Imagina como está a MENTE de nossos jovens, de nossas crianças criadas por pais que ainda não sabem o que é uma FONTE VIVA CRIADA EM SUA VIDA, precisando estar de cisterna em cisterna buscando razões para viver, buscando respostas que o mundo não tem, afinal elas estão dentro de cada um de nós, em nossas consciências. Somos imagem e semelhança de Deus, portanto precisamos ter a MENTE dEle e nunca a mente ou as mentes algemadas de quem quer que seja.

 

Estas MUITAS MENTES que influenciam outras são exatamente as que nos impedem de nos aproximar de nosso MESTRE e por quê? Elas se organizaram de tal forma que não nos sobra tempo para a simplicidade do EVANGELHO. Torceram a verdade em mentiras. Hoje existe uma competição desumana e Paulo chama isto em OPERAÇÃO do ERRO. Desenvolvemos a idéia de que precisamos estar sempre ligados às novas descobertas e comprá-las; de que precisamos trabalhar muito, juntar salário de marido com o da esposa, pois os filhos não podem ficar aquém as crias dos outros pais... É claro que a tecnologia nos ajuda muito, mas ela não nos pode algemar, nem nos fazer de servos e nem para nos separar do AMOR ÁGAPE que tornará o amor familiar uma FONTE DE ÁGUA VIVA.

 

Estamos sendo impedidos, estamos encantados com todas as descobertas que as MENTES HUMANAS nos vêm trazendo todos os dias. Estamos enfeitiçados, nos tornamos idólatras e, consequentemente, somos levados às inimizades, porfias, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes (Gálatas 5:19-21).

 

Quem somos? Se terminamos qualquer faculdade trazemos de lá idéias já pré-concebidas e em cima destas criamos nosso mundo, nas experiências dos outros. Lemos livros, assistimos filmes, novelas e outras ideologias tiradas de culturas distantes e apenas com fundo emocional razoável que, como qualquer droga, nos satisfaz momentaneamente. Uns dos alunos do MESTRE chamado Paulo, fala do judaísmo, religião forte, milenar, com uma saga fantástica, mas de conteúdo deturpado: “Eis que tu, que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus; e sabes a sua vontade, e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei; e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei; tu, pois, que ensinas a outros, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas. Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio? Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?” (Romanos 2:17-23).

 

O EVANGELHO ou as BOAS NOVAS ou ainda, A ESCOLA DO MESTRE veio exatamente nos ensinar que O CAMINHO só será seguido com a FORMA destas BOAS NOVAS. Não existem outras verdades, existe sim A VERDADE, pois se verdadeiramente o FILHO vos libertou, verdadeiramente sereis LIVRES. Portanto, que venha a ciência a nos ajudar, tornar nossas vidas mais rápidas para usarmos o tempo livre que a tecnologia nos dá para cuidar dos nossos semelhantes, para cultivarmos O AMOR ÁGAPE que só aprenderemos no exercício diário do EVANGELHO.

 

Paulo sobre este assunto da ESCOLA DO MESTRE, fala aos irmãos em Coríntios 8:1 que: “... A CIÊNCIA incha, mas o AMOR edifica”. Se você tem um alfinete em sua casa, todas as vezes que se sentir inchada pela ciência, vamos lá, “fure” esta bola e deixe o AMOR lhe edificar. Dê uma olhadinha em sua vida e descubra o que lhe está impedindo de se aproximar do MESTRE para melhorar seu relacionamento com filhos, marido, esposa, trabalho... Se aproxime do MESTRE, pois Ele tem interesse que você cresça e edifique, nunca que seja algemado pelas impossibilidades. Faça uma varredoura em sua mente e descubra o que lá foi escrito ou plantado, descubra qual mente lhe norteia e busque o EVANGELHO e terá a MENTE DE CRISTO.

 

Israel Sarlo

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida

 

25. dez, 2015

 "POR QUE TE ABATES MINHA ALMA?..."

 

"No mundo vocês terão aflições, mas tenham bom ânimo, eu VENCI o MUNDO!" (João 16:33).

 

Quando O MESTRE fala das aflições, como se nelas fosse possível ter "bom ânimo" Ele se lança na frente, dizendo que além destas aflições Ele abriria O CAMINHO para os VENCEDORES NO MUNDO. ELE reporta ao grande profeta Isaías, testificando do NATAL lá em Belém onde o MESTRE feito menino viria abrir todas as POSSIBILIDADES para toda a HUMANIDADE:

 1º- "Porque um menino nos nasceu um filho se nos deu;

 2º- O principado está sobre os seus ombros;

3º-  O seu nome será MARAVILHOSO CONSELHEIRO,

4º- DEUS FORTE,

5º- PAI DA ETERNIDADE,

6º- PRÍNCIPE DA PAZ" (Is. 9:6).

