9. jul, 2017

II Coríntios - Aula 04: REDUZIDO AO ESPÍRITO

Capítulo 4 de II Co

Leitura bíblica: 2ª Co.1:17; 2:10; 10:1; 11:10; 12:9; 13:14, 3-5 e o capítulo 4.

 

Vimos que em 2ª Coríntios Paulo mostra que ele era uma pessoa completamente no espírito. Era uma pessoa que aceitou ser instruída por Deus (“... aprendei de mim que sou manso...”), testada por Deus, (após aceitar ser discípulo) e até mesmo treinada por Deus para não viver na carne, mas no espírito. Nos capítulos anteriores, começamos a ver que o que a igreja necessita hoje não é de uma pessoa cheia de conhecimento, de educação, de dons poder, mas de uma pessoa que é reduzida no homem natural, exterior (4:16). O homem exterior tem de ser consumido, reduzido, todo o tempo. Então seremos reduzidos ao espírito e aprenderemos como viver completamente no espírito. Esse é o tipo de pessoa que a igreja necessita hoje. Ao longo da história da igreja, existiram muitos gigantes espirituais, pessoas dotadas, e grandes mestres, mas a igrejas não foi edificada. O Senhor necessita de algumas pessoas que foram reduzidas ao espírito para edificação da igreja, seu corpo.

 

Devemos perceber que o Senhor está voltando em breve. O Senhor nos disse que viria sem demora (Ap.22:20), mas alguém pode pensar que sua vinda tem demorado, pois já se passaram quase dois mil anos desde sua ascensão. Mas não se esqueça de que para ele mil anos são como um dia (2ª Pd.3:8). É impressionante como o fato de que os escritos proféticos enfatizam o restabelecimento da nação de Israel (ver Mt.24:32), A nação de Israel formou-se novamente em 1948 e Jerusalém retornou a Israel em 1967. Esse foi o feito maravilhoso do Senhor. Ninguém sonhava que a nação de Israel tornaria a ser formada ou que Jerusalém retornaria a Israel daquele modo. O cumprimento dessa profecia mostra-nos que o Senhor está preparando Israel e a igreja para a sua volta. O Senhor fez algo para cumprir a sua profecia concernente a Israel, e acredito que o Senhor fará algo rapidamente para preparar sua noiva. Temos visto que o Senhor prepara sua noiva não simplesmente por meio de dons ou por ensinamento, mas pela obra da cruz e pela unção do Espírito. Temos de ser reduzidos, e temos de ser conquistados, capturados por Cristo.

 

Todos temos de ser reduzidos ao espírito. Nosso espírito não está vazio, não está desocupado, mas está ocupado por Cristo. Cristo está em nosso espírito (2ª Tm.4:22). Quando somos reduzidos ao espírito, encontramos Cristo. Portanto, ser reduzido ao espírito significa ser reduzido a Cristo, ser reduzido a viver por Cristo. 2ª Co3:17 é vital e preciosos falando-nos que Cristo, o Senhor, é o Espírito que habita interiormente em nosso espírito. Como o Espírito que habita interiormente ele está agora vivendo, movendo-se, agindo, e até mesmo esperando que sejamos reduzidos ao espírito. Temos de ser reduzidos ao espírito. Uma vez reduzidos ao espírito, encontraremos Cristo. A Segunda carta aos coríntios, por um lado, mostra-nos que o apóstolo Paulo vivia, agia, e trabalhava no espírito por mio de Cristo.

 

A PESSOA DE CRISTO - A Segunda Epístola aos Coríntios 2:10 menciona a “pessoa de Cristo”. A versão de João Ferreira de Almeida traduz esta frase como “presença de Cristo”. No texto original grego a palavra comum para presença é parousia. Mas a palavra para pessoa aqui é prosopon. Paulo disse: “A quem perdoais alguma coisa, também eu perdôo; porque de fato o que tenho perdoado, se alguma coisa tenho perdoado, por causa de vós o fiz na presença de Cristo”. Paulo perdoou um irmão na presença [presença] de Cristo. A palavra grega significa a face, a parte ao redor dos olhos, que é o índex de todos os pensamentos e sentimentos interiores para expressar a imagem completa da pessoa. A parte da face que circunda os olhos é o índex de todos os pensamentos e sentimentos interiores, expressando o que a pessoa pensa e como se sente interiormente. Paulo perdoou o irmão na pessoa de Cristo, segundo o índex de toda sua pessoa expressa em seus olhos. Paulo não vivia somente na presença do Senhor, mas também no índex dos sentimentos interiores e pensamentos de Cristo. Isso é muito profundo, muito afetuosos e muito refinado.

