20. jan, 2016

ESCOLA APOSTÓLICA (1ª Parte)

TRANSFORMAI-VOS

 

“E não vos CONFORMEIS... TRANSFORMAI-VOS pela RENOVAÇÃO do vosso ENTENDIMENTO, para que EXPERIMENTEIS qual seja a boa agradável e perfeita vontade de DEUS”.   (Romanos 12:2)

 

Hoje, na ESCOLA APOSTÓLICA, vamos falar de MUDANÇA e para que MUDANÇAS verdadeiras sejam feitas, é necessário FOCO e para que o FOCO seja correto, precisamos de ESCOLHAS inteligentes.

 

É claro que, sob as trevas da ignorância, o que impera em nossas vidas são nossas VONTADES terrivelmente nocivas. VONTADES nada agradáveis e nada perfeitas. Quando Paulo fala da “vontade de Deus” é claro que não está falando da VONTADE de ALMA, irmã gêmea da MENTE e da EMOÇÃO da ALMA decaída da humanidade sem Deus. Está falando da VONTADE INTELIGÊNTE que passou pelo grifo da CRUZ. Esta INTELIGÊNCIA sim faz parte da CONSCIÊNCIA, também irmã gêmea da COMUNHÃO e da INTUIÇÃO, atributos do ESPÍRITO DO HOMEM em DEUS.

 

Que dificuldade enorme encontrou em levar para os religiosos a verdade do EVANGELHO no que tange TRANSFORMAÇÃO. Paulo escreve desta maneira sabendo da interpretação religiosa judaica mesmo em Roma com suas tendências pagãs de seus ídolos malignos. Como Paulo entendia a ALMA HUMANA decaída e como escrevia no desejo de levá-las para a ESCOLA APOSTÓLICA com base total na ESCOLA DO MESTRE.

 

Que dificuldade O MESTRE e Paulo encontraram para o plantio das BOAS NOVAS? Eles sabiam das necessidades humanas de seu povo e de todo o restante da humanidade. Havia inúmeras necessidades e necessidade faz escravo o homem. Faz o homem cativo dos espertalhões que, no passado, se dizia portador de SANGUE AZUL – aristocratas de dinastias importantes, de famílias reais.

 

Nas BEM AVENTURANÇAS, Mateus cinco, o MESTRE veio ensinando dizendo que bem aventurado são todos que possuem a pobreza de espírito, pois somente:

 Os pobres de espírito seriam herdeiros do Reino dos Céus (v.3);

 Os que choram seriam consolados (v.4);

 Os mansos herdariam a terra (v.5);

 Os famintos e sedentos seriam fartos (v.6);

 Os misericordiosos alcançariam misericórdia (v.7);

 Os limpos de coração veriam a Deus (v.8);

 Os pacificadores seriam chamados filhos de Deus (v.9);

 Os perseguidos por causa da justiça, pois deles o Reino dos Céus (v.10);

 Os injuriados, perseguidos por calúnias com testemunhos contrários a verdade, distorcendo a verdade que é dita. Exaltados serão. Grande galardão nos céus terão; por que assim perseguiram os profetas que foram antes de todos vocês (VS.11 e 12).

 

O MESTRE não fala do RICO DE ESPÍRITO, isto é, riqueza no sentido da soberba, ricos de ódio, calúnia, da falta de misericórdia que chegam ao ponto de não terem nem fome e nem sede de justiça, se acostumaram com a maldade e conformados com o presente século. Ouvintes esquecidos achando que passar a perna nos outros, tirar vantagens em tudo que compram e vendem. Prostitutos que não sabem nada sobre fidelidade. Impenitentes, arrogantes achando que nunca envelhecerão e morrerão.

 

O MESTRE deixou para a ESCOLA APOSTÓLICA esta visão destituída da humanidade. O MESTRE mostra para seus seguidores que, as necessidades da humanidade, não são as necessidades que brotam no seio da sociedade como frutos as DOENÇAS, FOMES, GUERRAS, INFIDELIDADES, MORTES, ORFANDADES, VIUVEZ e etc., tudo isto são frutos que dão muito dinheiro aos políticos e principalmente aos religiosos. Por quê? Tratar dos frutos nada vai adiantar, pois o mal não está neles, mas sim nas raízes. Tratando das raízes os frutos virão saudáveis com boa cor, tamanho, cheiro e gosto. Todos os males na sociedade hoje trazem grande volume de dinheiro e falso poder, tanto para os políticos como para os religiosos. Na política usa estes frutos para que verbas sejam dadas, mas chegando aos necessitados quase nada. Para os religiosos, usando a necessidade das pessoas e o termostato chamado crença natural no ser humano, usam o nome de qualquer deus e este termostato funciona mesmo e as glorias ficam para o que usam púlpito, altares, terreiros e etc. Pronto, os frutos, ou as necessidades parecem ser resolvidas, assim como um câncer extirpado de um local, nascendo logo depois em outros lugares, levando fatalmente a morte.

 

Tanto a ESCOLA DO MESTRE como a ESCOLA APOSTÓLICA trata, em cada época de um só problema – O PECADO – O ERRO que perpetua em cada SÉCULO. Tanto o MESTRE como os APÓSTOLOS entenderam que o PECADO que é ERRAR O ALVO está sendo perpetuado por RELIGIOSOS que criam,, em torno da verdade do EVANGELHO, invenções teológicas que buscam atender as carências da humanidade que não cessa com suas guerras e com seus experimentos científicos, fazendo do homem suas cobaias com suas doenças cada dia mais sofisticadas. Que venha a ciência, que as religiões se multipliquem, mas que a verdade que liberta seja seu conteúdo único. Não podemos nos conformar com este PRESENTE SÉCULO, que traz do PASSADO SÉCULO seus males transferindo-os para o FUTURO SÉCULO. Precisamos lutar para que a humanidade seja TRANSFORMADA pela renovação do seu ENTENDER e assim os males de raízes perversas sejam cortados e lançados ao fogo.

 

Israel Sarlo

www.ocaminhoeavida.com

www.facebook.com/caminhoeavida