 

“Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo. Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”

(João 16. 32-33)

 

 

"Tenho-vos dito isto..." Isto o que? No v. 32 Ele nos diz que chegaria a hora em que todos seriam dispersos, cada um para sua casa, e que ficaria sozinho: sozinho de companhia humana, mas que o PAI estaria com Ele e que este COMPANHEIRO - O PAI traria paz e seria esta paz que venceria as aflições existentes no mundo.

 

Ele usa um verbo no futuro e outro no presente: o verbo ter "tereis" e o verbo vencer "venci". Claro que no primeiro verbo está embutido a FÉ que, sem dúvida nenhuma, traz a vitória no verbo vencer, mas o importante na fala do MESTRE, antes destes dois verbos esta o ÂNIMO e com ele outro importante verbo - TER "tende".

 

Há pouco muitos países comemoraram o nascimento - NATAL, de nosso MESTRE, mas também é verdade que poucas pessoas entendem o seu REAL SIGNIFICADO e isto é perfeitamente mostrado pelos VERBOS expressados por elas: MATAR, ROUBAR, MENTIR, ENGANAR, TRAPACEAR, MORRER, SOFRER e o não RESSUSCITAR para Deus.

 

A mensagem de Isaías tem hoje um sentido diferenciado e esta diferença nos é dada pelo MESTRE e por todos os seus apóstolos, pois eles deixam claro que o MESTRE não habita em casas feitas por mãos humanas, mas que em nosso coração existe uma MANJEDOURA e nela "um menino nos nasceu..." e que seu nome é MARAVILHOSO CONSELHEIRO, DEUS FORTE, PAI DA ETERNIDADE E PRÍNCIPE DA PAZ.

 

Que mesmo após as comemorações de Natal, possamos de verdade expressar este DEUS com todas estas expressões ditas pelo profeta, usado pelo PAI. Que sejamos seus imitadores sendo MARAVILHOSOS CONSELHEIROS; EXPRESSANDO A FORÇA DE NOSSO DEUS; QUE O MUNDO SAIBA QUE, COMO CRISTÃOS, TEMOS A ETERNIDADE NOS DADA PELO PRÍNCPE DA PAZ.

 

Que cada ato nosso na vida de nosso semelhante seja uma SEMENTE DO BEM, que venha germinar FRUTOS, tantos FRUTOS na ALMA e ESPÍRITO e que estes sejam testemunhados como FRUTOS também na vida humana de cada um e assim a VIDA ABUNDANTE seja o marco a nortear nossas vidas, afinal "Um menino nos nasceu e seu nome é MARAVILHOSO...".

 

Que cada um possa neste ano que se finda nada pedir, mas testemunhar que foi alvo do AMOR de DEUS através de mãos e gestos humanos, pois assim estaremos testificando o AMOR ÁGAPE.

 

Que nossas almas em suas importantes divisões nunca se abatam. Que nossas MENTES, VONTADES E EMOÇÕES não percam a calma.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida

 

24. dez, 2015

Na verdade eu tinha em mente escrever sobre outro tema para todos vocês que acompanham nosso BLOG, mas me veio em mente nossa PÁTRIA, nosso POVO e como sei da brasilidade que existe em você,  decidi acertar o alvo com uma só “cajadada”.

 

Não estou perplexo com tudo que está havendo em nosso país, pois na verdade a ambição, o ódio são marcas em todo mundo que não conhece o SALVADOR JESUS. É claro que tudo isto culminará em guerra e guerra sempre será sinônimo de morte.

 

Nosso BRASIL é realmente GIGANTE e se tornará exemplo entre mil outras nações se, na verdade, cada indivíduo que aqui nasceu ou nascerá entender que PARAÍSO somos nós que construímos. Quando entendermos que nossos púlpitos e templos deveriam existir não como trincheiras menores e com suas guerras particulares erguendo homens e mulheres com suas ideologias, criando assim suas disputas "santas", que para mim, são nichos de oposição à verdade, deturpando a VERDADE em sua "OPERAÇÃO DO ERRO" em mentiras.