 

Não posso expressar totalmente o sentimento que tive em meu interior quando descobri o significado desta palavra “pessoa”. Curvei-me diante do Senhor e disse: “Senhor, por todos estes anos nunca percebi que tenho de viver não meramente em tua presença, mas em tua pessoa de tal maneira afetuosa”. Não se trata apenas de viver em sua presença, mas muito mais, em sua pessoa. Não creio que, nós cristãos comportamo-nos na pessoa do Senhor de tal modo afetuoso. Podemos dizer que vivemos, agimos e nos comportamos na presença do Senhor, mas quem se comporta na pessoa de Cristo, do modo como esposo fiel comporta-se na pessoa da esposa amada? Porém, aqui em 2:10, há uma frase dizendo-nos que Paulo era tal pessoa, procedendo todo o tempo no índex dos olhos do Senhor, o índex de seus sentimentos e pensamentos, mas segundo o sentimento, o pensamento daquele que habita em seu interior. Ele se comportava na pessoa de Cristo. Quando perdoou, ele o fez na pessoa de Cristo. Ele queria que os coríntios soubessem que não perdoara segundo ele mesmo ou segundo sua carne, mas na pessoa de Cristo. Esse é o significado de viver por Cristo. O apóstolo Paulo foi reduzido a tal ponto que nunca agia em sua própria pessoa. Ele se comportava na pessoa de Cristo, na face, no pensamento, na expressão do sentimento e pensamento de Cristo. Viver na pessoa de Cristo é tão terno e tão profundo. Paulo era uma pessoa reduzida a nada; ele tão-somente tomava Cristo como sua pessoa. Ele se conduzia na pessoa de Cristo.

 

A IMUTABILIDADE DE CRISTO - Em 2ª Coríntios 1Co:17 Paulo diz: “Ora, determinando isto, terei porventura agido com leviandade? Ou, ao deliberar, acaso delibero segundo a carne de sorte que haja em mim simultaneamente o sim e o não?” Paulo não se propunha a fazer coisas segundo a carne de maneira que dissesse em determinado instante, sim, e em outro instante, não. Ele não era uma pessoa de sim e não. Paulo era uma pessoa na qual não havia nenhuma inconstância. Quando dizia sim, ele dizia com Cristo. Quando tomava uma decisão, o fazia com Cristo. Quando Cristo dizia sim, ele dizia sim. Quando Cristo dizia não, ele dizia não. Não havia inconstância nem mudanças em Paulo, porque ele não dizia sim por si mesmo nem segundo a carne, mas segundo o Cristo Que habita interiormente.

 

Em 1:18-20 diz: “Antes, como Deus é fiel, a nossa palavra para conosco não é sim e não. Porque o Filho de Deus, Cristo Jesus, que foi por nosso intermédio anunciado entre vós, isto é, por mim, e Silvano, e Timóteo, não foi sim e não mas sempre nele houve o sim. Porque quantas são as promessas de Deus tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio.” Em Cristo não há mudança. Uma vez que o Cristo que Paulo pregou segundo as promessas de Deus não se tornou sim e não, a palavra que pregou concernente a ele não foi sim e não. Não apenas sua pregação, mas também seu viver estava de acordo com o que Cristo é. Ele não era um homem de sim e não, mas alguém que era como Cristo. Foi uma pessoa que vivia por Cristo. Quando dizia sim, ele o dizia como Cristo. Paulo, em si próprio, foi reduzido a nada porquanto podia dizer que o seu sim era o sim de Cristo. Cristo não é sim e não, mas ele é sempre o mesmo. Paulo era sempre o mesmo, porque ele vivia por Cristo.

 

Precisamos orar para que o Espírito nos ajude a perceber e enxergar que tipo de pessoa era o apóstolo Paulo enquanto vivia nesta terra. Ele era uma pessoa totalmente reduzida a nada, mas que tomava Cristo como tudo em seu espírito. Todos devemos ser reduzidos a ponto de estarmos no espírito, tomando Cristo como tudo. Quando dissermos sim ás pessoas, devemos dizê-lo com Cristo. Se Cristo não disser sim, não devemos dize-lo. Não temos nenhuma condição, direito ou posição para dizer qualquer coisa apartados de Cristo porque fomos crucificados com ele (Gl.2:20). Paulo foi reduzido ao espírito. Ele foi pressionado sem limites (2ª Co.1:8) de modo que não era mais ele, senão Cristo que vivia nele. Ou seja, quando dizia sim, dizia-o com Cristo.