 

O que foi comemorado neste NATAL? Algum presente interessante e vital temos para dar ao aniversariante JESUS? Estamos em trevas e AS BOAS NOVAS DE SALVAÇÃO - O EVANGELHO tem sido substituido por doutrinas da PROSPERIDADE como se estivéssemos esquecidos que da CRUZ nos veio  “VIDA ABUNDANTE".

O VÉU do templo, rasgado de cima para baixo, nos convidando a entrarmos no SANTO DOS SANTOS sem a necessidade de SACERDOTES LEVÍTICOS, mas sim, através da ORDEM DO SACERDÓCIO MELQUISEDEQUE (Hb. 5:6) foi novamente refeito, costuraram-no de baixo para cima vetando nossa entrada sendo agora necessário outros sacrifícios, pois para estas religiões evangélicas o SACRIFÍCIO DA CRUZ passou a não ter mais valor. Estão levando o mestre ao vitupério e o crucificando novamente (Hb. 6:6).

 

As religiões levantaram pastores como se fossem sacerdotes intercessores; irmãs que se dizem profetas e tratadas como se estivessem no lugar de Jesus como nossas advogadas. Somos obrigados a frequentar templos, subir montes, pagar caro os 10/% da miséria de um salário que torna nosso BRASIL em um pigmeu.

 

Eu desejo muito que nossos templos tivessem homens e mulheres comprometidos com a VERDADE. Que nossas ESCOLAS BÍBLICAS DOMINICAIS se preparassem como um GRANDE BERÇÁRIO para que vidas realmente comprometidas com o NASCIMENTO DO MESTRE levassem outros para entender da CRUZ e assim RESSUSCITEM das mentiras religiosas e tornem-se DISCÍPULOS do MESTRE. Assim teremos homens e mulheres guerreiros (as) na luta do BEM CONTRA O MAU. Venceremos, pois esta é a vontade de nosso DEUS.

 

Que em plena GUERRA SANTA tenhamos como a “arma” o AMOR E A ESPERANÇA.

 

Israel Sarlo

www.facebook.com/caminhoeavida

 

19. dez, 2015

Palavras do próprio Mestre Jesus, O Cristo.

 Jesus dirigiu-se outra vez aos seus discípulos e à multidão que se reunia ao entorno dele. Disse:

 

“Os líderes religiosos e os fariseus são professores competentes na Lei de Deus. Vocês não erram quando seguem os ensinamentos deles a respeito de Moisés. MAS SEJAM CUIDADOSOS quanto à segui-los. Eles têm um belo discurso, mas não o vivem.  Não o guardam no coração e o desmentem com seu comportamento. É tudo aparência.

 

Em vez de dar a vocês a Lei de Deus como se fosse comida e bebida, com as quais vocês poderiam se banquetear no Senhor, eles a amarram em pesados fardos de regras, transformando vocês em animais de carga. Eles parecem ter prazer em vê-los cambalear sob o peso e não movem um dedo para ajudar. A vida deles são contínuos shows de moda, orações enfeitadas com mantas num dia e preces floreadas no outro. Eles fazem questão de sentar-se à cabeceira da mesa nos jantares, primam por posições de destaque, enfeitam-se com o brilho da bajulação pública, colecionam títulos honoríficos e querem ser tratados por ‘Doutor’ e ‘Reverendo’.

 

 

Não permitam que eles também ponham vocês nesse pedestal. Porque há um único Mestre, e todos vocês são alunos. Não elejam especialistas na vida de vocês, permitindo que lhes digam o que fazer. Reservem essa autoridade apenas para Deus. Deixem que ele diga a vocês o que fazer. Ninguém mais deve ter o título de ‘Pai’. Vocês só têm um Pai, e ele está no céu. Não se deixem manipular por certas pessoas, a ponto de se sentirem responsáveis por eles. Há somente um Guia para a vida de vocês e para a vida deles — Cristo.

 

 

Quer se destacar? Humilhe-se. Seja um servo. Se ficar inflado de orgulho, será arrastado pelo vento. Mas, se estiver satisfeito em simplesmente ser você mesmo, você terá vida plena.

 

 

IMPOSTORES! Não aguento mais vocês, líderes religiosos e fariseus. Vocês são um caso perdido. Impostores! A vida de vocês é uma enorme barreira para o Reino de Deus. Vocês se recusam a entrar e não permitem que outros entrem. Vocês, líderes religiosos e fariseus, são um caso perdido. Impostores! Viajam meio mundo para fazer um convertido e depois que conseguem o transformam numa réplica de vocês mesmos, duplamente condenado. Vocês são um caso perdido, um poço de estupidez e arrogância! Vocês dizem: ‘Se alguém faz uma promessa com os dedos cruzados, ela não vale nada, mas, se jurar com a mão sobre a Bíblia, então é sério’. Quanta ignorância! O couro da Bíblia é mais importante que a pele das suas mãos? Que tal esta bobagem: ‘Se você aperta a mão de alguém quando faz uma promessa, a promessa não tem valor, mas, se levanta as mãos, tomando Deus por testemunha, então ela é válida'? Que disparate! Que diferença faz apertar ou levantar as mãos? Promessa é promessa. Que diferença faz se ela foi feita dentro ou fora de uma casa de adoração? Promessa é promessa: Deus está presente, observando tudo, e chamará vocês à responsabilidade.

 

 

Vocês, líderes religiosos e fariseus, são um caso perdido. Impostores! Mantêm registros contábeis meticulosos, dão dízimo de cada centavo que ganham, mas, no essencial da Lei de Deus, coisas como justiça, compaixão e compromisso — absolutamente básicas! —vocês deixam de lado, sem nenhum remorso. A atitude cuidadosa tem o seu valor, mas o essencial é indispensável. Vocês não imaginam quão tolos parecem, escrevendo uma história de vida equivocada do princípio ao fim, nessa preocupação com pontos e vírgulas?

 

 

Vocês, líderes religiosos e fariseus, são um caso perdido. Impostores! Mantêm registros contábeis meticulosos, dão dízimo de cada centavo que ganham, mas, no essencial da Lei de Deus, coisas como justiça, compaixão e compromisso — absolutamente básicas! — vocês deixam de lado, sem nenhum remorso. A atitude cuidadosa tem o seu valor, mas o essencial é indispensável. Vocês não imaginam quão tolos parecem, escrevendo uma história de vida equivocada do princípio ao fim, nessa preocupação com pontos e vírgulas? Vocês, líderes religiosos e fariseus, são um caso perdido. Impostores! Vocês dão polimento ao exterior de suas taças e vasilhas, para que possam brilhar ao sol, enquanto o interior está sujo com sua cobiça e glutonaria. Fariseus tolos! Esfreguem o interior, e, então, o exterior brilhante fará algum sentido. Vocês, líderes religiosos e fariseus, são um caso perdido. Impostores! Vocês são como as lápides das sepulturas: bem feitas, grama aparada e flores à volta, mas sete palmos abaixo o que existe são ossos podres e carne comida por vermes. Para quem olha, vocês parecem santos, mas, por baixo desse verniz, são uma fraude.

 

Vocês, líderes religiosos e fariseus, são um caso perdido. Impostores! Vocês constroem túmulos de granito para os profetas e monumentos de mármore para os santos. Dizem que, se tivessem vivido no tempo dos seus antepassados, não teriam sangue nas mãos. Conversa! Vocês e aqueles assassinos são farinha do mesmo saco, e cada dia acrescentam homicídios à sua ficha criminal. Serpentes! Répteis traiçoeiros! Pensam que vão ficar sem castigo? Acham que vão sair sem pagar? É por causa de pessoas como vocês que envio profetas, guias sábios e mestres, geração após geração — e geração após geração vocês os tratam como lixo, incitando linchamentos e abusos contra eles.

 

Há uma coisa que vocês não podem evitar: cada gota de sangue justo derramada na terra, começando pelo sangue de Abel, um homem bom, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, assassinado por vocês enquanto orava, está sobre a cabeça de vocês. Afirmo que tudo isso será cobrado desta geração.

 

Jerusalém! Jerusalém! Assassina de profetas! Matadora dos mensageiros de Deus! Quantas vezes desejei abraçar seus filhos como a galinha recolhe seus pintinhos debaixo das asas, mas você não quis. Agora está desolada, não passa de uma cidade-fantasma. O que mais posso dizer? Apenas isto: estou de saída. Da próxima vez que me virem vocês irão dizer: ‘Oh! Ele é um bendito do Senhor e está vindo para instituir o governo de Deus!”. 

 

(Mateus 23 – versão A Mensagem)

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida

 

7. dez, 2015

POR QUE ESTÊVÃO INCOMODOU TANTO OS LÍDERES RELIGIOSOS A PONTO DE SER ASSASSINADO?