 

Podemos amar ao Senhor e tentar viver por Cristo, mas quantos de nós praticam isso sempre que há uma pergunta a ser respondida? Você pensa em responde-la com Cristo? Por isso é que alguns irmãos sempre estão mudando: de manhã é “sim” mas a tarde é “não”. Todo tempo estão mudando. Mas se você tomar Cristo como sua resposta, como o seu sim, e como o seu amém, não haverá nenhuma mudança. Cristo é sempre o mesmo (Hb.13:8) e o apóstolo Paulo tomou-o como seu sim.

 

A MANSIDÃO E BENIGNIDADE DE CRISTO - Em 10:1 Paulo diz: “E eu mesmo, Paulo, vos rogo,  pela mansidão e benignidade de Cristo”. Podemos ser mansos e benignos mas a nossa mansidão e benignidade são provenientes de Cristo? Todos concordamos que temos de rejeitar ou repudiar o caráter que não é manso nem benigno. Mas você já percebeu que tem de rejeitar sua mansidão e benignidade? Alguns irmãos e irmãs podem orgulhar-se de sua mansidão e benignidade. Certa irmã em seu interior pode considerar-se mais mansa do que as outras. Mas o apóstolo Paulo disse que rogava aos coríntios, não em sua própria mansidão nem benignidade, mas na mansidão e benignidade de Cristo. Isso novamente nos mostra uma pessoa vivendo no espírito, sempre tomando Cristo como seu tudo. Ele experimentava Cristo não somente como seu poder, mas também como sua mansidão e benignidade. Ele era uma pessoa vivendo por Cristo.

 

A VERDADE DE CRISTO - Em 11:10 Paulo diz: “A verdade de Cristo está em mim”. Todos diríamos que temos de rejeitar as mentiras e falar a verdade, mas você já se perguntou que verdade você fala? Você fala a verdade de Cristo ou sua própria verdade? Paulo disse que a verdade de Cristo estava nele. Temos de falar a verdade de Cristo, não à verdade da natureza humana, do velho homem, do ego. Temos de aprender a não somente repudiar todas as mentiras mas também renunciar ou rejeitar a nossa verdade. Você tem de repudiar a sua verdade tanto quanto as suas mentiras; então poderá tomar a verdade de Cristo. Paulo perdoou na pessoa de Cristo; rogou na mansidão e benignidade de Cristo; e disse que a verdade de Cristo estava nele. Uma vez que o apóstolo vivia por Cristo, tudo o que Cristo é tornou-se sua virtude em seu proceder.

 

O PODER DE CRISTO - No capítulo treze, Paulo diz-nos algo sobre o poder de Cristo (vs.3-5). O poder de Cristo não é experimentado quando somos poderosos, mas quando somos fracos. Paulo disse: “Porque quando sou fraco, então é que sou forte” (2ª Co.12:10). É mais difícil ser fraco do que ser poderoso. Paulo disse que Cristo foi “crucificado em fraqueza” (13:4). Sabemos que Cristo era o Deus Todo-Poderoso, mas, no momento em que foi crucificado, ele se tornou fraco. Se não se tivesse tornado fraco, como seres humanos poderiam crucificá-lo? Como o Deus Todo-Poderoso, como ele poderia ter sido preso? Quem poderia colocá-lo na cruz? Mas ele quis ser fraco, e tornou-se fraco. Portanto, o apóstolo Paulo diz: “Somos fracos nele” (v.4)

 

Você já aprendeu a lição de ser fraco em Cristo? Sempre gostamos de falar acerca de sermos poderosos em Cristo, mas alguma vez tentamos ser fracos em Cristo? O poder de Cristo nunca será aperfeiçoado ou manifestado até que sejamos fracos. O poder de Cristo, que é sua graça para nós, é aperfeiçoado em nossa fraqueza (12:9). Quando somos fracos, podemos experimentar o poder de Cristo em nossa fraqueza. Novamente vemos que 2ª Coríntios mostra-nos uma pessoa que foi reduzida a nada, sem nenhuma força, para que o poder de Cristo pudesse ser aperfeiçoado em sua fraqueza. Aqui há uma pessoa totalmente reduzida a nada, mas tomando Cristo como seu tudo.

 

A GRAÇA DE CRISTO E CRISTO FALANDO NELE - Em 13:13 Paulo refere-se à graça de Cristo e diz ele que Cristo está falando nele. Novamente vemos uma pessoa que foi reduzida a coisa nenhuma, senão a Cristo. Cristo fala nele:

A pessoa de Cristo é sua pessoa;

A mansidão de Cristo é sua mansidão;

A benignidade de Cristo é sua benignidade;

A verdade de Cristo é sua verdade;

A poder de Cristo é o seu poder;

A sua graça de Cristo é sua graça. Tudo o que ele é, é Cristo. Essa é uma pessoa que vive no espírito.

 

www.facebook.com/caminhoeavida

Inscreva-se em nosso canal no Youtube