 

...A denúncia incitou os ânimos do povo, de seus líderes e dos mestres religiosos. Eles agarraram Estêvão e o levaram perante o Concílio. Apresentaram testemunhas subornadas que diziam: “Este homem não para de falar contra o Lugar Santo e contra a Lei de Deus. Até o ouvimos dizer que Jesus de Nazaré destruiria este lugar e que daria fim a todos os costumes instituídos por Moisés”.

 

Os membros do Concílio olharam para Estêvão e não conseguiram mais tirar os olhos dele, porque seu rosto parecia o rosto de um anjo!

 

Então, o sacerdote principal perguntou: “O que você tem a dizer sobre isso?”.

 

Estêvão respondeu: “Amigos, pais e irmãos, o Deus da glória apareceu ao nosso pai Abraão quando ele ainda vivia na Mesopotâmia, antes de se mudar para Harã, e ordenou: ‘Deixe sua terra e sua família e vá para a terra que vou mostrar a você’. Ele deixou a terra dos caldeus e foi para Harã. Depois da morte do seu pai, migrou para cá, onde vocês vivem agora, mas Deus não lhe deu nada, nem um palmo sequer, prometendo que a terra seria dada ao seu filho, ainda que Abraão não tivesse filho na época. Deus revelou que sua descendência se mudaria para uma terra estranha e ali seriam duramente escravizados por quatrocentos anos, mas prometeu: ‘Vou tomar providências contra os seus dominadores e trazer meu povo para cá, para que me adorem aqui’.

 

Deus firmou uma aliança com Abraão e a assinou na carne do patriarca, pela circuncisão. Abraão teve seu filho Isaque e oito dias depois fez o sinal da circuncisão no menino também. Isaque tornou-se pai de Jacó; Jacó, pai dos doze ‘pais’, e cada um passou adiante o sinal da aliança. Certo dia, os ‘pais’, cheios de inveja, venderam José como escravo para o Egito. Mas Deus estava lá com ele e não só o livrou de todas as suas lutas como o levou até a presença do faraó, rei do Egito, que ficou tão impressionado com José que o pôs como responsável de todo o Egito, até mesmo de seus assuntos pessoais.

 

Mais tarde, uma fome atingiu a região, do Egito a Canaã, com terríveis consequências. Na fome, nossos pais procuraram comida em toda parte, mas a despensa continuava vazia. Jacó soube que havia comida no Egito e enviou nossos pais para investigar. Confirmada a notícia, eles voltaram ao Egito segunda vez para comprar comida. Nessa visita, José revelou sua identidade aos seus irmãos e apresentou a família de Jacó ao rei do Egito. Então, José mandou buscar seu pai, Jacó, e os demais membros da família, setenta e cinco ao todo. Foi assim que a família de Jacó chegou ao Egito. Jacó morreu, e nossos pais depois dele. Eles foram levados a Siquém e sepultados num túmulo que Abraão havia comprado dos filhos de Hamor por um bom dinheiro.

 

Quando os quatrocentos anos estavam para se completar, o tempo em que Deus prometeu a Abraão libertar Israel, o nosso povo no Egito já era imenso, e estava sob um rei do Egito que nunca tinha ouvido falar de José. Ele explorou nosso povo sem piedade, a ponto de nos forçar a abandonar os recém-nascidos, condenando-os a uma morte cruel. Foi nessa época que Moisés nasceu. E que bebê bonito! Ficou escondido em casa por três meses. Quando não era mais possível escondê-lo, ele foi tirado de casa — e imediatamente salvo pela filha do faraó, que cuidou dele como se fosse um filho. Moisés recebeu a melhor educação do Egito e se destacou tanto acadêmica como fisicamente.

 

Aos quarenta anos, Moisés quis saber como era a vida de seus parentes hebreus e foi verificar a situação deles. Um dia viu um egípcio maltratando um deles e interferiu, e matou o egípcio para vingar o irmão humilhado. Imaginava que seus irmãos ficariam contentes ao saber que ele estava do lado deles e que iriam vê-lo como instrumento de Deus para libertá-los. Mas eles não entenderam nada disso. No dia seguinte, dois deles estavam brigando, e Moisés tentou interferir, sugerindo que fizessem as pazes e se entendessem: ‘Amigos, vocês são irmãos, por que estão brigando?’. O que havia começado a briga retrucou: ‘Quem deu a você autoridade sobre nós? Vai me matar como matou o egípcio ontem?’. Quando Moisés ouviu isso, percebeu que a notícia havia se espalhado e fugiu. Exilou-se em Midiã e, durante os anos do exílio, teve dois filhos.

 

Quarenta anos depois, no deserto do monte Sinai, um anjo lhe apareceu num arbusto em chamas. Maravilhado com aquilo, Moisés foi conferir de perto e ouviu a voz de Deus: ‘Eu sou o Deus de seus pais, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó”. Morrendo de medo, Moisés fechou os olhos e virou o rosto. Deus lhe disse: ‘Ajoelhe-se e ore! Você está num lugar santo, em terra santa. Tenho visto a agonia do meu povo no Egito. Ouvi seus gemidos. Vim para ajudá-los. Prepare-se: eu mandarei você de volta ao Egito’.

 

E esse era o mesmo Moisés que antes haviam rejeitado, dizendo: ‘Quem deu a você autoridade sobre nós?’. É aquele Moisés que Deus, usando o anjo no arbusto, enviou de volta como líder e libertador. Ele os tirou da escravidão para a liberdade, realizando coisas maravilhosas, sinais da parte de Deus por todo o Egito, no mar Vermelho e no deserto por quarenta anos. E foi isso que Moisés disse à comunidade: ‘Deus levantará um profeta como eu entre vocês’. Esse é o Moisés que ficou entre o anjo que falava no Sinai e os seus antepassados reunidos no deserto, que recebeu as palavras de vida que lhe foram entregues e as comunicou a nós, palavras que nossos pais rejeitaram. Eles tinham saudade dos costumes egípcios e reclamaram com Arão: ‘Faça para nós deuses a quem possamos ver e seguir. Esse Moisés que nos trouxe para este fim de mundo, nem sabemos o que lhe aconteceu!’. Foi nessa ocasião que fizeram um ídolo em forma de bezerro, ofereceram-lhe sacrifícios e festejaram o ídolo que confeccionaram. Deus não estava satisfeito, mas os deixou agir conforme desejassem: adorar cada novo deus que aparecia — e viver com as consequências, descritas pelo profeta Amós: Vocês me trouxeram oferendas de animais e grãos durante quarenta anos no deserto, ó Israel? Que nada. Estavam ocupados demais, construindo santuários para os deuses da guerra e as deusas do sexo, Adorando-os de todo o coração e com toda a força. Foi por isso que eu os mandei para o exílio na Babilônia.

 

Durante todo esse tempo, nossos antepassados tiveram um santuário em forma de tenda para o verdadeiro culto, feito conforme as especificações que Deus dera a Moisés. Esse santuário os acompanhava enquanto seguiam Josué, quando Deus eliminou os pagãos da terra; eles ainda o tinham no tempo de Davi. Foi então que Davi pediu a Deus para construir um lugar permanente de adoração, mas foi Salomão que o construiu.

Mas isso não quer dizer que o Deus Altíssimo viva num edifício feito por homens. O profeta Isaías expressa com muita clareza essa questão: ‘O céu é a minha sala do trono; eu descanso meus pés na terra. Então, que tipo de casa vocês pensam construir para mim?’, Deus pergunta, ‘Onde eu possa descansar e sossegar? Ela já está pronta, e eu a construí’.

 

A verdade é que vocês continuam teimosos, com o coração insensível e com os ouvidos fechados. Vocês deliberadamente ignoram o Espírito Santo, como fizeram seus antepassados. Houve pelo menos um profeta que não tenha recebido o mesmo tratamento? Seus antepassados mataram todos os que ousaram anunciar a vinda do Justo. E vocês mantêm a tradição da família — são traidores e assassinos, todos vocês! Receberam a lei de Deus, que foi entregue por anjos — como um presente! —, mas vocês a desprezaram.”

 

Mal ele acabou de falar, o povo deu vazão à fúria, com vaias, assobios e ofensas. Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, nem prestou atenção — tinha olhos apenas para Deus, porque o estava vendo em toda a sua glória, com Jesus ao lado. Ele exclamou: “Oh! Vejo os céus abertos, e o Filho do Homem ao lado de Deus!”

 

Gritando e vaiando, a multidão arremeteu contra ele, como um estouro de boiada. Arrastaram-no para fora da cidade e o apedrejaram. Os líderes pediram a um jovem chamado Saulo que tomasse conta das roupas dele. Enquanto as pedras caíam como chuva, Estêvão orava: “Senhor Jesus, recebe meu espírito”. Em seguida, ajoelhou-se e orou alto o bastante para que todos ouvissem: “Senhor, não os culpe por causa deste pecado!”. Foram suas últimas palavras. E, depois, ele morreu.

 

(Atos 7 – versão A Mensagem)

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida